- Publicidade -

Mais Recentes

Análise – Mario Golf: Super Rush (Nintendo Switch)

Caos, diversão e tacadas espectaculares fazem parte da receita de Mario Golf: Super Rush, se estivermos apenas a falar dos seus modos multijogador

Análise – Scarlet Nexus (PlayStation 4)

A equipa de Tales of Vesperia regressa ao género RPG com um novo IP de sucesso.

Análise – Game Builder Garage (Nintendo Switch)

Melhor que a ideia, só a interface simples e intuitiva.

Análise – Alex Kidd in Miracle World DX (PlayStation 4)

A antiga mascote da SEGA regressa dos mortos com um regresso à sua estreia na Master System, 35 anos depois.

Análise – We Are Football (PC)

Através da simplicidade, We Are Football aposta, para já, em ser uma alternativa descontraída de FM, não se levando demasiado a sério.

Antevisão – Graven (Early Access)

Dos criadores de Wrath: Aeon of Ruin chega-nos mais um jogo de ação na primeira pessoa em Early Access e com imenso potencial.

Análise – Alba: A Wildlife Adventure (Xbox Series X|S)

Uma aventura de verão para todas as idades.

Análise – Mighty Goose (PlayStation 4)

Um ganso mercenário leva-nos numa viagem intergaláctica em busca de criminosos neste divertido jogo de ação e plataforma.

Análise – Ninja Gaiden: Master Collection (PlayStation 4)

Uma coleção imperdível para os fãs que merecia mais fanfarra e conteúdos adicionais.

Análise – Ratchet and Clank: Rift Apart (PlayStation 5)

A Insomniac Games revitaliza aquela que poderá ser a sua saga mais importante com um jogo seguro, ambicioso e apaixonante.

Análise – Song of Horror (PlayStation 4)

Uma aventura de terror que funciona como um best of do género, mas que falha em ser assustador.

Análise – Wonder Boy: Asha in Monster World (PlayStation 4)

Um clássico reinventado, mas demasiado próximo da versão original para se destacar dos restantes títulos do género.

Análise – Baldur’s Gate: Dark Alliance (Nintendo Switch)

Viagem até Baldur’s Gate e redescubram um excelente clássico do género, mas cuja pintura não esconde o tempo e a falta de dedicação da produtora.

Análise – Biomutant (PC)

Um mundo grande, grandes ambições e uma grande falta de foco.

Análise – Battle Axe (PlayStation 4)

Um beat’em up inspirado nos clássicos do género, e com arte de Henk Nieborg, que não consegue fazer jus às suas influências.

Análise – Days Gone (PC)

Days Gone ganha uma nova casa com todos os conteúdos lançados ao longo do tempo e uma fantástica otimização para os PCs modernos.

Análise – Resident Evil Village (Xbox Series X)

Não reinventa a roda, mas remistura os elementos necessários para um dos jogos mais completos e satisfatórios da saga.

Análise – The Longing (Nintendo Switch)

Uma experiência única sobre a passagem do tempo e o nosso lugar enquanto jogadores.

Análise – Nier Replicant ver.1.22474487139… (Xbox One)

Uma fantástica e emocional jornada que requer as expectativas no sítio, especialmente para quem chega aqui depois de Nier Automata.

Análise – MotoGP 21 (PlayStation 5)

Enquanto que, em pista, houve melhorias notáveis, parece que fora dela pouco mudou, dando a sensação que houve foco centralizado apenas nalgumas componentes do jogo. Ainda assim, há melhorias impressionantes neste MotoGP 21.
- Publicidade -