Análise – Razer Huntsman

Há um novo teclado para jogadores no mercado. É da Razer e promete ser o teclado mais avançado neste momento. E não é para menos. Esqueçam os teclados mecânicos, agora temos os teclados opto-mecânicos com a nova linha Razer Huntsman.


- Publicidade -

Disponível na sua versão normal e na versão Elite, recebemos a versão mais modesta para análise e, numa primeira impressão, gostámos do que vimos.

Mesmo com a falta de uma base de apoio, da faixa de iluminação que abraça a base ou dos controlos multimédia existentes na versão Elite, o Razer Hunstman normal é dos teclados da marca mais bonitos do catálogo.

O Razer Huntsman é, basicamente, uma placa de alumínio com teclas. A sua simplicidade é altamente apetecível, especialmente para quem tem gosto pelo minimalismo.

42267708135 68b9895e7d o

Com uma disposição de teclas semelhante a outros teclados da Razer, o Hunstman mantém o teclado numérico nos seus dois modelos e todas as teclas são destacáveis, revelando aquilo que realmente importa – os seus novos switches.

Os teclados da Razer são conhecidos pelos seus switches mecânicos super-rápidos e pela sensação de clique extremamente satisfatória em cada uma das teclas. Com o Huntsman, a Razer quis reinventar o switch mecânico e apresenta os switches opto-mecânicos. A diferença? Maior rapidez de leitura de ações.

Isto é conseguido através dos novos sensores de infravermelhos que detetam o clique muito mais rapidamente e que eliminam a necessidade de um contacto físico para dar sinal da atuação das teclas, tornando o Hunstman num teclado 30 vezes mais rápido que os tradicionais mecânicos.

Uma vez que existe menos contacto físico entre os componentes, há também outra vantagem: o Razer Huntsman promete uma longevidade muito maior – cerca de 100 milhões de cliques -, pois o desgaste não é tão grande.

A qualidade de construção deste teclado também não desilude. Apesar de não ter muito que se lhe diga a nível de design, sente-se que é algo robusto e sólido.

Na traseira temos borrachas antiderrapantes, que, em conjunto com o peso da base de alumínio, não deixa que este fuja.

As teclas são altas, bem distribuídas e apresentam uma ligeira curvatura que é bastante agradável ao toque. Quem está habituado a escrever não terá dificuldade em adaptar-se ao teclado e os jogadores terão sempre os seus atalhos nos sítios certos.

42454032994 47b8f95ffc o

A sensação de clique é, mais uma vez, impecável, e, ainda que seja difícil medir e sentir a ultra rapidez dos novos switches, é fácil sentir a rápida resposta de clique, seja em que situação for. Escrever ou jogar neste teclado é muito satisfatório. Infelizmente, a experiência não é cem por cento perfeita.

O Razer Huntsman é barulhento. Muito barulhento. Estamos a falar de quase 70db por clique, segundo as nossas medições. Se não viverem sozinhos ou usarem este teclado perto de outras pessoas, pode ser um problema. Mesmo usando um par de auscultadores, é possível ouvir-se o clique das teclas. E isto é uma pena, porque é tão satisfatório que a nossa própria utilização torna-se inconscientemente mais rápida e, por arrasto, mais barulhenta. Acaba por ser estranho o Huntsman fazer tanto barulho quando, na teoria, os novos switches deveriam possibilitar uma experiência mais silenciosa.

Outro problema tem a ver com este modelo em específico. O Razer Huntsman Elite, para além de algumas adições úteis como controlos multimédia e decorações de iluminação extra, inclui um belo de um apoio de repouso.

Aqui, este apoio ficou de fora,e isso faz-se sentir. É uma pena, até porque a Razer tem uma das melhores bases de repouso no seu Razer Blackwidow Chroma V2.

O Razer Huntsman é um teclado alto e as suas teclas são também elas bem altas, o que pode criar desconforto mesmo ao fim de pouco tempo de utilização se não tivermos algo para repousar os pulsos.

42454033104 07313bde41 o

Como é habitual, a Razer inclui aqui suporte do Chroma, que funciona na perfeição com a luz a sair dos caracteres e por baixo das teclas. Já com a aplicação Synapse é possível criar diferentes perfis de utilização com diferentes atalhos ou, até, trocar algumas teclas de posição e função.

Se a velocidade da luz se faz sentir no Razer Hunstman, a verdade é que é difícil de ter essa perceção. No entanto, assim que o começamos a usar, é fácil perceber que estamos sob algo novo. A utilização é satisfatória e viciante, mesmo com todo o ruído que produz.

Para um teclado gaming, o Hunstman normal é um teclado básico, mas a Razer faz questão de nos deixar configurar e personalizar o periférico de modo a podermos tirar total partido dele. Só é pena que, pelos 159,99€ que ele custa na loja da Razer, não inclua nenhum tipo de base de repouso, uma vez que, para além de caro, não se pode dizer que seja bom usá-lo durante longos períodos de tempo.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Age of Empires IV – Como as aulas de história podiam ser dadas

A aclamada série de estratégia da Microsoft está de regresso com um jogo completamente novo que funciona como uma janela para o passado dos videojogos e para o passado dos grandes conflitos da humanidade durante a idade média.

Shadow Corridor – Bem vindos ao Tédio

Um jogo de terror demasiado preso à sua fórmula que só é indicado para os amantes de sustos fáceis.

A Razer revela novos microfones para produtores de conteúdo

Digam olá aos Seiren V2 Pro e ao Seiren V2 X.

Halo Infinite promete ser espetacular para os jogadores de PC

A 343 Industries lançou um extenso vídeo de produção onde explica o que os jogadores de PC podem esperar de Halo Infinite.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Nova iniciativa da Nestlé dá borras de café aos consumidores para um melhor desenvolvimento das plantas

As borras de café podem contribuir para melhorar as características físicas, químicas ou biológicas do solo, com vista ao bom desenvolvimento das plantas.

Maior festival português de blues regressa a Braga

O Nova Arcada Braga Blues regressa à cidade para a 4ª edição com concertos de nomes como José Cid, Rui Veloso, Budda Guedes, Maria João, Rockin Gina & The Sentinels e Archie Lee Hoocker.