Rolling Blackouts Coastal Fever no NOS Alive’19

Mais um dia, mais uma confirmação no NOS Alive’19. Desta feita tratam-se dos Rolling Blackouts Coastal Fever, confirmados para tocarem no Palco Sagres a 13 de julho, fazendo companhia aos já anunciados Thom Yorke, Bob Moses (Club Set), IDLES e Vetusta Morla.

O quinteto australiano, constituído por Fran Keaney, Joe White, Tom Russo, Joe Russo e Marcel Tussia, lançou em junho do ano passado o álbum de estreia Hope Downs, que sucede aos EPs The French Press e Talk Tight, sendo precisamente as faixas desse trabalho que vêm apresentar ao Passeio Marítimo de Algés.

Por isso, podemos contar com os singles “The Hammer”, “Talking Straight” e “Mainland”, temas amplamente elogiados por vários meios especializados.



Artistas confirmados: Bob Moses (Club Set), Bon Iver, Cut Copy, Curadoria Bridgetown (Carla Prata, Dillaz, DJ Dadda, Nubai Soundsystem, Plutonio, Saint Jhn, Trace Nova e Lé Vie), Emicida, H.E.R, Hot Chip, IDLES, Izal, Jorja Smith, Ornatos Violeta, Pip Blom, Robyn, Rolling Blackouts Coastal Fever, Ry X, Sharon Van Etten, Tash Sultana, The Chemical Brothers, The Cure, The Smashing Pumpkins, Vetusta Morla, Thom Yorke, Vampire Weekend, Vetusta Morla, Weezer e Xavier Rudd.

O NOS Alive’19 realiza-se a 11, 12 e 13 de julho de 2019 no Passeio Marítimo de Algés, em Lisboa. Os bilhetes já estão à venda por 60,98€ (bilhete diário) e 139,77€ (passe de três dias). À venda está também o Fã Pack FNAC.

- Publicidade -

Sigam-nos

10,711FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
623SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

Música – Álbuns essenciais (julho)

Os velhos deram o exemplo no que toca a consistência musical e os novos começam a despontar de forma categórica.

Bons Sons. Não vamos viver a aldeia este ano, mas a aldeia vem até nós

O SCOCS vai organizar o Cem Soldos Habita a Rua, um evento que envolve não só os habitantes da aldeia, mas também os festivaleiros.
- Publicidade -

Mais Recentes

Como prevenir ataques DDoS: 6 dicas para manter o vosso site seguro

Ser vítima de um Ataque Distribuído de Negação de Serviço (DDoS) pode ser catastrófico.