Análise – Gears 5: Hivebusters (Xbox Series X)

Se Gears 5 é um blockbuster de cinema, Hivebusters é o spin-off forçado para TV.

Gears 5: Hivebusters
- Publicidade -

Pouco depois de se ter celebrado um ano desde o lançamento de Gears 5, os fãs têm finalmente o muito aguardado DLC de história que adiciona ao jogo novos conteúdos a solo e cooperativos, com uma nova narrativa para se divertirem e conhecerem novos detalhes do mundo de Sera.

Disponível como standalone nas Xbox e no PC, Gears 5: Hivebusters também pode ser jogado gratuitamente pelos subscritores do Xbox Game Pass Ultimate. Um pequeno docinho que adiciona cerca de três horas de jogo à experiência Gears e… pouco mais.

Este é um estranho, mas sempre bem-vindo, conteúdo. Após meses a ansiar por notícias de novos conteúdos de campanha para Gears 5, Hivebusters surge quase de surpresa, bem a tempo de convidar mais jogadores a entrarem no jogo, agora disponível e melhorado nas Xbox Series S e Series X, mas que, no fim do dia, corre o risco de ficar esquecido na memória dos jogadores.

Hivebusters afasta-se dos heróis que já conhecemos das campanhas dos jogos e expande-se com personagens dos modos multijogador, oferecendo histórias e origens a Lahni, Keegan e Mac, do modo cooperativo Escape, também conhecidos como Scorpio Squad.

Esta aventura serve um pouco como prequela dos eventos do modo Escape e coloca-nos numa missão suicida para destruir um ninho da Swarm, que ameaça o mundo de Sera. Esta é a premissa simples de Hivebusters e muito pouco desenvolvida ao longo das suas três, talvez quatro horas de campanha, onde as personagens pouco fazem para se apresentarem ou desenvolverem, com as suas origens condensadas em discursos de exposição em momentos calmos entre confrontos.

Com uma jogabilidade de excelência, como a série nos tem habituado, Hivebusters é muito familiar, adicionando novas habilidades únicas às personagens que dão um pequeno elemento estratégico aos confrontos que se revelam particularmente divertidos em sessões de coop, como o escudo de Mac, o abastecimento de munições de Keegan e os ataques melee de Lahni, que podem ser evoluídos através de colecionáveis espalhados pelos níveis, dando-nos, assim, uma motivação extra para a exploração.

Hivesbusters é divertido durante a sua campanha, mas o grande destaque, onde a equipa da The Coalition parece ter perdido mais tempo, vai para os visuais do jogo. Numa primeira impressão parece apenas “ok”, mas os vários cenários únicos, palete de cores, qualidade de modelos e texturas e o desempenho total do jogo, em particular no PC e na nova Xbox Series X, tornam Hivebusters numa agradável e impressionante demonstração técnica do Unreal Engine 5. Resumidamente, é uma porção de jogo extremamente deslumbrante que tira partido de todas as novidades adicionadas à campanha original de Gears 5.

Mas se pareço positivo nas minhas palavras, a verdade é que Hivebusters desiludiu-me bastante. Não tinha grandes expectativas para este DLC, mas refletindo sobre outros conteúdos lançados para o jogo e também para a forma como temos sido mimados por outros estúdios com os seus jogos, Hivebusters é extremamente pobre em conteúdo e fica longe da recomendação. Especialmente para quem não tem Xbox Game Pass Ultimate.

Há muitas oportunidades e experiências que são capazes de satisfazer bem o jogador em três ou quatro horas, algo que Hivebusters parece imensa dificuldade em alcançar. Apesar de um elenco de personagens interessantes, o DLC não consegue ou tem tempo para as desenvolver o suficiente, e tirando a premissa das suas missões, existe uma grande falta de urgência. E quando a história parece ficar interessante, termina com um momento mais anticlimático do que resolvido.

Durante esta pequena aventura de uma tarde, senti que o jogo me queria levar por uma direção interessante, expandido o mundo de Gears e com implicações para futuros títulos. Mas o que descobri é que Hivebusters não passou apenas de uma campanha de promoção para um modo de jogo já existente em Gears 5, o Escape, que é, na realidade, a continuação direta de Hivebusters.

Com tão pouco conteúdo e uma premissa com potencial, não consegui terminar Hivebusters sem me sentir traído pelas minhas próprias expectativas. Olhando para a soma das suas partes, sinto que esta foi uma estranha e forçada aposta da The Coalition, sem grande visão ou direção.

À venda por 19,99€ na loja da Microsoft e na Steam, não consigo arranjar grandes argumentos para recomendar Hivebusters aos mais curiosos. Já para quem tem Xbox Game Pass Ultimate, apenas fica a nota para os maiores fãs de entrarem com expectativas muito baixas. Gears 5: Hivebusters é divertido enquanto dura e pode ser uma tarde bem passada com amigos, mas não esperem uma experiência densa ou diferente de tudo o que já jogaram dentro da série.

Nota: Satisfatorio

Disponível para: PC, Xbox One e Xbox Series X|S
Jogado na Xbox Series X

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Junta-te à luta na fase experimental do multijogador de Halo Infinite

Podes ser um dos primeiros a jogar Halo Infinite já este verão.

Psychonauts 2 vai ter um modo de invencibilidade para ser acessível a todos

A Double Fine quer que todos os jogadores, com ou sem experiência, possam desfrutar da sua aventura.

Há mais jogos na cloud do Xbox Game Pass em julho

O xCloud é o destaque neste início do mês.

Planetas fantásticos e jogos clássicos nos Xbox Games With Gold de julho

Também disponíveis para os subscritores do Xbox Game Pass Ultimate.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

DreamsCom regressa com mais um festival virtual de experiências feitas no Dreams

A DreamsCom 21 começa já no próximo dia 27 de julho.

Ouve aqui aos dois primeiros temas de Dune, de Hans Zimmer

Hans Zimmer está de volta com mais uma banda sonora original, para um dos filmes mais antecipados do ano.

Lacuna Coil, Decapitated e Orphaned Land reconfirmados para o Laurus Nobilis 2022

A organização promete muito mais nomes para anunciar, entre os quais algumas surpresas.