Super Bock Super Rock 2019: 10 concertos a não perder

por Alexandre Lopes

É já esta quinta-feira, dia 18 de julho, que acontece mais uma edição do Super Bock Super Rock. A 25ª edição, para sermos mais exatos. E logo num sítio onde todos já foram felizes: Herdade do Cabeço da Flauta, no Meco. Afinal, este é um festival camaleónico, que por diversas vezes mudou de local, mas o Meco acabou mesmo por ser o sítio onde aconteceram edições bem memoráveis do SBSR.

Se ainda não sabem como chegar ao festival ou precisam de mais algumas informações, nada como consultarem este nosso guia útil. Os horários dos concertos, esses, estão aqui. Agora, vamos à música.

O cartaz deste ano é bastante eclético e traz aguardados regressos, como é o caso da cabeça de cartaz Lana del Rey. Há outros nomes a (re)ver, como é o caso dos The 1975, Jungle, Janelle Monáe, entre outros. De seguida, vamos apresentar-vos 10 concertos que achamos ser imperdíveis neste Super Bock Super Rock 2019.

Lana del Rey

Claro, tínhamos de começar por destacar a cabeça de cartaz do primeiro dia da 25ª edição do Super Bock Super Rock. Elizabeth Woolridge Grant é mais conhecida pelo nome artístico de Lana Del Rey, com o qual se deu a conhecer ao mundo. E foi com o segundo álbum de estúdio, Born to Die, que explodiu em termos de notoriedade. Foi, aliás, com esse álbum que Lana veio à edição de 2012 deste mesmo festival, na altura também realizado no Meco. Chegaram depois a existir rumores de uma possível vinda ao MEO Sudoeste, mas tal nunca se concretizou.

De momento, Lana prepara-se para lançar o novo álbum Norman Fucking Rockwell, com edição prevista para agosto. Espera-se, portanto, um concerto com músicas novas, mas também com os hits que todos conhecem, como “Summertime Sadness”, “Video Games” ou “Born to Die”. Atua dia 18 às 00h15 (tecnicamente já será dia 19) no Palco Super Bock.

The 1975

A banda de Matty Healy esteve por cá em 2016, na edição desse ano do festival NOS Alive, tendo deixado boas indicações. Agora regressam, mais maduros e experientes e com mais um álbum na bagagem, além de atuarem num bom timeslot, logo antes de Lana del Rey.

Os The 1975 são uma banda que está em constante digressão, como o vocalista Matty Healy já confidenciou por várias vezes. São uma espécie de workaholic, digamos assim. Neste regresso, a banda traz na bagagem A Brief Inquiry into Online Relationships, álbum de 2018, se bem que um novo disco, Notes on a Conditional Form, deve chegar ainda este Verão. Mais disco, menos disco, será sempre bom escutar a fabulosa “Somebody Else”. Atuam dia 18 às 22h30 no Palco Super Bock.

Roosevelt

Confessamos: Roosevelt é um projeto que não conhecíamos e só começámos a ouvir aquando do anúncio para o Super Bock Super Rock. E que bela surpresa foi descobrir o projeto de Marius Lauber.

As influências notam-se à distância, passando de uns mais eletrónicos e introspetivos Pet Shop Boys a uns mais dançáveis Hot Chip. Roosevelt mistura os dois mundos numa combinação impecável, destacando-se temas como “Fever” ou “Hold On”. Mas quanto é que querem apostar que “Under The Sun” vai ser das músicas mais aplaudidas da noite? Atua dia 18 à 01h15 (tecnicamente já será dia 19) no Palco Super Bock.

Jungle

Nunca é demais (re)ver os Jungle. Porquê? A festa é sempre garantida. Basta lerem aqui a nossa reportagem aquando da passagem da banda pelo Super Bock em Stock para perceberem isso. Ficam desde já convidados a bater o pezinho ao som de pérolas como “Time”, “The Heat” ou “Drops”. Atuam dia 18 às 21h no Palco Super Bock.

Cat Power

Charlyn Marie “Chan” Marshall é mais conhecida pelo nome artístico Cat Power, tendo uns quantos fiéis seguidores no nosso país. No entanto, os seus espetáculos ao vivo sempre deixaram algo a desejar, fosse devido ao facto das músicas começarem ou acabarem abruptamente ou por soarem demasiado diferentes. Espera-se que não seja o caso no Meco. É que o álbum Wanderer, de 2018, é bastante complexo e merece ser escutado em todo o seu esplendor. Atua dia 18 às 19h15 no Palco Super Bock.

Calexico and Iron & Wine

Pode parecer um dueto improvável, mas acabou por resultar num dos momentos mais interessantes da música alternativa na primeira década do século XXI. Pela primeira vez em 14 anos, Calexico and Iron & Wine voltam a estar juntos para tocar canções como “History of Lovers” e “Red Dust”. Atuam dia 19 às 18h30 no Palco EDP.

Charlotte Gainsbourg

Muitos devem conhecê-la de filmes como Confession of a Child of the Century ou Nymphomaniac. Mas sabiam que Charlotte Gainsbourg também canta? É verdade que o estilo pode não agradar a muitos, mas discos como IRM, de 2009, e o mais recente Rest, de 2017, mostram que a francesa Charlotte Gainsbourg tem muito a dizer no mundo da música. Atua dia 19 às 22h no Palco EDP.

The Blinders

Há aqui uma rebeldia que nos fazem lembrar os tempos mais efervescentes dos Arctic Monkeys. E isso só pode ser bom. Empenhados em criar a sua própria linguagem, os The Blinders mergulham num universo que mistura o punk e o psicadélico. Vêm apresentar Columbia, disco de estreia lançado no ano passado. Temos a certeza que vão gostar. Atuam dia 20 às 16h45 no Palco EDP.

FKJ

A música do multi-instrumentista francês Vicente Fenton pode ser difícil de catalogar, mas também parece ser indicada para vários tipos de situações. FKJ trabalhou em cinema, pelo que acabou por ser uma influência bem vincada na sua ainda curta carreira musical. Ao Super Bock Super Rock traz o disco de estreia homónimo, editado em 2017, pelo que é com curiosidade que esperemos por este momento. Atua dia 19 às 00h (tecnicamente já será dia 20) no Palco EDP.

Janelle Monáe

Claro, Janelle Monáe Robinson não podia faltar nesta lista. Naquela que será a quinta passagem em Portugal, a americana traz consigo o mais recente disco Dirty Computer, editado no ano passado, e que conquistou a crítica. Pelo meio da sua carreira musical, Janelle Monáe começou a dar os primeiros passos no mundo da televisão e cinema. Sem dúvida um nome a seguir… para quem não a seguia já. Atua dia 20 de julho às 21h30 no Palco Super Bock.

De recordar que os bilhetes para o Super Bock Super Rock continuam à venda. O bilhete diário do primeiro dia está esgotado desde há muito.

Deixar uma resposta

Também pode interessar

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: