Concertos e festivais reagendados não dão direito a reembolso, diz a Ministra da Cultura

Ora aqui está algo que promete causar polémica. São milhares as pessoas que, antes de tudo isto da COVID-19 surgir, iam adquirindo bilhetes para concertos, espetáculos e festivais de verão.

- Publicidade -

Com o coronavírus em força e sem dar sinais de desaparecer daqui a uns tempos, muitos são os eventos que, inevitavelmente, ou foram reagendados ou cancelados. E se quando acontece um cancelamento o reembolso é garantido, no caso de reagendamento as coisas não são bem assim.

festivais

Quem o diz é Graça Fonseca, Ministra da Cultura, que, em entrevista à SIC Notícias, fez questão de referir que “quando for possível o reagendamento, não há direito à devolução do valor do bilhete, se quiser. Há uma substituição ou seja, o bilhete mantém-se válido”. Estas declarações baseiam-se no Decreto-Lei n.º 10-I/2020.

“Se eu comprar um bilhete para um festival, o festival não se realizou em março e se se realizar, vamos admitir, em julho ou setembro, o meu bilhete é válido. Em caso de cancelamento, as pessoas têm direito ao reembolso do valor do bilhete”, acrescentou Graça Fonseca na mesma entrevista.

A ministra da Cultura lembrou ainda que a cultura “foi o primeiro setor a parar”.

Imaginemos aqueles casos em que alguém comprou um bilhete para um festival longe da sua morada de residência. Isso implica deslocações, estadias e, claro, o bilhete para o evento em questão. Há gente que já perdeu ou vai perder dinheiro devido a muitos dos locais terem uma política de não devolução.

Ou seja, as pessoas estão agora dependentes da boa vontade dos promotores. Apesar de não serem obrigados a proceder ao reembolso do montante gasto, podem sensibilizar-se com as diversas situações de cada um e, por exemplo, criar uma plataforma onde é permitida a revenda de bilhetes, um pouco como irá acontecer com o Boom Festival.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Eventos-teste acontecem em Braga no final de abril

Foi o que disse a Ministra da Cultura, Graça Fonseca, em entrevista à SIC.

Vai ser possível pedir reembolso este ano de espetáculos e festivais previstos para 2020, mas que foram adiados para 2022

O decreto-lei hoje aprovado prevê ainda a possibilidade da realização de eventos teste-piloto ao longo do ano.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Crítica – The Last Duel

The Last Duel é um drama original e cativante que nos surpreende e nos deixa intrigados com o conflito no ecrã.

Shadow Corridor – Bem vindos ao Tédio

Um jogo de terror demasiado preso à sua fórmula que só é indicado para os amantes de sustos fáceis.

Dicas para reduzir a pegada ambiental

Querem ter uma atitude mais proativa e têm como meta reduzir a vossa pegada ambiental, ao mesmo tempo que poupam na fatura?