Testes rápidos de antigénio para deteção do SARS-CoV-2 à venda para toda a gente em farmácias e outros locais

- Publicidade -

Já a partir deste sábado, dia 13 de março.

Testes rápidos de antigénio
Imagem meramente ilustrativa

São os chamados autotestes à Covid-19 e vão passar a estar disponíveis para toda a gente em farmácias e locais de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica.

É o que diz uma portaria hoje publicada em Diário da República. Assinada pela ministra da Saúde, Marta Temido, a portaria estabelece “um regime excecional e temporário para a realização em autoteste de testes rápidos de antigénio, destinados, pelos seus fabricantes, a serem realizados em amostras da área nasal anterior interna”.

“Perante a atual situação epidemiológica, e conforme resulta da atualização da Norma n.º 019/2020, de 26 de fevereiro, da Direção-Geral da Saúde, relativa à Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, importa intensificar os rastreios laboratoriais regulares para deteção precoce de casos de infeção como meio de controlo das cadeias de transmissão, designadamente no contexto da reabertura gradual e sustentada de determinados setores de atividade, estabelecimentos e serviços”, diz o mesmo diploma.

Segundo a portaria, os diferentes tipos de testes de antigénio (TRAg) disponíveis no mercado “cumprem os critérios de sensibilidade e especificidade estabelecidos”, podendo contribuir para “um alargamento do rastreio”.

Até agora, estes testes estavam disponíveis somente para utilização por parte de profissionais. Contudo, a “a título excecional e transitório”, para efeitos de prevenção do contágio, os testes de antigénio “podem ser colocados e disponibilizados no mercado nacional para utilização por não profissional, de acordo com as indicações fornecidas pelo respetivo fabricante”.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes