fbpx

Análise – Teclado Razer Blackwidow Chroma V2

A Razer é uma conceituada marca de equipamentos e periféricos para jogadores aficionados, que, no início do ano, lançou o Razer Blackwidow Chroma V2, um teclado mecânico.

Esta é a segunda versão do popular Blackwidow Chroma, um dos teclados mais vendidos de sempre da marca, e, para além de algumas novidades, vem focar-se especialmente na personalização estética e prática.

À primeira vista, o Chroma V2 apresenta-se com um aspeto altamente discreto, estando a primeira grande alteração nos caracteres – apresentados de forma mais simples -, fugindo, desta forma, à tendência de equipamentos do género, e, também, do seu antecessor, com tipos de letra agressivos e radicais.

No lado direito encontramos uma série de comandos, como já acontecia na versão anterior, como as teclas M, que são atalhos onde podemos aplicar diversos perfis de jogos ou aplicações, sem necessidade de os configurar um a um. Graças às plataformas fornecidas pela Razer e à sua comunidade, é bastante fácil escolher os melhores perfis e injetar diretamente no teclado.

A segunda grande novidade é a possibilidade de podermos escolher o tipo de switcher mecânico que queremos antes de adquirirmos o Chroma V2. No nosso caso, recebemos o modelo com o switcher verde, o modelo familiar da marca e criado a pensar na experiência gaming. As outras opções são o switcher laranja e o switcher amarelos, mais baixos e silenciosos. Todas estas opções apresentam-se, agora, mais resistentes do que nunca, com um limite de vida até aos 80 milhões de cliques.

No que toca ao modelo que nos forneceram, ao usarmos o teclado, notámos, com um certo exagero, no barulho que fazia. Contudo, este efeito era facilmente eclipsado com a satisfação que nos dava ao o utilizarmos num jogo, ou, especialmente, enquanto escrevíamos.

Por fim, este teclado vem com um apoio almofadado magnético muito fácil de colocar e extremamente confortável. É algo que dá imenso valor ao teclado e que mostra a preocupação da Razer em tornar a experiência de jogo ou de escrita o mais ergonómica possível.

Do lado direito do teclado, podemos ainda encontrar duas portas, uma USB e um Jack de 3.5mm, para podermos ligar um outro dispositivo ou uns auscultadores, caso não seja prático usar no computador.

A personalização não se fica apenas pelos modos de jogo ou atalhos disponíveis, mas também no modo como o equipamento reage à sua utilização, algo que distingue os produtos Chroma.

Para além do efeito de arco-íris animado padrão que o Chroma V2 apresenta, podemos personalizar o teclado de modo a que apresente outras combinações de cores, ou até que apresente efeitos apenas quando clicamos. Da nossa parte, podemos dizer que adorámos o efeito de onda de choque que parte das teclas onde clicamos.

Apesar deste tipo de equipamentos ser criado a pensar num grupo específico de utilizadores, é uma excelente opção para quem quer um teclado personalizado e que fica bem em qualquer secretária, mantendo um aspeto discreto, e, ao mesmo tempo, especial.

O Blackwidow Chroma V2 revelou ser não apenas um teclado muito confortável, mas também viciante de usar graças aos efeitos de luz e à satisfação do toque. No entanto, é o seu comportamento ao clicar que deve ser ponderado na aquisição do produto, e, para isto, mais vale espreitar os outros dois switchers mais silenciosos, pois a longo prazo o modelo que experimentámos poderá tornar-se irritante ou incómodo. O seu preço também não é dos mais convidativos, com um valor recomendado de 189,99€, o que pode afastar alguns potenciais utilizadores.

Para adquirirem o vosso Blackwidow Chroma V2 personalizado e para ficarem a conhecer os restantes equipamentos da Razer, podem visitar o site oficial, página do Facebook e do Twitter.

O equipamento foi cedido para análise pela Razer.

Segue-nos nas redes sociais no FacebookTwitter e Instagram.

- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,788FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
630SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

Análise – eFootball PES 2021 Season Update

O mundo mudou e a forma de lançar jogos também. E eFootball PES 2021, é uma sensata e honesta maneira de levar uma nova temporada até às mãos dos fãs do género.

Análise – Minoria

Curto, difícil e muitas vezes implacável – assim é este metroidvania que acaba de chegar às consolas.

Análise – Shing!

Parem as hordas de demónios neste jogo de ação mediano.

Análise – Project CARS 3

O terceiro jogo da série Project CARS dirige-se em contra mão daquilo que a tornava tão especial.
- Publicidade -

Mais Recentes