fbpx

Já não há VOI para ninguém. As trotinetes laranja desapareceram de Lisboa

É caso para dizer que foi sol de pouca dura. A empresa de trotinetas VOI deixou de operar em Lisboa e, consequentemente, em Portugal. É a primeira companhia de micromobilidade a assumir efetivamente a desistência do mercado nacional.

“Lamentamos anunciar que decidimos encerrar as nossas operações em Lisboa e, definitivamente, em Portugal”, refere a startup sueca em comunicado oficial, alegando que a decisão se deve ao mercado atual e às condições regulatórias.

Segundo se sabe, para uma empresa do género operar em Lisboa, tem de pedir uma autorização à Câmara Municipal de Lisboa com essa finalidade, estando essa aprovação sujeita a alguns requisitos normais, como ser necessário saber em tempo real onde se encontra cada trotineta. É um requisito que se deve ao facto de ser obrigatório recolher os modelos para recarregamento, sendo estes substituídos por outros com a bateria a 100%.

A VOI não foi a primeira empresa do género a operar em Portugal. No entanto, após a sua criação em outubro de 2018, iniciou operações em Portugal em dezembro do mesmo ano, ou seja, somente dois meses após ter sido fundada.

Esta decisão até poderia estar relacionada com alguma inexperiência, mas a verdade é que, pelo menos em Lisboa, a concorrência é fortíssima. Existem várias, demasiadas até, empresas de trotinetas na capital portuguesa. Com tanta concorrência, os clientes acabam por não se conseguir decidir sobre quais usar, pelo que tendem a optar quase sempre pelas trotinetas de marcas que já conhecem.

Além disso, chegando agora o mau tempo, a taxa de utilização das trotinetas deve decrescer imenso. E é fácil de explicar porquê: pisos escorregadios e o facto de ser impossível segurar num chapéu de chuva enquanto se controla uma trotinete.

Apesar da VOI ter sido a primeira empresa a desistir deste mercado em Portugal, não é a primeira a recuar nas operações. Recorde-se que, há cerca de dois meses, a Lime encerrou as operações em Coimbra.

Além disso, as trotinetas da Tier deixaram de ser vistas em Lisboa, ao passo que as trotinetas da Bungo também desapareceram do mapa. Quanto à Wind, tem as operações suspensas no mercado português enquanto não chegar o novo modelo.

Em todo o caso, Lisboa deve ter, pelo menos, quatro mil trotinetas elétricas partilhadas, pelo que há muito por onde escolher, seja da Lime, Hive, Circ ou Bird, entre outras.

- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,779FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
629SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

- Publicidade -

Mais Recentes

Crítica – Enola Holmes

Enola Holmes oferece uma agradável e refrescante visão de uma franchise que pode ter ganho um novo futuro.

Análise – Xiaomi Mi TV Stick

A pen que transforma uma TV antiga numa SmartTV.