Estivemos Praticamente Estáveis em Leiria, com Hugo Sousa

- Publicidade -

Aconteceu, na passada terça-feira, a segunda atuação da nova tour do humorista, e o Echo Boomer não pode deixar de estar presente.

Na passada terça-feira, dia 27 de setembro, Hugo Sousa passou pelo palco do Teatro José Lúcio da Silva, em Leiria, com a segunda data da tour Praticamente Estável, e o Echo Boomer esteve presente, como fãs de stand up comedy que somos.

Agora, com o mínimo de spoilers possível, podem ler a nossa opinião acerca da nova tour do humorista do Porto.

Faltava ainda cerca de meia hora para a abertura de portas, e já muitas eram as pessoas na rua, junto ao edifício. Isto anunciava o que acabou por se confirmar: um teatro esgotado para ver stand up comedy. As portas abriram e rapidamente a sala encheu. Ouviu-se o “tum tum tum, tum tum tum tum” que toda a gente conhece, e a voz de Hugo Sousa, que ecoou pelo espaço, deixando alguns recados ao público e que dava início ao espetáculo.

Passadas estas formalidades, a primeira surpresa da noite: o open act da noite foi Afonso Paiva, humorista de Coimbra que, no fim da sua atuação, não deixou dúvidas do porquê de ser considerado uma das promessas do humor português. Com um texto consistente e com a ajuda de algumas personagens bem conhecidas, conseguiu puxar pelo público que estava, inicialmente, difícil de agradar. Arrancou gargalhadas com as suas imitações do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com a entoação do Big, a voz do reality show Big Brother, ou com a curta participação de Ljubomir Stanisic, entre outras, ato que o tornou conhecido na sua passagem pelo Got Talent Portugal. Por último, revelou a ideia milionária que, na sua opinião – e, sejamos honestos, na de todos os presentes – , deveria ocupar as noites da televisão generalista, ao mesmo tempo que destruía a infância a uma sala cheia. Deixamos o aviso: vários momentos ao longo do espetáculo irão contribuir para que tenham a vossa infância destruída e para possíveis traumas.

Ao entrar Hugo Sousa em palco, o público foi ao rubro com uma enorme salva de palmas.

O humorista – agora ator de novelas – desenvolveu um texto de cerca de uma hora à volta dos acontecimentos da sua vida, nos últimos dois anos, os chamados Anos COVID. Foi pai, é verdade, e agora já tem uma filha de dois anos que, pelo que nos conta em Praticamente Estável, o deixa bastante instável. Não especificamente a filha, mas principalmente por já não ter férias ou dormir uma noite descansado há muito tempo. E acreditem que deixou o público preocupado… Não com o facto de não dormir, mas sim porque o texto que escreveu o obrigou a olhar por cima do ombro para ver se estava a ser espiado pela mulher, ou se era seguro continuar o espetáculo – o público do Porto poderá ter uma surpresa…

Com passagem pelas férias calmas que já não tem, e pelas situações passadas durante o confinamento, Hugo Sousa, o artista Hugo Sousa (quando forem ver, irão perceber a referência…), chegou à parte em que fala da sua experiência em televisão, na novela Festa é Festa – como foi o convite, como são as gravações e as consequências de, agora, ser um famoso das novelas.

Por último, lembram-se de termos falado em “possíveis traumas”? José Castelo-Branco é um convidado especial, com direito a um bit dedicado a si, bit esse que deixou muita gente traumatizada. Também o bit final, uma viagem à infância do humorista, traumatizou o público, mas, acima de tudo, revela-nos o porquê de Hugo Sousa ser como é.

Um espetáculo que vale a pena ver, ainda com passagem por Lisboa (1 de outubro), Guimarães (7 de outubro), Viseu (14 de outubro), Coimbra (15 de outubro), Porto (21 de outubro), Aveiro (27 de outubro), Funchal (4 de novembro), Braga (12 de novembro) e Póvoa de Varzim (25 de novembro).

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes