Receber em casa peixe fresco direto do mar? Sim, é possível

É uma parceria que junta a MercaChefe, DPD e AlémMar e entrega peixe fresco em qualquer lado, seja num monte alentejano, num escritório em Lisboa, num restaurante no Porto ou numa casa em Guimarães.

peixe fresco
Imagem meramente ilustrativa
- Publicidade -

Pela primeira vez, qualquer pessoa, restaurante ou retalhista, pode comprar online e receber na morada pretendida, em qualquer zona de Portugal, peixe fresco direto do mar, sem passar por retalhistas, peixarias, armazenistas e distribuidores. É o que prometem a MercaChefe, DPD e AlémMar, numa nova parceria que vai fazer as delícias dos apaixonados por peixe.

O funcionamento é simples. Primeiro que tudo, devem registar-se na MercaChefe. Concluído o registo, devem selecionar os produtos desejados na loja da AlémMar. Finalizado o pagamento, esta última empresa vai registar e receber a vossa encomenda de peixe, vinda dos mares da Costa de Sesimbra por traineiras e pescadores experimentados, que posteriormente levam o peixe para a lota de Sesimbra.

Seguidamente, a AlémMar vai pegar na quantidade e variedade de peixe encomendada e levá-la para o seu armazém, que fica a 100 metros da lota. Numa última fase, a encomenda é preparada em embalagens próprias e entregue à DPD, que garante a entrega em 24 horas em qualquer zona de Portugal Continental, seja num monte alentejano, num escritório em Lisboa, num restaurante no Porto ou numa casa em Guimarães.

Resta dizer que esta iniciativa marca a entrada da DPD no setor alimentar, na área dos frescos.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Pingo Doce chega pela primeira vez aos Açores

O sortido do espaço conta com muitos produtos regionais, fruto das parcerias feitas com 129 fornecedores dos Açores.

Continente abre primeira loja em Gouveia

Continua a expansão da marca da Sonae.

Lagoa dos Salgados será classificada como área protegida de âmbito nacional

Há 21 anos que, em Portugal, não era classificada nenhuma área protegida de interesse nacional.