NEOGEO Arcade Stick Pro – As lutas de arcada na nossa sala

Com a crescente popularidade das mini consolas, aliadas ao saudosismo e à presença cada vez mais forte do retrogaming, temos assistido ao regresso de várias marcas, consolas e videojogos há muito esquecidos pelo tempo. Depois da Nintendo, da SEGA e da PlayStation tentarem a sua sorte, também a SNK tem uma nova tentativa neste mercado em expansão com uma nova consola, em formato de arcade stick, que tenta ser o melhor de dois mundos, num pacote pensado para os fãs da marca e dos seus jogos de luta.

O NEOGEO Arcade Stick Pro é um dois em um que procura satisfazer os fãs da velha guarda, oferecendo uma experiência que tenta emular o melhor dos salões de arcada, com a mobilidade e destreza de um arcade stick. Esta combinação é o grande destaque da nova aposta da SNK, onde contamos com 20 jogos pré-instalados, um comando funcional e pensado para ser utilizado em separado, além de várias opções de personalização tanto dentro como fora dos videojogos.

Com um design inspirado no comando da NEOGEO CD, o Arcade Stick Pro capta automaticamente a nossa atenção através do seu design. É um comando dentro de um comando, uma homenagem de fãs para fãs que junta o melhor de dois mundos, tanto o legado da SNK nas arcadas, como a sua tentativa algo infortuna nas consolas domésticas. Mas este é um novo mundo e a SNK traz-nos agora um design muito simples, maioritariamente em branco, limpo e com as dimensões perfeitas para repousarmos as mãos. O posicionamento dos botões e do stick é confortável e ideal para as partidas rápidas e intensas dos jogos de lutas, com o peso da consola a dar-nos um equilíbrio essencial.

Para além dos oito botões principais, que se dividem por cores, a consola apresenta ainda vários extras e entradas. Podem contar com um botão de start, select e options, juntamente com entradas HDMI, USB-C e USB. Como a consola pode ser utilizada apenas como comando, está incluído um USB interno que podem ligar diretamente ao PC, sendo possível alternar, através de um interruptor, entre os modos Consola e Joystick.

Esta aposta na personalização mantém-se presente no mapeamento dos botões, que pode ser alterado em cada um dos 20 jogos disponíveis. Se quiserem mudar a posição dos botões, basta acederem às opções e escolherem a ordem que preferem, com a consola a gravar o novo layout. Mas não ficamos por aqui. É também possível mudar a qualidade de imagem e encontrar a que melhor se adequa aos vossos gostos, com várias opções que alteram a qualidade dos pixels ou adicionam efeitos de televisão com linhas horizontais e verticais. A estas opções, junta-se ainda o posicionamento do ecrã e a opção de esticarmos a imagem até ao seu limite. Há um pouco de tudo neste Arcade Stick.

Os botões e o Joystick são o grande destaque e, até certo ponto, funcionam perfeitamente, dando aos jogadores uma experiência clássica e nostálgica. O Joystick poderá não satisfazer os jogadores mais exigentes, onde ficámos com algumas reticências no que toca à sua durabilidade, mas os botões são funcionais e rápidos na resposta, com o seu posicionamento a ser confortável. Faltam-lhe aquele “click” das cabines antigas, aquele som satisfatório que associamos à experiência NEO GEO, mas nunca nos cansaram durante as horas em que testámos. São os melhores? Não, mas são perfeitos para a experiência que procura recriar e para o preço do NEOGEO Arcade Stick Pro.

A qualidade é visível, as opções de personalização são muito bem-vindas, mas saímos insatisfeitos. Isto porque o NEOGEO Arcade Stick Pro dá constantemente dois passos em frente e um atrás, oferecendo aos jogadores uma experiência sólida, mas repleta de problemas que deveriam ter sido resolvidos. A ausência de um cabo HDMI, por exemplo, é a primeira numa lista de falhas que foi crescendo à medida que fomos jogando.

Lista de jogos do NEOGEO Arcade Stick Pro

Os menus, apesar de intuitivos, são muito desinteressantes e mal desenhados, parecendo terem saído de uma consola falsa e de produção duvidosa. A qualidade é dúbia, com os fundos amarelados e o tipo de letra a saltarem automaticamente à vista pelas piores razões. O posicionamento dos botões de start e options não é intuitivo e vemo-nos muitas vezes à sua procura e a carregar nos botões que não queremos. A possibilidade de jogarmos no PC e na NEOGEO Mini é uma vantagem, mas o tamanho do comando acaba por condicionar as horas de jogo em frente a ecrãs mais pequenos.

Mas o grande problema é a lista de jogos. Com apenas 20 jogos incluídos, todos eles do género de luta, a longevidade do Arcade Stick Pro é encurtada, especialmente se o quiserem usar apenas como uma consola NEOGEO. Tendo em conta que se trata de emulação, não conseguimos compreender esta limitação, ainda mais quando olhamos para o catálogo impressionante da SNK. O que nos chateia ainda mais é que a consola tem uma opção para atualizar e adicionar mais jogos, o que nos faz ponderar sobre a possibilidade de venderem jogos à parte. Esperemos que não, que sejam atualizações gratuitas, mas nada justifica esta falta de conteúdos.

O NEOGEO Arcade Stick Pro é um produto pensado para os fãs da SNK que pouco entusiasmará aqueles que procuram um novo comando ou uma mini consola. É um lançamento estranho, pouco imaginativo, que tenta fazer mais do que aquilo que acaba por oferecer. Um produto com um fabrico de qualidade, mas cujo software é datado e nada apelativo. Se forem fãs de jogos de lutas, podem contar com alguns dos melhores King of Fighters, Fatal Fury, Samurai Shodown e World Heroes, mas não esperem por mais.

Dois passos em frente, um atrás e outro para o lado – assim é este NEOGEO Arcade Stick Pro.

O NEOGEO Arcade Stick Pro já está disponível e pode ser adquirido online em lojas como a da Amazon.

Este dispositivo foi cedido para análise pela SNK.

- Publicidade -

Sigam-nos

10,568FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
612SeguidoresSeguir

Relacionados

Análise – Streets of Rage 4

Um regresso ao passado que irá deliciar os fãs do género e da série clássica da SEGA.

Análise – The Last of Us Remastered

Não há melhor altura para (re)visitar The Last of Us como agora.

Crítica – The Great (1ª temporada)

A nova aposta de época da Hulu tem tudo para fazer justiça ao nome e ser mesmo fantástica.

Crítica – Hollywood

Todos os realizadores, no meio de dezenas de trabalhos, têm um em específico que define a sua carreira. Ryan Murphy e Ian Brennan podem ter conseguido o seu com Hollywood.
- Publicidade -

Mais Recentes

Nespresso tem novos cafés gelados em cápsulas à venda em Portugal

Está na altura de conhecerem a linha Barista Creations For Ice.

Halo 3 estreia-se no PC dia 14 de julho

Está na altura de terminar a luta, outra vez.

Ubisoft vai oferecer Watch Dogs 2 a quem assistir à sua transmissão

Um belo incentivo para assistir à Ubisoft Forward.