Fórmula 1 – Grande Prémio de Portugal com vitória de Lewis Hamilton

A Fórmula 1 esteve de regresso a Portimão para o Grande Prémio de Portugal depois de, há um ano, Lewis Hamilton ter batido o recorde de Grandes Prémios ganhos. Este ano, sem recordes batidos, o piloto britânico soma a sua 97ª vitória.

Fórmula 1 Grande Prémio de Portugal
Foto: Formula1.com – Grande Prémio de Portugal

Esta semana tenho que começar pela qualificação. No sábado tudo parecia estar correr às mil maravilhas ao piloto finlandês da Mercedes AMG, Valtteri Bottas, após ter sido mais rápido que o colega de equipa e atual Campeão do Mundo, Lewis Hamilton, na Q3, e ter assim partido da pole position na corrida de domingo, em Portimão. Ideal para curar a dor de cabeça que deve ter trazido (que trouxe mesmo) do Grande Prémio de Emilia Romagna.

- Publicidade -

Mas bem, Lights Out, e os carros já se fazem ouvir em direção à primeira curva da primeira volta do Grande Prémio de Portugal, o segundo em terras algarvias. Tudo parecia correr bem a Bottas quando, após um bom arranque, consegue manter a posição e manter a P1 com Lewis e Max Verstappen logo atrás. Nos lugares de fora do pódio, destaque para o ganhar de uma posição de Carlos Sainz Jr. e Lando Norris, antigos colegas de equipa, que estavam agora em P4 e P6, respetivamente.

Parou tudo! Ou vá, abrandou. Um toque entre os dois carros da Alfa Romeo, no fim da primeira volta, fez com que Kimi Raikkonen perdesse a asa frontal do seu monolugar e ainda o resto da corrida, já que se ficou pelo fim da reta da meta. Fim da primeira volta e safety car está em pista, tal e qual como nos dois primeiros Grandes Prémios da temporada.

Fim da 6ª volta e a corrida está de volta. Valtteri Bottas com mais um bom arranque, e ao gerir bem o recomeço, consegue aguentar a P1. Quem não aguentou posição foi mesmo Hamilton, que perdeu a segunda posição para Max. No entanto, a festa do holandês pouco durou, já que, cinco voltas depois, o carro em P2 era novamente o de Lewis Hamilton. Depois disto… pouco aconteceu. Ah esperem, Bottas deixou de sonhar e foi passado por Lewis durante a 20ª volta.

Volta 30 e, depois de algumas paragens nas boxes, a alteração que me parece digna de destaque até aqui é o facto de Norris estar à frente de Sainz Jr. depois de ambos terem feito a sua pit stop. Boa estratégia da Mclaren e Ferrari, a parecer que está de volta às decisões fantásticas de 2020. BB, como quem diz “Bem Binotto”.

Norris continua a segurar os Ferrari, que estão por esta altura em P9 e P10, e Max faz a sua pit stop. Uma volta depois, é altura de Valtteri Bottas que consegue, depois de uma excelente paragem, sair à frente do Red Bull e ficar assim em P3. Mas a festa pouco durou, já que os pneus mais frios não ajudaram na tentativa de defender o lugar, e Max lá conquistou o P3, na altura atrás do seu companheiro de equipa, Sergio Pérez, e de Lewis Hamilton, ambos ainda sem paragens.

Logo depois para Lewis, saindo atrás do mexicano da Red Bull que, sem paragens, aguenta uma P1 que, com o passar das voltas, mais parece uma espécie de travão ao 44 da Mercedes do que uma tentativa de acabar no pódio.

O tempo entre os dois vai ficando cada vez mais curto. Nikita Mazepin e o seu Haas não ajudam, já que o piloto russo ignorou uma blue flag e fechou a porta ao Red Bull enquanto este o tentava dobrar (Nikita não fez spin, mas não se safou de cinco segundos de penalização depois da graçola).

Vamos passar à frente. Numa altura em que a animação está na luta pelos últimos lugares pontuáveis e que faltam, qualquer coisa como, 15 voltas para o fim do Grande Prémio de Portugal, Pérez lá decide parar (não sem antes ter sido ultrapassado por Lewis Hamilton que até pensou que o estava a dobrar) e sai das boxes em P4… Adeus pódio.

