Oficial: Vamos poder comprar insetos inteiros para alimentação em Portugal

Podem ser comercializados/usados, inteiros (não vivos) e moídos (por exemplo, farinha). Partes ou extratos de insetos não podem ser comercializados.

- Publicidade -

Há alguns anos que a União Europeia está a tentar autorizar a entrada de novos alimentos no mercado, como por exemplo insetos, mas a demora tem estado relacionado com o facto de, naturalmente, não quererem autorizar algo que represente um risco para a saúde humana.

No passado mês de maio, já depois de termos referido que a a Agência Europeia de Segurança Alimentar tinha autorizado o consumo de larvas de besouro, passando a ser o primeiro inseto comestível a ser aprovado na Europa para ser utilizado como ingrediente na alimentação humana, ficámos a saber que a empresa portuguesa Thunder Foods estava à procura de implementar uma unidade industrial de produção e processamento de insetos em larga escala, neste caso para a produção de farinha de Tenebrio molitor, produzida a partir de larvas de escaravelho, também conhecida como “farinha amarela”.

Agora, é a vez da Direção Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) autorizar ao abrigo do Regulamento Europeu para Novos Alimentos a colocação no mercado de forma transitória de alguns insetos.

Acheta domesticus, Alphitobius diaperinus, Apis mellifera male pupae, Gryllodes sigillatus, Locusta migratoria, Schistocerca Gregaria e Tenebrio mollitor são as espécies de insetos que podem ser produzidas, comercializadas e utilizadas na alimentação em Portugal. Porém, há regras a cumprir.

Os insetos podem ser comercializados/usados inteiros, desde que não estejam vivos, ou então moídos, neste caso no formato farinha, por exemplo. De resto, partes ou extratos de insetos não podem ser comercializados.

Convém também alertar que, de acordo com avaliações disponíveis até ao momento da Agência Europeia para a Segurança dos Alimentos – EFSA, diversas espécies de insetos podem causar alergias ou alergias cruzadas, especialmente para quem sofre de alergia a marisco. Assim, é importante que os consumidores sejam claramente informados na rotulagem e na comercialização que um alimento contém insetos e de que espécie são.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Seleções nacionais aparentemente excluídas de FIFA 22

Sim, falamos tanto da equipa masculina como feminina. Será um erro?

Afinal, a HBO Max só chega a Portugal em 2022

A chegada da plataforma estava prometida para este ano... Só que não.

Segurança Social quer dar apoio alimentar a famílias carenciadas através de vouchers digitais

Estes vouchers poderão ter a forma de cartão eletrónico (tipo cartão bancário) ou de um código que permite o posterior reembolso do comerciante.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Crítica – The Last Duel

The Last Duel é um drama original e cativante que nos surpreende e nos deixa intrigados com o conflito no ecrã.

Shadow Corridor – Bem vindos ao Tédio

Um jogo de terror demasiado preso à sua fórmula que só é indicado para os amantes de sustos fáceis.

Dicas para reduzir a pegada ambiental

Querem ter uma atitude mais proativa e têm como meta reduzir a vossa pegada ambiental, ao mesmo tempo que poupam na fatura?