Análise – Worms Rumble

As minhocas mais famosas dos videojogos estão de volta num jogo diferente, mas surpreendentemente divertido.

analise worms rumble
- Publicidade -

Ao longo de duas décadas e meia, a série Worms tem tentado reinventar-se com novas formas de se jogar, apresentando também diferentes perspetivas. Porém, até agora, algo que não tinha mudado muito era a sua jogabilidade por turnos e a tendência em regressar às origens com jogos em perspetiva 2D, mesmo depois de várias tentativas nas três dimensões.

Worms Rumble é o mais recente jogo da saga, tentando reinventar-se com um novo registo e uma perspetiva familiar, mas com as mecânicas que respondem às tendências atuais dos videojogos, ao mesmo tempo que promete tornar as sessões de guerra mais sociais e ativas. Jogabilidade por turnos pela janela fora, agora as batalhas são em tempo real.

Com a nova aposta da Team 17, a série Worms aposta exclusivamente no combate online com modos de jogo inspirados na tendência dos Battle-Royales e Arena Shooters, bem como numa progressão a nível de personagens e armas que vão melhorando e ganhando novas formas, pelo que podemos personalizar tudo isso à medida que vamos aumentando as nossas horas de jogo.

Com três modos de jogo principais, Deathmatch, Squads e Last Worm Standing (o tal Battle-Royale), Worms Rumble expande-se numa direção 100% online e multijogador, ao mesmo tempo que simplifica e limita as possibilidades de jogos anteriores, onde podíamos criar cenários sádicos para as nossas minhocas ou progredir em campanhas compostas por desafios e níveis variados.

Em Worms Rumble, toda essa vertente é substituída por um formato Game as a Service (GaaS) com eventos e desafios, diários e sazonais, que ainda não estão totalmente disponíveis no momento de escrita desta análise, exceto pelos desafios diários propostos ao jogador.

Com uma área de Treino, os jogadores podem experimentar o leque de armas à disposição e testar a jogabilidade de Worms Rumble, que mistura elementos dos jogos 2D tradicionais, com foco na física dos saltos e balanços com o grappling hook, mas com uma velocidade de jogo muito mais rápida e um sistema de tiro muito reminescente de um My Friend Pedro, mas sem o sistema de slow motion. Esta foi a sensação que me deu logo no início e me ajudou a entrar no jogo de forma natural e imediata, pois quando a guerra começa online não há tempo para respirar.

A atenção aos arcos dos arremessos, tiros e bazucas já não faz parte da equação e, durante o combate, tal como um jogo de tiro tradicional, mesmo os da primeira pessoa, convida-nos a explorar o mapa o mais depressa possível, apanhando qualquer arma que nos aparece à frente para derrotarmos o maior número de inimigos possíveis. É simples, frenético e viciante.

Com níveis detalhados, cheios de atalhos, caminhos alternativos e oportunidades para ter encontros entre tiros e coberturas, as habilidades entre jogadores, dos mais avançados aos mais novatos, quase não se fazem sentir, dando uma oportunidade de vitória equilibrada a qualquer um. Ao longo das batalhas, é possível estar constantemente no topo ou no fim da tabela, porque nem a melhor arma é o suficiente para resolver os encontros imediatos entre minhocas.

Quando mais jogarmos e quanto melhor for o nosso desempenho, mais oportunidades temos para subir de nível e o nível das nossas armas, que se tornam mais eficazes e ganham novas skins de personalização para tornar as novas minhocas mais distintas e únicas.

Disponível para PC e PlayStation, Worms Rumble conta com funcionalidades crossplatform, o que significa que todos os jogadores se podem encontrar nos mesmo servidores, algo que pode dar vantagem aos jogadores de PC, que jogam com teclado e rato, onde a mira durante os disparos é muito mais precisa e imediata do que quando usada com um comando de consola.

A nova aposta da Team 17 é, sem dúvida alguma, muito interessante, mas pode não ser o que a série precisava. No fim do dia, Worms Rumble parece mais um spin-off do que uma sequela dos jogos do passado, o que nem é uma má crítica, de todo, já que a série sempre tentou algo de novo.

Contudo, o foco a 100% no multijogador faz com que Worms Rumble vá depender sempre de uma população online, o que faz com que a febre e vontade em explorar apenas três modos disponíveis desapareça rapidamente.

Com um lançamento sólido e uma base de mecânicas bem interessante, resta agora saber que surpresas a equipa da Team 17 irá trazer para cima da mesa para manter a chama viva e aliciar novos jogadores.

Worms Rumble está disponível para PC e é durante o mês de dezembro oferta do PS Plus para PlayStation 4 e PlayStation 5.

Nota: Bom

Plataformas: PC, PlayStation 4 e PlayStation 5
Este jogo (versão PC) foi cedido para análise pela Team 17.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,792FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
656SeguidoresSeguir

Relacionados

The Last of Us Part II é o jogo mais galardoado de sempre com prémios de Jogo do Ano

O jogo da Naughty Dog ultrapassou The Witcher 3 por apenas um prémio.

Análise – Microfone Trust GXT 259 Rudox

Qualidade, versatilidade e conforto são as palavras de ordem na nova aposta da Trust para o mercado dos podcasts e streaming.

Análise – MXGP 20

Progressão e carreira desapontantes num jogo de corridas divertido.

As novas promoções da PlayStation Store são de jogos a menos de 20€

Uma ótima altura para se lançarem em alguns dos melhores jogos para PlayStation.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Tomb Raider e King Kong serão as próximas personagens adaptadas para anime pela Netflix

A gigante do streaming agarra mais duas grandes propriedades para adaptar.

Este ano, todas as estreias da Warner Bros. vão estrear em formato digital

Alguns dos maiores blockbusters de 2021 chegam ao cinema e ao HBO Max.

Vem aí o reboot de Spy Kids

E traz de volta Robert Rodriguez, criador da saga original.