CVnCoV. Vacina candidata para a COVID-19 chega ainda este ano

A Novartis vai apoiar o fornecimento global de outra vacina para a COVID-19, alavancando a capacidade de produção para ajudar no combate à pandemia.

CVnCoV
- Publicidade -

A Novartis tem estado a contribuir em várias frentes para a luta global contra a pandemia COVID-19, apoiando a estabilidade dos sistemas globais de saúde. A empresa anunciou recentemente um acordo inicial com a BioNtech para aumentar a capacidade de produção de uma vacina contra a COVID-19, nas suas instalações em Stein, na Suíça. Além disso, vai doar 40 milhões de dólares para ajudar as comunidades afetadas pela pandemia em todo o mundo e participa ativamente em várias iniciativas de investigação em vários setores.

Agora, e além de várias outras iniciativa que não mencionámos, eis que a empresa anunciou a assinatura de um acordo inicial para a produção da vacina de RNA mensageiro contra a Covid-19, CVnCoV, da CureVac, reforçando o seu compromisso na luta contra a pandemia. Já estão em andamento os preparativos para o início da produção, a transferência de tecnologia e os testes. Após o acordo final, a Novartis prevê iniciar a produção no segundo trimestre de 2021. As primeiras entregas à CureVac são esperadas para o verão de 2021.

A produção terá lugar numa nova unidade de alta tecnologia, que já se encontrava em construção – Novartis Kundl – na Áustria. Esta unidade será agora adaptada às necessidades de produção da vacina de RNA mensageiro, CVnCoV da CureVac, cujo processo de produção é altamente complexo. A Novartis prevê produzir o RNA mensageiro e componentes da vacina CVnCoV para entregar até 50 milhões de doses até o final de 2021 e mais 200 milhões de doses em 2022. Os componentes serão depois entregues à CureVac para posterior processamento.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Testes rápidos à COVID-19 voltam a ser gratuitos a partir de 19 de novembro

Isto numa altura em que os casos têm estado a aumentar.

Maiores de 65 anos começam a ser vacinados com a terceira dose da vacina contra a COVID-19 na próxima semana

O Governo já garantiu que haverá vacinas suficientes para arrancar com a inoculação da terceira dose.

Deve-se ou não vacinar os jovens entre os 12 e os 15 anos contra a COVID-19?

Na ótica da Direção-Geral de Saúde, só é recomendável que se vacinem os jovens se eles tiverem comorbilidades associadas, que possam conduzir a uma doença grave ou à morte.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Afinal, a tarifa social da Internet não vai ter os serviços propostos pela Anacom

Menos velocidade e menos gigabytes. Estará disponível a partir de 1 de janeiro de 2022.

Makro Portugal tem 15 cabazes de Natal disponíveis a pensar nesta época

Há para todos os gostos... e para todos as carteiras.