Fórmula 1 – Grande Prémio de Emilia Romagna com emoção até à última volta

Depois de 15 dias de pausa, a prova rainha do desporto automóvel está de regresso para o Grande Prémio de Emilia Romagna, em Itália. Uma prova cheia de emoção onde a vitória foi saboreada por Max Verstappen, os dois Williams acabaram no muro e o sete vezes campeão do mundo cometeu um erro que quase lhe custava a liderança do Campeonato do Mundo de Fórmula 1.

Grande Prémio de Emilia Romagna
Foto: Formula1.com – Grande Prémio de Emilia Romagna

Que fim de semana para os fãs de F1! Após receberem a notícia que Miami passará a receber uma prova do Campeonato do Mundo de Fórmula 1, pelo menos durante 10 anos, a partir de 2022, nem foi preciso esperar pelo apagar das luzes em Itália, na segunda corrida da temporada de 2021, para ter emoção. Bem antes de começar, já se sabia que íamos ter chuva durante uma boa parte da corrida, algo que levou as equipas a alterar as estratégias planeadas durante o treino e qualificação de sábado.

- Publicidade -

Para além disto, problemas nos Aston Martin levavam Sebastian Vettel a partir da pit lane e, mais tarde, até a levar uma penalização de 10 segundos por não ter os pneus no sítio antes da marca de cinco minutos para o começo do Grande Prémio de Emilia Romagna.

Lights out, como se diz em Inglês, e estamos prontos para a corrida. Primeira volta e Max Verstappen tem um arranque divinal o que o leva a batalhar, roda com roda, com Lewis Hamilton que, após um toque, acaba por ficar com problemas na asa frontal do seu W12. Enquanto isto ia acontecendo na frente da corrida, lá mais para trás Nicholas Latifi dava um pião e caía para penúltimo. O canadiano da Williams só piorou a sua situação ao entrar na pista, acabando por bater com Nikita Mazepin e, por consequência, num dos muros de Imola.

Todos estes encostos no espaço de volta e meia, se tanto, levaram à entrada do Safety Car que, por sua vez, levou a que Mick Schumacher tivesse necessidade de dar umas curvas mais agressivas para levar os pneus a aquecer… tanta foi a agressividade que o alemão da Hass foi contra o muro e ficou sem asa frontal durante umas voltas, já que, graças ao seu acidente, a pit lane ficou mesmo fechada.

Safety Car de volta à pit lane e, na volta 8, Max já ganhava quatro segundos a Lewis Hamilton. Charles Leclerc lutava pelo terceiro lugar e uma batalha fantástica ia acontecendo entre Lando Norris, Pierre Gasly, Carlos Sainz e Lance Stroll pela 6ª à 9ª posição, com Valtteri Bottas a fechar os lugares pontuáveis nesta altura da corrida. No entanto, Gasly não conseguia aguentar o seu carro e começava a perder posição atrás de posição, muito por culpa da escolha da AlphaTauri em começar com pneus “full wet”, em vez dos intermédios que grande parte dos carros estava a calçar na altura.

Grande Prémio de Emilia Romagna
Foto: Formula1.com – Grande Prémio de Emilia Romagna

Toque aqui, toque ali, saída aqui, saída ali e está, finalmente, na altura de Pierre Gasly ir trocar de pneus para deixar de perder posições. Com tudo isto, George Russell, piloto britânico da Williams, estava em P10, a última posição pontuável, e Sergio Pérez, da Red Bull, já tinha 10 segundos de penalização (stop and go) por ultrapassar durante o período de safety car (isto após ter perdido posição ao sair de pista durante este mesmo período… uma confusão).

Entretanto, Daniel Ricciardo ouve pelo rádio de equipa que tem que ceder posição a Lando Norris, já que o britânico, que acabaria em terceiro lugar, ia com melhor ritmo que o australiano. Com o circuito a secar, existem cada vez mais pilotos a meter médios, o que leva a que os dois da frente (Max e Lewis) também parem para trocar de composto com o holandês a sair na frente.

Hamilton gosta de ganhar, e isto faz com que leve o carro ao limite a cada curva para, assim, ganhar tempo ao Red Bull que está à sua frente. Tanto foi o esforço que acabou por ir em frente numa das curvas, dar um toque no muro e ter que parar (novamente) para trocar de asa frontal. Em 9º e com uma volta de atraso, o trabalho ia ser muito para conseguir chegar ao pódio… não fosse um deslize (literalmente) de George Russell.

O deslize literal de George Russell fez com que o seu carro fosse contra o de Valtteri Bottas no fim da “reta da meta” e, por consequência, fossem ambos contra o muro depois do embate a qualquer coisa como 300km/h. Ambos os pilotos saíram do acidente, que levou a uma bandeira vermelha e paragem da sessão, com feridas apenas no ego… tudo está bem quando acaba bem.

Ego ferido à parte, quem ganhou com tudo isto foram os carros que já levavam uma volta de atraso, Hamilton incluído, que tiveram assim, no recomeço da sessão, um “free pass”, e voltaram à corrida na mesma volta do líder. A partir daí, Hamilton foi a voar baixinho até chegar onde queria, o pódio e a volta mais rápida.

Enquanto Hamilton ia voando, Verstappen estava em ritmo de passeio e Lando Norris lutava com os dois pilotos da Ferrari para manter o seu McLaren no segundo lugar. Esta luta para o segundo lugar durou até que o carro atrás deixou de ser vermelho e passou a ser um dos agora não tanto “Silver Arrows”… aí o jovem Lando conseguiu aguentar apenas umas voltas até que perdeu o segundo lugar para Sir Lewis Hamilton a quatro voltas do fim.

Grande Premio de Emilia Romagna Mclaren
Foto: Formula1.com – Grande Prémio de Emilia Romagna

A partir deste ponto, na frente foi apenas trabalho de gestão, com Max a gerir o primeiro lugar, Hamilton o segundo e Lando o último do pódio. Esteban Ocon, piloto da Alpine, foi o último carro a pontuar num top 10 onde estiveram oito construtores diferentes. Faltou apenas a Williams, que acabou com dois DNFs, e os Hass, que acabaram como os Williams estavam habituados a terminar… destacados em último com duas voltas de atraso.

Contas feitas após o segundo Grande Prémio da temporada de Fórmula 1, temos o primeiro lugar a ser mantido por Lewis Hamilton (graças ao ponto de volta mais rápida com 1:16.702), seguido de Max Verstappen em segundo e Lando Norris em terceiro lugar. Por fim, deixar uma menção honrosa à P4 e P5 dos dois Ferrari, que colocam assim a Scuderia em 4º lugar no campeonato de construtores.

Voltamos à conversa daqui a 15 dias, em Portimão, para o Grande Prémio de Portugal.

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 10 por pilotos

PosiçãoPilotoEquipaPontos
1Lewis HamiltonMercedes44
2Max VerstappenRed Bull Racing Honda43
3Lando NorrisMclaren Mercedes27
4Charles LeclercFerrari20
5Valtteri BottasMercedes16
6Carlos Sainz Jr. Ferrari14
7Daniel RicciardoMclaren Mercedes14
8Sergio PérezRed Bull Racing Honda10
9Pierre GaslyAlphaTauri Mercedes6
10Lance StrollAston Martin Mercedes5

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 5 por equipas

PosiçãoEquipaPontos
1Mercedes60
2Red Bull Racing Honda53
3Mclaren Mercedes41
4Ferrari34
5AlphaTauri Honda8

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Fórmula 1 – Grande Prémio da Estíria com vitória esmagadora de Max Verstappen

Quase um ano depois estamos de volta à Áustria, desta vez para o Grande Prémio da Estíria, para ver o Red Bull de Max Verstappen a ter uma vantagem soberba sobre o segundo classificado, Lewis Hamilton.

Fórmula 1 – Grande Prémio do Azerbaijão – Animação até ao fim graças à Pirelli

Mais um fim de semana de Fórmula 1, desta vez para o Grande Prémio do Azerbaijão, e mais um fim de semana de emoções fortes, mas desta vez graças à má qualidade dos pneus Pirelli.

Fórmula 1 – Grande Prémio do Mónaco: Max Verstappen no lugar mais alto do pódio

Dois anos depois a Fórmula 1 esteve de volta às ruas do principado para um Grande Prémio do Mónaco onde, como habitual, a estratégia é essencial...

Fórmula 1 – Grande Prémio de Espanha: Lewis Hamilton ganha na estratégia

Depois de na qualificação de sábado ter conquistado a sua 100ª pole position, usou a melhor estratégia da Mercedes para vencer o Grande Prémio de Espanha e ficar assim apenas a duas vitórias de subir, também, pela 100ª vez ao lugar mais alto do pódio na Fórmula 1.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

LENNA. Nova marca aposta em sapatos vegan, sustentáveis e feitos em Portugal

Na verdade, trata-se de uma fusão entre alpercatas e ténis. E é bem provável que tenhamos aqui a sensação do verão.