Análise – Razer Barracuda X

Os novos auscultadores sem fios da Razer para jogadores são excelentes e o seu preço acessível é apenas uma das cerejas no topo do bolo.

- Publicidade -

Chegámos a um ponto em que os nossos gadgets usam quase todos os mesmos tipos de interface. Wi-Fi, Bluetooth e USB são exemplos de ligações comuns que potenciam a utilização de periféricos universais, podendo ser usados em qualquer lado.

Com as entradas USB-C a tornarem-se extremamente populares pela sua dimensão reduzida e formato universal, a nova aposta da Razer em áudio vem mesmo tirar partido do tal potencial: o de poder ser usado em quase todos os equipamentos. Chama-se Razer Barracuda X e é uma aposta para os jogadores mais ativos, agnósticos a plataformas, que querem jogar em todo o lado e continuar a usar um único par de auscultadores, poupando assim também um pouco na carteira.

Razer Barracuda X

Esta solução 4-em-1 é plug and play e permite a sua utilização em virtualmente todos os dispositivos com USB: PCs, consolas PlayStation, Nintendo Switch e dispositivos Android. Despidos dos extras tradicionais para gamers, como o suporte RGB ou designs arrojados, os Razer Barracuda X apostam no simples e eficaz, do design à função.

Adotando o design das apostas de Lifestyle, como o da linha Razer Opus, os Razer Barracuda X apresentam-se logo com um aspeto moderno e sóbrio, com linhas sólidas, redondas e alguma simetria, passado bem despercebido ao pé de outras apostas mais casuais, tornando-se também um belo companheiro para usar no dia-a-dia ou na rua para além do seu foco primário, os videojogos.

O uso de materiais de alta qualidade também se destaca, com o seu corpo todo em plástico maleável de alta qualidade, aliado à leveza, pesando exatamente os 250g propostos pela marca. Como a linha Opus, o conforto é óbvio, abraçando bem a nossa cabeça com a pressão certa para se apoiarem, ao mesmo tempo que se tornam “invisíveis”. Há também que destacar as suas almofadas de memória, com padrão respirável, que mantêm as nossas orelhas frescas e bem isoladas.

A Razer volta aqui a apostar nos seus drivers Triforce de 40mm, o mesmo tipo de drivers usados nas soluções para jogadores como os Razer Blackshark V2 Pro, mas aqui um pouco mais compactos. A experiência é fantástica, muito graças aos três drivers dedicados a diferentes frequências: altos, médios e baixos, resultando numa experiência clara e distinta em qualquer conteúdo, sejam jogos, filmes ou músicas.

Os baixos são, como já seria de esperar, bastante notórios, mas ajudam a dar corpo à experiência, ao mesmo tempo que temos um excelente alcance, envolvência e acústica muito semelhante a auscultadores com cúpulas maiores. E mesmo com a ausência de licenças THX (que pode ser adquirida à parte com 50% de desconto), os Razer Barracuda X contam com surround sound 7.1, onde pude tirar partido do Dolby Atmos ou do Windows Sonic for Headphones, aumentando a experiência de áudio espacial, especialmente em conteúdos com vários canais.

Ainda no que toca à experiência gaming, os Razer Barracuda X contam com um microfone destacável proprietário, um Razer Hyper Cardioid Mic, também utilizado noutras soluções da marca, que prima pela capacidade de deteção da voz mais facilitada. A qualidade é ótima para sessões de jogo, com pouca captura de ruído, mas também pode ser utilizado para fazer chamadas quando temos o par ligado a um smartphone.

Mas onde os Razer Barracuda X brilham é na versatilidade, mesmo com as suas limitações de ligações, pois os Razer Barracuda X não contam, por exemplo, com ligação Bluetooth. Pelo corpo do par podemos ver logo o quão versátil os Razer Barracuda X podem ser, pois temos uma ligação áudio física de 3.5mm que, com o cabo incluído, podemos ligar onde quisermos, seja a um comando de consolas (incluído os da Xbox), smartphones e tablets com jack 3.5mm, computadores… enfim, onde quiserem, tornando-se automaticamente universal.

Já no que toca à experiência wireless, a Razer oferece aqui algo transversal ao máximo de equipamentos, tudo graças a um pequeno adaptador USB-C que pode ser ligado a PCs, smartphones Android, à Nintendo Switch e às consolas PlayStation, com destaque para a PlayStation 5 com a sua porta USB-C frontal. A sua utilização é literalmente plug-and-play, trocando o pequeno adaptador entre dispositivos de forma simples e sem qualquer tipo de configuração. É fantástico. E no caso de o dispositivo em questão não ter uma porta USB-C, a Razer inclui ainda uma extensão de ligação a USBs normais.

Esta ligação sem fios tira partido da tecnologia Razer HyperSpeed Wireless de 2.4Ghz, o que significa que não temos qualquer tipo de Lag. Esta é uma das razões para a ausência do Bluetooth, que é suscetível a atrasos inconvenientes, especialmente em experiência de jogo.

Também impressionante é o tempo de vida útil da bateria, a apontar para as 20 horas. Na prática traduz-se a 2-3 dias de utilização intensiva, algo que é ajudado pelo sistema de auto turn-off, quando é detetada a ausência de áudio.

Mas a cereja no topo do bolo, e algo que nem tinha presente enquanto utilizava os Razer Barracuda X, é o seu preço recomendado de 99,99€. É ridículo, no bom sentido, considerando a experiência geral dos Razer Barracuda X e da sua utilização virtual e quase sem limites, entre tantos equipamentos. Não há outra forma de qualificar os Razer Barracuda X a não ser como excelentes.

Recomendado

Este dispositivo foi cedido para análise pela Razer.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Os novos Razer Blade trazem consigo novos processadores Intel

A atualização da Razer traz consigo o processador Intel mais potente utilizado nos seus portáteis.

Análise – Razer Opus X

Com sacrifícios onde contam, a Razer conseguiu mais uma conquista com os mais acessíveis Razer Opus X.

Urbanista lança novos auriculares inspirados em Seul e Lisboa

Dois novos pares de auscultadores sem fios para levar para todo o lado.

Razer vai de mala cheia à E3 com o ultra-portátil mais avançado de sempre

E com um novo monitor e uma máscara de proteção avançada.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Domino’s Pizza abre segunda loja em Braga

É a 40ª loja da marca em Portugal.

Última temporada de The Walking Dead vai ser dividida em três partes

A série principal terminará algures em 2022.