Ryanair: Compensações a passageiros podem atingir 78 milhões de euros

Este verão tem sido marcado por várias perturbações em voos em toda a Europa, causadas principalmente por cancelamentos ou atrasos provocados por greves. Entretanto, a Ryanair chegou a acordo com o sindicato de pilotos irlandeses FORSA, esperando-se agora que o tráfego aéreo regresse à normalidade.

- Publicidade -

A AirHelp, empresa especializada na defesa dos direitos dos passageiros aéreos e líder mundial na obtenção de compensações por perturbações em voos, analisou o montante que a Ryanair deveria pagar para compensar os seus passageiros e encoraja quem foi afetado a reivindicar o seu direito à compensação financeira.

Em apenas 12 dias de greves, 270.000 passageiros podem ter direito a um valor global de 78 milhões de euros em compensações, no seguimento das perturbações em voos da Ryanair causadas por cancelamentos ou atrasos significativos provocados pelas greves de pessoal.

Problemas no voo: estes são os direitos dos passageiros

No caso de atrasos superiores a três horas, cancelamentos de voos ou impedimento de embarque, os passageiros podem ter direito a uma compensação até 600 € por pessoa, em determinadas circunstâncias, mesmo que tenham tido qualquer agendamento de novo voo ou de reembolso do bilhete. As condições para que tal aconteça determinam que o aeroporto de partida se encontre dentro da UE ou que a companhia aérea tenha sede na UE. Além disso, a razão da perturbação deve ser causada pela companhia. O direito à compensação financeira deve ser reclamado no prazo de três anos a contar da data da perturbação.

Se os passageiros ficarem retidos no aeroporto por mais de duas horas, as companhias aéreas são também obrigadas a fornecer refeições, bebidas, acesso a comunicações e acomodação, se necessário.

Por outro lado, circunstâncias extraordinárias como tempestades ou emergências médicas isentam as companhias da obrigação de compensar os passageiros.

O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) decidiu, em abril de 2018, que as companhias aéreas devem compensar os seus passageiros por atrasos ou cancelamentos em voos, mesmo que as perturbações sejam causadas por greves de pessoal.


 

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

12,987FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
785SeguidoresSeguir

Parceiros

Relacionados

“Compra um, recebe outro grátis” é a nova campanha da Ryanair

A decorrer até às 23h59 de hoje, 24 de setembro, a companhia aérea irlandesa promove assim a sua primeira oferta 2 por 1 de sempre.

Aviões de passageiros não poderão voar com mais de dois terços da capacidade

Ou seja, terá de haver um limite abaixo do habitual. A portaria publicada este sábado em Diário da República...

Motoristas de matérias perigosas desconvocam greve

Mas ainda existe uma ameaça de nova paralisação. Basta que as reivindicações do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias...

Greve dos motoristas. Já há postos sem qualquer combustível

A não ser que, neste sábado, dia 10 de agosto, em plenário de trabalhadores, a ANTRAM apresente uma proposta...
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Testagem gratuita à Covid-19 alargada a todos os moradores da cidade de Lisboa

Quer isto dizer que o Plano Municipal de Testagem, anunciado em março passado, deixa de estar limitado aos moradores das freguesias com mais de 120 casos por 100 mil habitantes e a cidadãos maiores de 16 anos.

Conhece os novos jogos independentes para a Nintendo Switch no mais recente Indie World

Há 21 novos jogos independentes a caminho da Nintendo Switch, ainda este ano.

Matinal alarga gama de queijo fresco aos intolerantes à lactose

Em 2017, a Matinal apresentou o leite selecionado Matinal Leve, com menos lactose e sem gordura.