Salvador Martinha e a sua Cabeça Ausente no Capitólio

por André Azevedo

Foi na passada segunda feira, dia 9 de janeiro, que o Capitólio recebeu mais um espetáculo de Cabeça Ausente, o 7º solo de Salvador Martinha. A sala encheu e Salvador proporcionou um espetáculo forte, coeso e ritmado.

Com este espetáculo, Salvador Martinha confirma-se, mais uma vez, como um dos maiores nomes do humor e do stand up comedy em Portugal.

O espetáculo manteve a sala agarrada, com um ritmo fluído e com piadas que abordaram temas da vida quotidiana, quer nossa, quer do Salvador, tendo o humorista desenvolvido, também, algumas teorias que, se pensarmos bem nelas, por mais descabidas que pareçam, são quase verdades universais.

Em Cabeça Ausente, Salvador Martinha faz piadas sobre situações da vida dele, dos amigos, captando o público pelo quão “relatable” é o material que apresenta.

Trazendo-nos um estilo de humor menos clean, a fazer lembrar-nos, aos poucos, o humor negro, foram algumas as piadas consideradas mais “agressivas”. Mesmo nessas piadas mais duras, por assim dizer, arrancou gargalhadas da sala em geral.

Todo o material que Salvador Martinha nos traz em Cabeça Ausente é completamente novo e exclusivo para este solo, à semelhança do que aconteceu com os solos passados. Segundo o comediante, “mata” todo o material no fim das tours e trabalha a partir do zero para criar um novo solo.

Um dos pontos fortes do espetáculo é a interação com o público, em que, à mistura com algum improviso, puxa os espectadores até ao palco, criando quase uma simbiose entre artista e público. No entanto, há sempre aqueles envergonhados que tendem a fugir destas situações.

Cabeça Ausente proporciona mais de uma hora de fortes gargalhadas, momentos musicais perfeitamente entrosados com as piadas e “punchlines” fortes que arrancam risos até do mais sisudo da sala.

Salvador Martinha estreou-se em 2003 no programa Levanta-te e Ri, da SIC, e, desde então, conta com vários trabalhos em televisão, rádio e imprensa, vários espetáculos nas mais diversas salas do país, inúmeros projetos em plataformas online e é o primeiro comediante português a ter um especial na plataforma Netflix.

Foto: Arlindo Camacho

Também pode interessar

Deixar uma resposta

O Echo Boomer utiliza cookies para dar a melhor experiência possível aos nossos leitores. Aceitar Ler mais

%d bloggers like this: