Análise – Xiaomi Mi Box S

Fazer um upgrade de Smart TV ou comprar uma Mi Box S?

Xiaomi Mi Box S

Sabem aquele gadget tecnológico ou produto que vocês andam a namorar durante muitos meses? Sim? Para mim, esse produto é a Xiaomi Mi Box S. Desde que descobri o mundo da Android TV e, principalmente, que uma simples caixa pode transformar qualquer televisão numa Smart TV, que fiquei obcecado pela ideia de ter uma. Assim sendo, quando soube que tinha a possibilidade de testar uma Mi Box, não hesitei nem por um segundo.

Neste preciso momento, não sinto inteiramente falta de uma Mi Box S, visto que a minha televisão é Smart TV, mas, ainda assim, acabei por testar este produto. Sendo utilizador de uma televisão inteligente da Samsung desde 2017, cedo percebi o quão limitado é o sistema operativo desta marca. Uma televisão de 2017 não deve ser considerada “velha”, mas estamos a entrar numa altura em que parece ser quase obrigatório trocar de equipamento tecnológico de dois em dois anos.

Gosto muito da marca da Samsung no que toca a televisões e considero que têm sempre produtos com uma boa relação qualidade/preço. Mas não é disso que falo aqui. Falo, sobretudo, do sistema operativo. A minha TV tem quase todas as aplicações da moda do streaming, como Netflix, HBO Portugal, Amazon Prime e até Spotify. No entanto, acredito que, daqui a um ou dois anos, comece a deixar de receber atualizações da marca.

Na verdade, isso já acontece. A Apple assinou um acordo para distribuir a app Apple TV, onde está presente a Apple TV+, mas só está disponível para modelos acima de 2018. E eu, como utilizador e assinante da Apple TV+ por um ano, fiquei naturalmente aborrecido com este facto.

Dito tudo isto, e ainda que a aplicação da Apple TV não esteja presente na Mi Box, não deixei de aproveitar esta oportunidade para testar e perceber se vale a pena fazer um upgrade de televisão para ter um sistema operativo mais recente (ou até um modelo com mais caraterísticas), ou apenas comprar uma box Android.

Limpa e atrativa

Xiaomi Mi Box S

Começando pelo design, só tenho quase elogios. A box é limpa e atrativa. O único senão é somente existir em preto, se bem que acaba por funcionar como uma cor neutra. A Mix Box S é uma espécie de quadrado preto que transforma qualquer aparelho televisivo com entrada HDMI numa verdadeira Smart TV.

A caixa vem com tudo o que necessitam para que a box Android funcione. Ao abrir a caixa do produto, encontram o carregador da Mi Box, um comando, um cabo HDMI e até um conjunto de pilhas AAA.

Em termos de entradas, a box conta com uma entrada HDMI 2.0, claro, uma entrada USB e até uma saída de áudio para a podermos ligar a uma aparelhagem ou sistema de som externo. Na prática, podemos ter uma experiência quase como se estivéssemos no cinema, mas sem deixarmos o conforto do sofá.

Mas nem tudo é positivo. O tamanho do carregador é demasiado pequeno, tal como o cabo HDMI. No meu caso em particular, tive sorte porque as entradas HDMI da minha TV estão numa espécie de Hub e, portanto, não é preciso grande distância para ligar. No entanto, quando tentei ligar à TV da cozinha, que já não é Smart, tive alguns problemas. A televisão está elevada na parede e acabei por precisar de usar uma extensão para ligar tudo. Fica o alerta.

A box é leve, pesando apenas 147g, sendo um dos pontos mais favoráveis desta box em comparação com outras. A sua portabilidade é, sem dúvida, um dos aspetos mais interessantes. E mesmo que tenham uma Smart TV atualizada com tudo o que é aplicação, diria que vale a pena na mesma. Porquê? Porque podem levar a box convosco para qualquer lado.

