fbpx

Razer Phone é agora um dos melhores dispositivos para ver conteúdos da Netflix

Aquela que será uma das afirmações mais frustrantes para o realizador norte-americano, David Lynch, está prestes a tornar-se realidade. Não num iPhone, mas sim no primeiro smartphone da Razer.

Lançado no final de 2017, o Razer Phone marcou o ano da tecnológica de periféricos para computador no mercado dos dispositivos móveis. Ainda que desenhado com as capacidades gaming em mente, o Razer Phone encontra-se no patamar dos topos de gama mais conhecidos, com componentes de topo e todas a funcionalidades esperadas em smartphones desse calibre. Agora, está prestes a dar um passo ainda maior.

Ainda recém-nascido, a Razer aproveitou a maior feira tecnológica do mundo, a CES 2018,  para fazer este anúncio que irá, certamente, agradar aos fãs de streaming de séries e filmes. Em parceria com a Netflix, o Razer Phone está, agora, na vanguarda da tecnologia e qualidade de streaming de vídeo para dispositivos móveis, sendo o primeiro equipamento móvel a suportar HDR e Dolby Digital Plus 5.1.

Estas capacidades tiram partido das características do Razer Phone, graças ao ecrã compatível com HDR10 e ao processamento de som Dolby, em conjunto com as suas grandes colunas frontais do dispositivo ou com a saída dos auriculares.

Este casamento torna, assim, possível ver filmes e séries com muito mais cor do que em equipamentos tradicionais e com som envolvente 5.1 com certificação THX. Um pequeno passo para ter, literalmente, cinema de bolso.

A atualização de sistema que irá permitir estas novas funcionalidade estará disponível no final de janeiro e irá, obviamente, requerer uma subscrição Premium da Netflix.


 

- Publicidade -

Afiliados

Sigam-nos

10,779FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
628SeguidoresSeguir

Media Partner

Relacionados

Crítica – The Devil All The Time

The Devil All The Time pode não ser indicado para aqueles que têm uma visão muito pessoal sobre a religião. Já para outros será um filme que tardará a desaparecer da memória.

Crítica – I’m Thinking of Ending Things

Atenção, este não é daqueles filmes para colocar na televisão e ajudar a passar o tempo.
- Publicidade -

Mais Recentes