fbpx

Análise – Star Wars Jedi: Fallen Order

Numa galáxia muito, muito distante, não se contam só histórias da família Skywalker. Entre os vários episódios de filmes, série televisivas e spin-offs, há espaço para seguirmos outras histórias, novas personagens e para nos deixarmos levar por novas aventuras. Star Wars Jedi: Fallen Order é uma dessas histórias.

Apesar de ter origem num dos eventos mais importantes da saga, que caminha para o nono e derradeiro episódio, Star Wars Jedi: Fallen Order faz um excelente trabalho em apresentar algo de novo e refrescante, não só ao nível da sua história, como a nível de mecânicas, naquele que pode ser o jogo que muitos fãs esperavam.

Depois de jogos de aventura cancelados, da aquisição dos direitos Star Wars por parte da Disney (que carregou no botão de reset no seu universo expandido), e de dois jogos de altas produções focadas no multijogador, Star Wars Jedi: Fallen Order é uma lufada de ar fresco e aproveita-se disso da melhor maneira.

Star Wars Jedi: Fallen Order passa-se alguns anos depois dos eventos de Star Wars Episode III: Revenge of the Sith, quando os Jedi são surpreendentemente traídos pela República e basicamente extintos. Das cinzas, espalhados pela galáxia, são poucos os que sobrevivem escondidos, e Cal, o nosso herói, é um desses Jedi.

Depois de um acidente, onde tentava manter-se em segredo, a sua identidade é revelada e começa a ser perseguido, ao mesmo tempo que, juntamente com um elenco de personagens secundárias, parte para uma aventura em busca de um artefacto que pode ajudar a trazer de volta os Jedi e, assim, derrotar as “forças do mal”.

Quem conhece Star Wars e a sucessão de eventos principais pode tirar conclusões sobre o decorrer desta aventura, mas há muito para explorar. Há o lado íntimo, pessoal e o ponto de vista destas personagens face a estes eventos já conhecidos, um pouco à semelhança do que acontece com as séries animadas, como The Clone Wars ou Rebels.

Personagens secundárias, vilões e outras surpresas são tratadas com a devida relevância, são bem caracterizadas e, no fim desta aventura, não só deixam saudade, como nos deixam de água na boca para mais aventuras emocionantes.

Inspirado em alguns dos géneros atualmente mais populares da indústria com jogos na terceira pessoa, Star Wars Jedi: Fallen Order é mais um “clone” de títulos como Dark Souls ou Bloodborne, com uma jogabilidade tão frenética como tática, que permite combates corpo a corpo emocionantes, mas com um lado muito mais acessível, graças a quatro níveis de dificuldade e a um público de jogadores mais vasto e menos paciente para perder vezes e vezes sem conta.

Star Wars Jedi: Fallen Order coloca-nos, assim, na pele de um Jedi e do seu elegante sabre de luz, que, para além de nos ajudar a lutar contra um extenso leque de inimigos nas nossas aventuras, serve também de ferramenta para abrir novos caminhos e resolver alguns quebra cabeças.

Com uma mão cheia de planetas para explorar, Star Wars Jedi: Fallen Order descola-se da linearidade de jogos de aventura narrativos mais tradicionais, adotando um lado mais metroidvania ao dar ao jogador a oportunidade de ir escolhendo que planetas visitar para explorar e os diferentes caminhos e atalhos existentes entre eles. Ir de um ponto a outro pode ser feito de várias maneiras e, por vezes, revisitar certas áreas acaba por ser surpreendente pela forma como podemos atalhar ou pelas oportunidades de usar as várias habilidades do nosso herói.

Durante a exploração, Star Wars Jedi: Fallen Order é não só um jogo de aventuras ao estilo de um Uncharted, com saltos entre plataformas, passagens por áreas mágicas e misteriosas, mas também um título reminescente de Prince of Persia, onde corremos por paredes e nos agarramos a cordas e lianas. Por fim, temos o tal combate corpo a corpo onde damos o uso total aos poderes da Força, atuando de forma espetacular ao parar projéteis a meio dos disparos, puxar e empurrar inimigos, havendo ainda espaço para inventar e brincar com resultados incríveis.

Star Wars Jedi: Fallen Order é uma mixórdia de géneros e de elementos de jogos, com uma jogabilidade polida e natural que nos faz sentir como um verdadeiro Jedi.

No entanto, todos esses elementos deixam um pouco a desejar, com as animações do nosso protagonista a pedirem um pouco mais de atenção. Cal corre de forma estranha, parecendo que flutua de forma mais lenta do que corre. Alguns dos saltos também não são naturais e certos momentos onde perdemos o controlo da personagem, como zonas de deslize ou saltos onde temos que agarrar cordas e lianas, não funcionam tão bem como deviam.

Outro aspeto menos positivo a apontar é referente à dificuldade. Apesar de haver um enorme esforço em tornar o jogo acessível, o meio-termo na dificuldade deixa algo a desejar. Os dois primeiros modos mostram-se demasiado fáceis, como por exemplo as personagens a pararem (literalmente) à nossa frente, e as duas mais difíceis tornam-se um autêntico inferno em grande razão para tal, pois não oferecem uma experiência muito diferente ou aliciante, revelando-se apenas barreiras para a nossa progressão.

Felizmente, todos estes modos podem ser alterados à vontade do jogador, em qualquer momento do jogo, fora no meio das batalhas.

Visualmente, o jogo tira partido do Unreal Engine, que, tal como as animações, nem sempre mostra o seu melhor lado, com o carregamento de texturas e aparecimento de objetos distantes a surgirem, por vezes, demorados, além de loadings longos quando fazemos respawn, entre outros pequenos defeitos. Porém, quando é para mostrar o seu melhor, Star Wars Jedi: Fallen Order brilha.

O jogo tira partido de uma excelente direção de arte, dando vida ao universo de Star Wars como conhecemos e adoramos, com mundos vivos e densos, cheios de tecnologia usada e gasta que contrasta com restos e ruínas de antigas civilizações. As personagens com que lidamos, sejam inimigos e amigos, são extremamente bem detalhadas e bem animadas durante as cinemáticas, que, neste caso, contam também com uma realização impecável, ajudando-nos a manter-nos colados à história que se vai desenrolando.

A cereja no topo do bolo, que ajuda a consolidar toda esta experiência, é a banda sonora que acompanha este título, cheia de temas reminescentes da obra de John Williams ao longo de toda a saga e com pequenos piscares de olho aos temas mais icónicos.

Star Wars Jedi: Fallen Order é um remix perfeito de géneros e ideias de outros jogos, com uma dificuldade escalável e acessível para os fãs de Star Wars, mesmo com o seu forte foco no combate popularizado por jogos mais imperdoáveis. Transpira charme e acerta em cheio na ambiência e na estética da popular série, sem exagerar em referências desnecessárias, ao mesmo tempo que expande e explora a sua mitologia de forma interessante e emocionante para futuros jogos e outros tantos spin-offs de Star Wars.

Nota: Muito Bom - Recomendado

Star Wars Jedi: Fallen Order

Plataformas: PC, PlayStation 4 e Xbox One
Este jogo (versão Origin PC) foi cedido para análise pela Electronic Arts.

Star Wars Jedi: Fallen Order é, provavelmente, uma das maiores e melhores surpresas do ano, com um jogo original muito próximo daquilo que os fãs há muito esperavam, com combates de sabres de luz emocionantes e momentos de exploração dignos de uma aventura “numa galáxia muito distante”.

- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,779FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
629SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

Análise – eFootball PES 2021 Season Update

O mundo mudou e a forma de lançar jogos também. E eFootball PES 2021, é uma sensata e honesta maneira de levar uma nova temporada até às mãos dos fãs do género.

Análise – Minoria

Curto, difícil e muitas vezes implacável – assim é este metroidvania que acaba de chegar às consolas.

Análise – Shing!

Parem as hordas de demónios neste jogo de ação mediano.

Análise – Project CARS 3

O terceiro jogo da série Project CARS dirige-se em contra mão daquilo que a tornava tão especial.
- Publicidade -

Mais Recentes

Escola de Medicina da Universidade do Minho lança plataforma de autoavaliação da saúde mental

A Escola de Medicina da Universidade do Minho, em colaboração com o seu Centro de Medicina Digital P5, desenvolveu uma plataforma gratuita que permite fazer uma autoavaliação da saúde mental.

Domino’s Pizza chegou a Leiria

A marca continua a sua expansão por Portugal.

Alain Afflelou lança óculos de sol fabricados com plásticos retirados do oceano

Em cada par de óculos H2O foram utilizadas cinco garrafas de plástico recuperado do oceano.