Por exemplo, se forem de férias para um hotel ou até um apartamento com uma televisão mais antiga, basta ligarem a Mi Box à tomada e à entrada HDMI da televisão para que, em segundos, tenham todo o entretenimento que necessitam à mão.

Desempenho de topo em pacote low cost

Xiaomi Mi Box S

Uma das grandes vantagens é suportar conteúdo em 4K HDR. Por norma, boxs com este tipo de resolução são mais caras, como é o caso da NVIDIA Shield ou até a Apple TV. Como tal, acabam por ter uma versão low cost de um produto deste género.

Esta funcionalidade dá muito jeito sobretudo para quem tem conta da Netflix, ou noutras plataformas de streaming, com essa possibilidade. Não é esse o meu caso, mas acabei por conseguir ver conteúdo em 4K num dos meus canais de YouTube preferidos e foi uma experiência muito agradável.

Se a nível de imagem não desilude, no que toca ao som não é bem assim. Muitas vezes tive necessidade de aumentar o som da minha TV porque, mesmo no máximo da Mi Box, o som não chegava nas melhores condições. Aconteceu sobretudo quando liguei a Box à minha Smart TV e quando a utilizei em televisões mais antigas. No entanto, e como referi anteriormente, a box vem com uma saída de áudio que poderão ligar a um sistema de som mais potente.

Nota ainda para o facto de não haver um cabo que permita ligar a box diretamente ao router para terem uma ligação mais estável à Internet. Ou seja, aqui não existe porta Ethernet, pelo que a ligação online é feita somente através do Wi-Fi. Não digo que seja algo que me leve a não recomendar a compra deste dispositivo, mas todos sabemos que, a nível de estabilidade e velocidade, é sempre melhor estar ligado através de cabo, principalmente para quem pretender consumir conteúdos em 4K, algo que requer bastante largura de banda. Uma pequena falha, mas que nada mancha tudo de positivo da box da Xiaomi.

Em todo o caso, existem soluções, ou melhor, adaptadores, que podemos ligar através da entrada USB da box e, aí sim, já podemos ligar o cabo do router diretamente à Box.

A Mi Box S vem equipada com 2GB de RAM e 8GB de armazenamento interno. O espaço não é muito, é verdade, mas é suficiente se quiserem usar apenas para entretenimento ou, até, alguns jogos. Podem, no entanto, expandir este armazenamento com um disco externo, por exemplo.

Uma opção interessante e da qual só me apercebi nos dias finais de uso foi o HMDI CEC. Basicamente, esta funcionalidade permite controlar a televisão e a box só com um comando. Muito útil.

Aplicações para todos os gostos

Xiaomi Mi Box S

A Mi Box S traz instalado o meu sistema operativo preferido para televisões. A versão Android 9 Pie chegou este ano ao equipamento, portanto, a primeira coisa que fiz assim que iniciei a box foi atualizar para este sistema operativo.

A grande novidade deste SO é, sem dúvida, já ter instalada de raiz a aplicação Amazon Prime Video (que usei e abusei), além da Netflix, que são os serviços primários e nativos do sistema operativo e que estão presentes no comando. Além disso, a integração com Chromecast e com a assistente da Google está mais aprimorada. Mas já lá vou.

A interface do Android 9 Pie não é o seu forte (demasiado simplista e sem graça), pelo que, aqui, ganha o sistema da Samsung ou até da LG. Contudo, o que realmente importa é a sua utilização e, em termos de usabilidade, não fica nada atrás de outros OS. É prático, especialmente para quem utiliza a Netflix como eu, porque pode navegar pelo conteúdo da plataforma sem sequer abrir a aplicação. Podemos colocar as nossas principais aplicações logo no menu principal, mais concretamente no topo do ecrã, mas, ainda assim, é algo complicado alternar a ordem das aplicações. Muitas vezes acabamos por abrir as apps que não queremos.

Podemos também fazer com que o sistema somente apresente aquelas aplicações que utilizamos mesmo e esconder as outras na barra das aplicações. Essa barra continua, porém, facilmente acessível.

A integração da Google Assistente e do Chromecast

As assistentes virtuais estão cada vez mais aprimoradas e mais desenvolvidas, e a Google Assistente é uma delas. Tendo recebido algumas atualizações nos últimos anos, uma novidade relativamente recente da assistente é o facto de falar português de Portugal (passe a redundância), sendo esse um dos seus aspetos mais positivos. Há falhas, claro, mas o produto está bem desenvolvido.

No caso desta Box Android, ela está integrada logo no comando que vem na caixa. O botão da Google Assistente tem um relevo um pouco maior do que os restantes no comando, mas funciona super bem. Basta um toque e está ativa. Não precisamos de estar lá sempre com o dedo.

Além disso, não precisamos de dizer “Ok Google” para mandar fazer alguma coisa. Basta dizer para a assistente abrir a Netflix, por exemplo, que, nos segundos seguintes, é isso mesmo que ela faz. Mas não o faz sem falhas. Aconteceu-me, por vezes, pedir para abrir algumas aplicações e ela sugerir vídeos do Youtube, o que é bem estranho.

Xiaomi Mi Box S

O Chromecast, que é outro dos serviços inteligentes da empresa americana, também funciona muito bem nesta Box. É muito útil estar, por exemplo, a ver um vídeo no YouTube no computador e, com um simples clique, passa diretamente para a Mi Box no exato momento em que estava.

Aplicações de Android TV

Em termos de aplicações, o Android TV tem recebido um forte investimento da Google, mas não está ainda a 100%. Falta a Apple TV, que teima em não chegar a este ecossistema, ou até a Apple Music (que já chegou a Android).

Ainda assim, destaco a existência da RTP Play na loja de aplicações. Uma boa jogada da televisão pública, que também devia fazer chegar esta aplicação ao ecossistema da Samsung. Aliás, várias vezes optei por ver conteúdos do canal público aqui ao invés de em direto ou on-demand na box, simplesmente porque funcionava melhor ou até porque a qualidade de imagem era superior.

Faço ainda outra menção honrosa para a aplicação Tune In, que funciona muito bem no sistema Android TV. Como fã de rádio e, também, porque oiço bastante música, acabo por me fartar muitas vezes de ouvir playlists, pelo que recorro a rádios nacionais. Um aspeto interessante é que, quando começam a ouvir uma rádio, podem sair para procurar outras aplicações que essa mesma aplicação continua a funcionar em segundo plano.

Concluindo, e digo isto principalmente para aqueles que têm uma Smart TV relativamente recente, a aposta num equipamento destes pode não fazer muito sentido se utilizarem somente determinadas aplicações já disponíveis em televisões inteligentes. Ainda assim, a Mi Box S é uma excelente opção para tornarem uma televisão mais antiga num verdadeiro ecossistema televisivo ou até mesmo para levarem convosco para qualquer lado. No meu caso, posso dizer que vou equacionar ter um dispositivo destes para uma televisão no quarto.

A Mi Box S pode ser adquirida na Mi Store Portugal por 69,99€. Em contrapartida, podem também adquirir na Banggood (paguem sempre com PayPal).

Nota: Muito Bom - Recomendado

Este dispositivo foi cedido para análise pela Xiaomi.

Sigam-nos

10,855FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
632SeguidoresSeguir

Relacionados

Xiaomi vai abrir mais uma loja em Lisboa já em outubro

Continua a expansão da marca chinesa por Portugal.

Análise – Xiaomi Mi TV Stick

A pen que transforma uma TV antiga numa SmartTV.

Mi Store do Centro Comercial Colombo inaugurada a 15 de setembro

O evento de inauguração poderá ser acompanhado via streaming.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Já é possível reservar viagens na Free Now

Uma funcionalidade que nunca chegou a ficar disponível na Kapten, mas que finalmente existe.

Novo projeto da EDP quer descobrir novos talentos do fado

À semelhança do EDP Live Bands, o vencedor terá oportunidade de gravar um álbum e de atuar no NOS Alive.