1618 é o filme português mais premiado de sempre

1618 ainda não tem data de estreia em Portugal, dada a pandemia em curso.

- Publicidade -

Já se passaram muitos anos, mas quando falamos em Luís Ismael, rapidamente associamos a “Tone”, personagem da trilogia Balas & Bolinhos. O que muitos poderão não saber é que foi Ismael quem realizou e escreveu os três filmes da popular saga.

Ora, este contexto serve para dizer que Luís Ismael tem a sua produtora, Lightbox, e já realizou outros filmes, como Bad Investigate, Sefarad e, mais recentemente, 1618. E no caso deste último não falamos de um filme qualquer. A longa-metragem tem sido tão badalada que já é o filme português mais premiado de sempre, ao ter conquistado mais de 50 prémios internacionais em festivais de cinema.

Com a participação de 1.200 figurantes e uma fase de pós-produção que se estendeu ao longo de 14 meses, incluindo a elaboração de 150 planos com efeitos visuais, 1618 é uma das maiores produções cinematográficas realizadas em Portugal.

Baseado em factos verídicos, o filme faz parte de um projeto inter-religioso e de combate ao antissemitismo entre a Comunidade Judaica do Porto (detentora dos direitos sobre o filme) e a Diocese católica do Porto.

Produzido pela Lightbox, com realização, lá está, de Luís Ismael, o filme conta com a participação de Pedro Laginha, Catarina Lacerda, Francisco Beatriz, Mafalda Branqart, Heitor Lourenço, Pompeu José, entre outros.

O filme ainda não tem data de estreia em Portugal, dada a pandemia em curso.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Dragon Ball Super: Super Hero é o nome do novo filme

Foi revelado o teaser que anuncia esse mesmo nome, bem como um primeiro olhar ao design de algumas personagens.

Mini-Críticas Cinema – Edição 2021

Normalmente preparo este tipo de artigo perto do final de cada ano com mini-críticas que fui guardando de alguns filmes para os quais não tive tempo de escrever uma opinião mais extensa.

D’Artacão e os Três Moscãoteiros: O Filme nos cinemas a 29 de julho

O filme inspira-se na série icónica dos anos 80.

Crítica – F9: The Fast Saga

F9: The Fast Saga leva as suas sequências de ação absurdamente ridículas a níveis inacreditavelmente intoleráveis, tudo enquanto tenta contar uma história demasiado longa, confusa e nada criativa em torno de um dos clichés mais genéricos do cinema.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Streamings da RTP2 e RTP3 passam finalmente para HD

Não, não é Full HD, mas tudo é melhor que o SD.

NOS Wi-Fi vai ser descontinuado em agosto

Estavam a contar com o serviço quando fossem de férias para aceder à Internet? É melhor pensarem em alternativas.