Análise – The Forest

Lançado originalmente em 2014 em Early Access, The Forest estreia-se este ano na PS4 com a sua versão final. O jogo de sobrevivência e terror a Endnight Games captou rapidamente a atenção do público no PC com um lançamento de sucesso, mas conseguirá fazer o mesmo na consola da Sony? Para nós, é um sim.

The Forest não tenta distanciar-se dos restantes títulos do género e muito menos inovar as suas mecânicas, mas consegue dar-nos uma experiência sólida capaz de equilibrar o melhor da exploração com o foco necessário na personalização e construção de bases que popularizaram o género. Para um jogo de sobrevivência, temos muitas localizações para descobrir, segredos para desvendar e muito para construir. É um jogo que nos incentiva a dar aso à nossa imaginação.

Ao contrário dos seus rivais diretos, The Forest não se foca unicamente na sobrevivência e tenta criar uma história, ainda que um pouco simples, para nos motivar a seguir em frente. Como o sobrevivente de um desastre de avião, vemo-nos presos numa ilha povoada por uma enorme e espessa floresta. Por entre as árvores altas e as montanhas mais gélidas, escondem-se vários segredos, como expedições perdidas e cavernas labirínticas, e um povo de nativos canibais que nos perseguem. O nosso objetivo principal é o de salvar Timmy, o nosso filho, e sair ileso da ilha.

Como um jogo de sobrevivência, The Forest ataca em todas as frentes. Desde a manutenção da nossa personagem, como a sua alimentação e bem estar, até à construção de uma base segura, o jogo dá-nos uma experiência muito sólida que é complementada pelo foco na exploração. A ilha é enorme, intimidante até, mas, à medida que conhecemos alguns dos seus pontos mais importantes e começamos a caçar, parece que controlamos os próprios elementos. A existência da narrativa acaba por complementar esta luta contra a natureza, com cada caverna que exploramos a ser um passo em direção à descoberta do nosso filho.

Existem várias opções de construção, ainda que The Forest não seja tão complexo como 7 Days to Die ou até Conan Exiles. Para sobrevivermos, é necessário construirmos a nossa base e com os ataques sucessivos dos canibais, sendo igualmente importante termos as defesas ideais para nos mantermos ilesos. A nossa imaginação será o único entrave à construção e podemos criar a casa mais simples e utilitária possível se nos quisermos focar apenas na exploração. The Forest é capaz de complementar estas duas formas de jogar, o metódico e o reacionário, na sua jogabilidade.

The Forest

A passagem para a PS4 trouxe alguns entraves já esperados. Os gráficos, na PS4 original, não fascinam, ainda que a performance seja maioritariamente sólida. Apesar de não estar próximo da versão PC, o jogo surpreende na PS4 através da sua iluminação, especialmente no amanhecer e anoitecer, com grandes faixas de luz e tons acastanhados. No entanto, os gráficos não são o maior problema, mas sim os menus, onde sentimos rapidamente a ausência de um rato. Os menus tornam-se cansativos e difíceis de navegar devido à utilização do comando, mas com alguma habituação, irão superar esta estranheza inicial.

The Forest é um excelente jogo de sobrevivência que vem colmatar uma falha bastante visível na PS4. Com a popularidade do género no PC, é sempre bom vermos títulos como este a chegarem finalmente às consolas e a oferecerem aos jogadores uma experiência diferente de tudo o resto. The Forest é viciante, assustador e muito completo e, se sempre quiseram sobreviver numa ilha repleta de canibais, então está é a vossa oportunidade.

The Forest
Nota: 8/10

Este jogo foi cedido análise pela Endnight Games.

1 Comentário

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

10,844FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
632SeguidoresSeguir

Relacionados

Análise – Xiaomi Mi True Wireless Earphones

Apesar do design um pouco mais robusto e a curta autonomia apresentada, o preço dos Xiaomi Mi True Wireless Earphones faz com que sejam uma opção a ter em conta.

Análise – Angry Video Game Nerd 1&2 Deluxe

Está na hora de regressarmos ao passado para jogarmos dois jogos que pensávamos estarem perdidos no tempo!

Análise – FIFA 21

FIFA 21 vem com muitas novidades e algumas melhorias face ao capítulo anterior, mas falha onde não pode: dificuldade da AI da consola em jogo offline.

Digimon Survive foi adiado para 2021

E não é a primeira vez que o futuro RPG é adiado.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Monte Velho oferece vouchers de 20€ na FNAC e Wook na compra de duas garrafas

Têm é de ser rápidos, pois somente 450 felizardos é que vão conseguir aproveitar.

Phone House vai encerrar lojas em Portugal

Há vários meses que a situação financeira da empresa dava sinais de fraqueza.

CP – Comboios de Portugal vai ter 22 novos comboios regionais

Tudo devido a um contrato de aquisição assinado com a Stadler.