Câmara Municipal de Torres Novas aprovou cerca de 30 medidas de combate à crise energética

- Publicidade -

Serão aplicadas em edifícios e equipamentos municipais, além de espaços públicos.

Após a aprovação do orçamento para 2023, a Câmara Municipal de Torres Novas aprovou na passada quarta-feira, dia 7 de dezembro, um conjunto de medidas de combate à crise energética, que procuram dar cumprimento ao Plano de Poupança de Energia 2022-2023. Foram aprovadas por unanimidade em reunião ordinária privada e serão implementadas em equipamentos municipais e espaços públicos.

A lista de medidas a tomar é vasta e desenvolve-se em torno de cinco eixos principais: iluminação pública; energia nos edifícios públicos; eficiência hídrica nos espaços públicos; mobilidade; informação e sensibilização. Segundo comunicado oficial, o objetivo é “dar resposta às preocupações ambientais (contribuindo para a mitigação das alterações climáticas), bem como à crise energética que tem originado dificuldades e perturbações no mercado mundial de energia“.

No que diz respeito à iluminação pública, o município prevê reduzir em 25% a utilização desta através do ajuste dos horários de funcionamento da mesma (20 minutos após o pôr do sol e até 60 minutos antes do nascer do sol, ou até às 23h, no caso de monumentos). Desligar uma unidade de iluminação nas luminárias duplas, assim como a iluminação nas rotundas e o funcionamento elétrico das fontes, é outra das medidas adotadas. Considerando a época natalícia, a iluminação festiva funcionará entre as 17h30 e as 23h.

No que toca aos edifícios públicos, as medidas são as seguintes: será desligada a iluminação e os equipamentos nos edifícios do Município, sempre que o espaço não esteja em uso e após o horário de trabalho, e será promovida uma maior utilização de luz natural, reduzindo a iluminação acesa, sempre que possível. A Câmara Municipal promete a promoção a nível local da eletricidade através de sistemas de aproveitamento de fontes de energia renovável, além da continuação de investimentos relacionados com a eficiência energética dos edifícios públicos.

Garantida está a continuação da substituição da iluminação pública e do interior de espaços públicos por iluminação de tecnologia LED de alto desempenho energético.

Em relação à temperatura dos edifícios públicos, em espaços com sistema de climatização ligado, torna-se imperativo portas e janelas fechadas e será desligado o aquecimento em espaços vazios, corredores, átrios, vestíbulos ou escadas de edifícios/escritórios públicos; e haverá uma regularização das temperaturas dos equipamentos de climatização interior tanto no inverno, como no verão, considerando valores mínimos e valores máximos. Na sequência da empreitada para obras de eficiência energética, as Piscinas Municipais Fernando Cunha estão encerradas há cerca de 4 meses, prevendo-se a reabertura até ao fim deste ano.

Nos espaços públicos, em foco esteve a eficiência hídrica dos mesmos: prevê-se continuar a redução dos horários de rega, além da promoção da instalação de sensores de humidade nos espaços verdes e da plantação de espécies com baixa necessidade de rega. Além destas medidas, serão realizadas 22 auditorias de eficiência hídrica em edifícios públicos.

Muito se fala da mobilidade nos últimos tempos, e o município torrejano revelou preocupar-se com este campo. Como já tem sido recorrente no concelho, é recomendado o uso de transportes públicos, estando apontado no orçamento a possibilidade da gratuitidade dos mesmos. Será, também, instalado um sistema de bicicletas elétricas BUTE – não se sabe, no entanto, se fará parte do sistema de bicicletas de uso partilhado, falado há mais de um ano. No que diz respeito à parte municipal, será promovida a utilização em pequenas deslocações dos funcionários municipais de trotinetes elétricas, além de estar prevista a aquisição de mais três viaturas elétricas para a frota municipal.

No comunicado, a Câmara torrejana também procura informar e sensibilizar os munícipes para as questões ambientais, com pequenos gestos que todos podemos fazer: utilizar de forma eficiente aparelhos elétricos e eletrónicos (exemplos são desligar equipamentos em standby fora dos momentos de uso ou usar as escadas em vez do elevador) ou restringir a temperatura interior através da gestão dos sistemas e medidas de conforto adaptativo. No campo da sensibilização, serão realizadas várias ações: uma campanha de comunicação e sensibilização para diferentes públicos-alvo, visando a redução do consumo de energia e água; a atualização dos Planos Nacionais/Locais de Energia e Ação Climática; um estudo para instalação de uma comunidade de energia renovável (CER) nos edifícios públicos; e o desenvolvimento do Plano Municipal de Ação Climática.

Por último, será lançado um desafio às escolas públicas do município, com o nome Escola que Reduz, cujoo objetivo será reduzir os consumos de água, energia e resíduos. Os prémios serão a comparticipação do município na aquisição de material para as escolas.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes