“O Método Kominsky” faz regressar Michael Douglas e Alan Arkin à televisão

Em novembro, as lendas vencedoras de prémios, Michael Douglas e Alan Arkin, regressam à televisão, neste caso na Netflix, com uma nova série sentimental mas ao mesmo tempo cómica, do produtor Chuck Lorre, oito vezes nomeado para Emmys.

- Publicidade -

O Método Kominsky fará a sua estreia mundial a 10 de novembro no AFI Fest, em Los Angeles. No festival serão visionados os três primeiros episódios da série. Será a primeira vez que episódios serão apresentados num festival em formato Gala Screening.

Sobre a série, Sandy Kominsky, um famoso ator de outrora, e Norman Newlander, o seu agente de longa data, são dois amigos que enfrentam os imprevistos da vida enquanto desfrutam dos seus últimos anos em Los Angeles, uma cidade que venera a juventude e a beleza. O Método Kominsky é uma série filmada em câmara única com oito episódios de 30 minutos cada, que alterna entre momentos cómicos e momentos emotivos.

O Método Kominsky tem argumento de Al Higgins, David Javerbaum e Chuck Lorre, que também realizou o primeiro episódio. Lorre, Higgins e Michael Douglas são os produtores executivos da série, que é produzida pela Chuck Lorre Productions, Inc. em associação com a Warner Bros. Television.

Esta nova série da Netflix irá estrear globalmente na plataforma de streaming no dia 16 de novembro.


 

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,360FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
653SeguidoresSeguir

Relacionados

Crítica – Mank

Mank é uma homenagem bonita de David Fincher a Citizen Kane, que deixaria o seu pai tremendamente orgulhoso. Tecnicamente perto da perfeição, mas com alguns problemas narrativos.

Crónica dos Bons Malandros. Série estreia na RTP a 2 de dezembro

Depois do livro e do filme, uma série de oito episódios. Marco Delgado, Maria João Bastos, Rui Unas, Joana Pais...

Crítica – Hillbilly Elegy

Hillbilly Elegy sofre com a sua narrativa formulaica presa num loop cansativo de cenas superdramáticas que escalam demasiado rápido.

Afinal, a sexta temporada de Prison Break não vai acontecer

Um retrocesso face ao que Dominic Purcell tinha dito em setembro.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Crítica – Mank

Mank é uma homenagem bonita de David Fincher a Citizen Kane, que deixaria o seu pai tremendamente orgulhoso. Tecnicamente perto da perfeição, mas com alguns problemas narrativos.

Fórmula 1 – Grande Prémio do Bahrain mostra a importância do Halo

O impressionante acidente que deixou o carro de Romain Grosjean em chamas relembra a importância do Halo e de todas as medidas de segurança na prova rainha do desporto automóvel.

Análise – The Pathless

Despido de excessos, The Pathless apresenta um dos mundos abertos mais convidativos e misteriosos à exploração.