Teclado Trust GXT 833 THADO – Acessível mas sem motivos para se destacar

Apesar do seu preço acessível, o teclado da Trust não é suficientemente competitivo para o mercado de periféricos.

- Publicidade -

Não é a primeira vez que me deparo com um produto da Trust para análise. No Echo Boomer, tive a oportunidade de experimentar teclados, microfones e até headphones da marca dos Países Baixos, onde pude compreender melhor o seu posicionamento no mercado e o seu foco numa área tão competitiva como a dos periféricos tecnológicos. Esta é a primeira vez que me sinto absolutamente surpreendido pela qualidade e desempenho de um produto da Trust, que, apesar de ser pensado para o mercado de baixa e média entrada, apresenta-se com problemas que invalidam a sua recomendação em qualquer parâmetro que possa pensar – especialmente quando existem ofertas melhores, seja em qualidade ou preço, da mesma marca.

O teclado GXT 833 THADO é o objeto da minha confusão atual. Depois de analisar o GXT 863 MAZZ, que faz jus ao seu preço e acessibilidade, esta nova aposta da Trust não consegue esconder a sua baixa qualidade através da ausência de funcionalidades atualmente imprescindíveis para qualquer utilizador – tanto nos videojogos, como na escrita -, mas também pelas teclas e acabamento do teclado, que parece estar inacabado em vários sentidos. Não existe um cuidado no conforto e no posicionamento das teclas, que se tornam cansativas ao longo de várias horas de utilização, e podemos sentir a sua qualidade reduzida a cada toque, click e pressão que aplicamos a este teclado de 80%.

À primeira vista, o GXT 833 THADO parece ser mais uma aposta segura da Trust. Com apenas 87 teclas, o novo teclado foi pensado para a área de videojogos, procurando proporcionar uma experiência mais controlada e concentrada naqueles que dedicam as suas horas às competições online. Como seria de esperar, o GXT 833 THADO apresenta opções de anti-ghosting, um modo próprio para videojogos – que procura dar aos utilizadores uma experiência mais especializada -, teclas dedicadas a atalhos de media, luzes RGB com opções limitadas de padrões e uma garantia de 5 milhões de cliques para cada tecla. Estas são apenas algumas das funcionalidades já esperadas para qualquer teclado que procure um lugar na área, seja para a utilização doméstica ou profissional, e o GXT 833 THADO faz o mínimo para justificar esta aposta da Trust. Um produto de entrada, sem dúvidas, mas que é constantemente ultrapassado por praticamente qualquer outro teclado mecânico da Trust.

O primeiro contacto pode deixar-vos esperançosos porque o GXT 833 THADO apresenta-se com um peso suficientemente eficaz (709g) para se tornar robusto e sólido em qualquer utilização. A sua base é metálica, o que lhe dá alguma segurança e resistência, e as proteções de borracha proporcionam alguma anti aderência capazes de transmitir aos utilizadores que o teclado está seguro e que não se movimentará durante a sua utilização. Como nos outros teclados desta gama, o GXT 833 THADO peca também na conetividade e apresenta-se com um USB-A, ficando atrás de outras ofertas mais competitivas no mercado. De facto, o GXT 833 THADO é um teclado onde as ausências são abismais devido à sua simplicidade, mas também à qualidade do seu acabamento e teclas.

Apesar de apreciar o seu peso e tamanho, com as 87 teclas a seguirem todos os propósitos deste teclado para videojogos, o GXT 833 THADO parece ser um produto de marca branca. Os meus problemas com o teclado foram imediatos e começaram pelo chiar incessante de algumas teclas, tal como a falta de resposta da tecla space, que nem sempre funciona como deve ser. As teclas são pesadas e é preciso fazer algum esforço adicional para escrevermos ou jogarmos, o que faz com que não seja satisfatório utilizar este teclado da Trust. A tecla de Espaço tem mesmo algum problema e, durante os meus testes, pude depreender que a tecla não funciona a 100%, falhando inúmeras vezes até quando aplicamos mais força ao pressioná-la. Poderá ser um problema da minha unidade de teste, já que consigo notar que a textura das teclas é demasiado áspera e o acabamento muito amador. Podemos ver a tinta mal aplicada através da iluminação RGB, como traços de tinta fora do lugar e que cobrem a base ao ponto de taparem certas zonas de iluminação – tal como teclas mal moldadas, onde o plástico parece ter sido dobrado e derretido.

A Trust tem uma gama de produtos que procura dar aos seus utilizadores uma experiência mais segura, mas também premium em muito dos seus lançamentos. O teclado GXT 833 THADO é um produto de gama baixa, não era suposto ser lançado com todas as funcionalidades possíveis, mas, ainda assim, é desapontante porque não é confortável, estável ou seguro durante a utilização. As teclas e as fichas são, na minha opinião, os grandes problemas, já que não registei os mesmos percalços em modelos como o GXT 863 MAZZ. O GXT 833 THADO sabe a pouco, até mesmo para os utilizadores menos exigentes e é impossível para mim recomendá-lo neste momento seja para que ocasião for. Procurem outro teclado, especialmente mecânicos. No entanto, fica o apontamento que é compatível com PS4, Xbox One e Nintendo Switch. Talvez isso seja útil para vocês – mas relembro que existem modelos melhores ao mesmo preço.

Este dispositivo foi cedido para análise pela Trust.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

O novo Razer Huntsman V2 promete ser o teclado mais rápido do mundo

Poderá mesmo ser o teclado mais avançado da marca.

Razer revela novos acessórios para os seus teclados

Mais personalização sem ser necessário comprar um novo periférico.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Microfone Fifine K658 – O go-to se queres começar no mundo do streaming ou podcasts

É o microfone que precisas para fazer o teu podcast andar para a frente, até porque de lado não capta bem o áudio.

Setúbal vai ganhar, em breve, mais de 2500 lugares de estacionamento gratuito

Uma cidade que bem precisa, tendo em conta a quantidade de parquímetros existentes.