fbpx

Apple TV+. Serviço de streaming da maçã já está disponível

Finalmente! Após muitos rumores de que a Apple se queria lançar no mercado do streaming de conteúdos, e de ter, efetivamente, confirmando essa aposta, hoje, dia 1 de novembro, o serviço de streaming Apple TV+ ficou disponível.

É verdade. A marca, que ficou conhecida pelos seus computadores Macintosh, pela criação dos iPods e, mais recentemente, pelos iPhones, entra agora num mercado onde players como a Netflix, HBO ou Amazon dominam.

Neste dia de estreia, existem oito produções que já podem ser vistas: The Morning Show, See, For All Mankind, Dickinson, A Rainha Elefante, Helpsters, Escritor Fantasma e Snoopy No Espaço. Temos, portanto, quatro séries para adultos, um documentário e três séries para criança.

Para breve neste serviço de streaming, está prevista a estreia de produções como Servant, Hala, Oprah’s Book Club e Truth Be Told.

Apesar de, neste momento, e como seria de esperar, a Apple não ter nenhum hit, há muito caminho para percorrer, mas os críticos especializados dizem que vale a pena acompanhar o drama de For All Mankind, que conta com nomes como Joel Kinnaman, Wrenn Schmidt e Shantel VanSanten, entre outros.

A Apple promete produções originais para todos os meses, sem qualquer tipo de publicidade e on demand.

Para já, há limites, que é a quantidade de dispositivos onde se podem ver as séries Apple. Por exemplo, para quem tiver iPhone, iPad, Mac ou Apple TV, a app Apple TV já vem incluída. Essa mesma app irá eventualmente chegar a várias Smart TV, bem como a dispositivos de streaming populares, embora seja de esperar que modelos mais antigos fiquem sem acesso à app Apple TV.

Já para quem tem PCs Windows ou smartphones Android, esqueçam: por agora não vão conseguir aceder legalmente às séries da Apple.

Ou seja, quer isto dizer que a Apple, se quiser realmente ter muito sucesso no mercado de streaming, tem de ser o mais abrangente possível. Afinal, o quão mais cómodo é ver uma série na TV ao invés de no ecrã mais pequeno do iPhone, iPad ou Mac?

Em termos de preços, a Apple dá-se ao luxo de, neste momento, ter um assinatura a um preço bem simpático: 4,99€ por mês, assinatura essa que pode ser utilizada até um máximo de seis pessoas da mesma família. Um luxo.

Melhor de tudo? Há um período experimental de sete dias, pelo que, durante uma semana, poderão ver as produções deste serviço de streaming Apple sem pagarem qualquer cêntimo.

Outra boa novidade é o facto de, quem for comprar um novo iPhone, iPad, iPod touch, Mac ou Apple TV, terá oferta de um ano de assinatura do Apple TV+. Neste caso, terão três meses para validar a oferta após a ativação do produto adquirido.

- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,787FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
630SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

Crítica – Greatness Code (1ª Temporada)

Sete atletas icónicos revisitam um momento das suas carreiras onde sentiram que chegaram ao auge que sempre almejaram. Acham que os conhecem melhor que ninguém? A ver vamos.

Disney+ já não oferece período experimental gratuito de sete dias

O serviço ainda não está disponível por cá, mas, quando chegar a Portugal, os utilizadores já não poderão experimentar gratuitamente o serviço.

Para quando uma espécie de Hulu em Portugal?

Em Portugal, temos muitos serviços de streaming. Desde a Netflix, HBO, Amazon e, brevemente, o Disney+. Ainda assim, não é disso que vou falar hoje. Mas sim da criação de uma espécie de Hulu em Portugal.

Depois do streaming, Gig Club vai apoiar artistas portugueses com festival de dois dias

O Play It Safe Weekend é o festival que resulta da plataforma de apoio para músicos criada pela promotora Gig Club.
- Publicidade -

Mais Recentes

Será que este é o ano para investir nas criptomoedas? 

Passou-se mais de uma década desde que a Bitcoin foi lançada pela primeira vez e, hoje em dia, há uma miríade de criptomoedas no mercado, tais como a NEO, Litecoin e Ethereum. Mas a Bitcoin ainda continua a ser a mais conhecida.