Nova iniciativa da Festicket oferece aos fãs que reservarem festivais um período de cancelamento flexível

O surto do coronavírus (COVID-19) tem tido um grande impacto na indústria da música. O quotidiano de todos aqueles envolvidos na organização de espetáculos ao vivo tem sido preenchido com a constante preocupação em implementar as medidas mais adequadas em tempos de crise, procurando minimizar os efeitos causados pelo cancelamento de festivais, dar prioridade à segurança dos clientes, gerir quaisquer restrições de viagem e lidar com a perda de confiança dos clientes.

- Publicidade -

Durante este período difícil, continua a crescer a incerteza no que diz respeito a viagens e grandes eventos e a análise de dados globais relacionados com festivais demonstram uma queda considerável na confiança do cliente ao longo das últimas semanas. Caso este padrão continue, tal irá afetar drasticamente as vendas de bilhetes de festivais e o “ecossistema” global da indústria de eventos no decorrer dos meses fulcrais de março, abril e potencialmente maio de 2020.

De modo a de, alguma forma, resolver esta situação, a Festicket decidiu apresentar a FlexTicket, que não é mais do que uma opção que faz com que os festivaleiros, durante certo período, possam reservar bilhetes/pacotes para festivais e, mais tarde, se assim o entenderem, cancelar e receber o montante originalmente gasto de volta.

Como é que isto funciona? Basicamente, quem fizer uma nova reserva até dia 30 de abril poderá usufruir da política flexível de cancelamento. Na prática, qualquer reserva de bilhetes e pacotes até final de abril (pagos na totalidade e não às prestações, atenção) estará protegida pela Festicket, pelo que a empresa devolverá o dinheiro gasto a quem, por qualquer razão, decidir cancelar a sua ida a um festival.

Para isto, tenham em atenção que, caso desejem cancelar a vossa compra, terão até 31 de maio para o fazer, sendo que devem, obviamente, informar a Festicket da vossa decisão. Contudo, quem o fizer não receberá o montante originalmente gasto na conta bancária. Neste caso, o que acontece é que a Festicket emitirá um voucher com o valor original da compra (excluindo taxas) que terá de ser gasto até 31 de dezembro.

Em declarações ao Echo Boomer, Frederico Câmara, diretor comercial da Festicket Iberia, referiu que “analisando os dados, reparamos que as pessoas continuam a visitar o site e o detalhe dos bilhetes, mas param quando é para comprar. Por isso acreditamos que esta medida poderá de alguma forma melhorar um pouco as vendas e minimizar o impacto, dando esta confiança adicional a quem ainda não comprou e tem dúvidas”.

Infelizmente, as reservas anteriores à existência da FlexTicket não estão protegidas para o caso de o festival realizar-se e as pessoas decidam não ir. Contudo, Frederico Câmara faz a ressalva de que “todos os clientes estão assegurados para o caso de o festival ser cancelado, sendo nesse caso da responsabilidade do promotor fazer a devolução do bilhete”.

Resta dizer que a FlexTicket é uma iniciativa válida para os seguintes festivais: Mad Cool Festival, Tomorrowland, Rock in Rio Lisboa, VOA Heavy Rock Festival, Bilbao BBK Live, Azkena Rock Festival, Holika Festival, Off Week Festival, VillaMix Lisboa, Fort Festival, Vilar de Mouros, Gloworm Festival, Bigfoot Festival, Montreux Jazz Festival, Vagos Metal Fest, Goatfest Live Music Festival, Ribera Sound, Ostend Beach Festival, 18hrs Festival, Sun & Snow, FIB: Festival Internacional de Benicàssim, Oh My! Music, New World FSTVL, Seasplash, One Drop Festival, The Great Wonderfest, Weekend Festival Finland, Glitch, El Dorado e Hospitality On The Beach.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,987FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
784SeguidoresSeguir

Parceiros

Relacionados

Vai ser possível pedir reembolso este ano de espetáculos e festivais previstos para 2020, mas que foram adiados para 2022

O decreto-lei hoje aprovado prevê ainda a possibilidade da realização de eventos teste-piloto ao longo do ano.

Amplificasom acaba com os bilhetes em papel para os seus eventos

Mas não seria má ideia pagar mais 1€ ou 2€ por bilhete e ter algo personalizado.

Promotoras vão falar com o Governo para tornar viável a realização de festivais e eventos de música

Numa altura em que a COVID-19 não dá tréguas, milhares de postos de trabalhos relacionados com a cultura estão em risco.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Plano Ferroviário Nacional quer ligar todas as capitais de distrito e cidades com mais de 20.000 habitantes

Pensado a longo prazo, é a primeira vez que Portugal tem um Plano Ferroviário Nacional. O investimento estimado é de 10 mil milhões de euros.

O novo Pastel de Nata da BAGGA cortou 50% no açúcar

E como seria de esperar, houve uma redução de gordura. Porém, a BAGGA promete o sabor de sempre no seu Pastel de Nata.

McBifana está de volta aos restaurantes McDonald’s

Nas versões McBifana Original e McBifana Mostarda.