As sequelas de Avatar podem ficar mais longe devido à pandemia

Não são só as estreias dos filmes no cinema que ficam no limbo, mas também as suas produções, que atrasam a chegada ao grande ecrã.

- Publicidade -

As ambiciosas sequelas de Avatar, de James Cameron, foram vítimas da pandemia da Covid-19 e viram a sua produção parada.

A notícia foi partilhada pelo produtor do filme, Jon Landau, que, em entrevista ao jornal neozelandês The New Zealand Herald, diz mesmo que não sabe quando é que a produção vai continuar.

Honestamente, eu acho que essa é a verdade,” conta Landau. “Estamos no meio de uma crise global e não é sobre a indústria dos filmes. Acho que toda a gente deve fazer o melhor que pode para baixar a curva,” referindo-se ao apelo de manter o número de casos de coronavírus o mais baixo possível, de modo a não comprometer o tratamento e recuperação dos que vão aparecendo.

Avatar

Os filmes estão em produção nos estúdios da WETA Digital na Nova Zelândia, numa fase avançada de produção desde 2019, com dois dos quatro próximos capítulos a serem trabalhados ao mesmo tempo.

Ainda sem datas adiadas, Avatar 2 aponta para dezembro de 2021, Avatar 3 para 2023, Avatar 4 em 2025 e, por fim, Avatar 5 em 2027.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Avatar e Devin Townsend adiam concertos em Portugal

Dos três, só um deles tem nova data. Até ver.

Sabiam que nem todos os filmes podem ser vistos com recurso às gravações das boxes?

Nestes casos, é algo que se deve às exigências das distribuidoras ou dos próprios estúdios.

Crítica – King Richard

King Richard não é apenas um dos meus filmes favoritos do ano, mas também uma das melhores biopics que já testemunhei.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Bird faz melhor que a Link e oferece viagens no dia de voto

São oferecidas duas viagens de 15 minutos cada.

Hotel Casino Chaves tem o único posto de carregamento ultra rápido universal de Trás-os-Montes

O Hotel Casino Chaves torna-se assim numa unidade mais completa com a parceria feita com a Power Dot Portugal.

Igreja de Bragança com estatuto de monumento foi vendida para pagar dívida a empreiteiro

A igreja foi a leilão como “espaço dedicado ao culto da religião católica”.