Oito voltas para o fim. Parece tudo decidido. Com distância suficiente para ter uma paragem “de borla”, Bottas calça pneus macios e tenta a volta mais rápida. Depois disto, Max vai pelo mesmo caminho e apenas Lewis fica de volta como quem diz “volta mais rápida para quê? Se ganhar sempre não preciso desse ponto”.

Volta 65 e Bottas consegue o roxo.

Volta 66 e Max bate os 1:32.090 de Bottas.

Fim da corrida e a FIA elimina o tempo de Max por este ter ultrapassado os limites da pista.

Por fim, há que destacar a P11 de Sainz Jr., que perdeu o lugar na última volta para o AlphaTauri de Pierre Gasly, e ainda o quinto lugar de Lando Norris. O jovem piloto britânico continua a dar cartas na Fórmula 1 e mantém o terceiro lugar no campeonato de pilotos atrás de Max Verstappen e Lewis Hamilton. Um Grande Prémio de Portugal com pouca emoção, mas que fica para a história como o primeiro de 2021 com os dois carros da Williams a acabar a corrida.

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 10 por pilotos

PosiçãoPilotoEquipaPontos
1Lewis HamiltonMercedes69
2Max VerstappenRed Bull Racing Honda61
3Lando NorrisMclaren Mercedes37
4Valtteri BottasMercedes32
5Charles LeclercFerrari28
6Sergio PérezRed Bull Racing Honda22
7Daniel RicciardoMclaren Mercedes16
8Carlos SainzFerrari14
9Esteban OconAlpine Renault8
10Pierre GaslyAlphaTauri Honda7

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 5 por equipas

PosiçãoEquipaPontos
1Mercedes101
2Red Bull Racing Honda83
3Mclaren Mercedes53
4Ferrari42
5Alpine Renault13
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Fórmula 1 – Grande Prémio do Qatar leva Alonso ao pódio. Sim, Hamilton ganhou e a emoção continua

Lewis Hamilton conseguiu a pole para o Grande Prémio do Qatar e Max Verstappen até conseguiu o segundo lugar na grelha de partida. No entanto, a FIA decidiu intervir...

Fórmula 1 – Grande Prémio de São Paulo: Três dias que mostraram porque é que Hamilton é sete vezes campeão do mundo

Desta vez era o público brasileiro que enchia as bancadas do Autódromo José Carlos Pace em Interlagos, São Paulo. E que espetáculo que presenciaram. Lewis Hamilton conseguiu mostrar, no Grande Prémio de São Paulo, o porquê de ser sete vezes campeão do mundo. Depois de uma desqualificação na qualificação para a Sprint e uma penalização de cinco lugares para a corrida, conseguiu acabar 10 segundos à frente do líder do campeonato, Max Verstappen.

Fórmula 1 – Grande Prémio Cidade do México reforça liderança de Max Verstappen e leva Pérez ao pódio

Com o público mexicano a encher as bancadas para o Grande Prémio Cidade do México foi a Red Bull que saiu vencedora. Depois de uma qualificação, dominada pela Mercedes, com momentos menos bonitos da equipa Austríaca Max Verstappen conseguiu subir ao lugar mais alto do pódio, seguido de Lewis Hamilton e do piloto da casa, Sergio "Checo" Pérez.

Fórmula 1 – Grande Prémio dos Estados Unidos foi uma das melhores corridas do ano

Com Max Verstappen a partir da pole position, mas depressa a perder a liderança da corrida para Lewis Hamilton, logo se percebeu que o Grande Prémio dos Estados Unidos ia ter emoção. No fim, com a vitória do piloto da Red Bull e a volta mais rápida para o piloto da Mercedes, posso-vos dizer que foi uma das melhores corridas do ano... faltam cinco.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Vodafone disponibiliza 5G a título experimental a todos os clientes

A todos os clientes e em todos os tarifários, importa salientar.

Cinco empresas já têm licença para explorar o 5G em Portugal

Só falta a MEO, que ainda não fez o pagamento.

Passageiros de voos internacionais terão de apresentar um teste negativo no momento do embarque (além do certificado digital) para Portugal

Se este teste não for apresentado, o passageiro pode não embarcar e as companhias áreas ficam sujeitas a coimas.