Portugueses admitem mudar os seus hábitos devido ao COVID-19

Os portugueses estão preocupados com o coronavírus e admitem alterar os seus hábitos. 70,4% estão preparados para reforçar as compras para casa e 63,2% admitem deixar de ir a eventos num futuro próximo, mesmo após começarem a registar-se melhorias nos próximos meses.

- Publicidade -

Os dados são de um estudo realizado pela multidados.com em parceria com a Guess What, que quis ainda saber qual o nível de conhecimento dos cidadãos nacionais sobre este tema. Da totalidade dos inquiridos, 87,5% consideram-se esclarecidos sobre o tema, com uma percentagem ainda maior a afirmar conhecer os sintomas (92,1%). No entanto, apenas 27% identificam o cansaço como sintoma e só 24,3% o fazem em relação às dores musculares.

Ligar para a Linha de Saúde 24 é o comportamento que 71,8% dizem seguir em caso de suspeita de infeção, com 61,3% a assumir o isolamento. Ainda assim, um em cada cinco (20,5%) admitem recorrer ao hospital, com 19,9% a falar no uso de máscaras, ambas desaconselhadas pelos especialistas.

Apesar do volume de notícias sobre o tema, 52,6% dos inquiridos não se sentem alarmados, estando a maioria (70,4%) confiante nas informações prestadas pelas autoridades de saúde.

O estudo foi realizado por via dos métodos CATI (Telefónico) E CAWI (online) a uma base de dados de utilizadores registados na plataforma da multidados.com. Foram recolhidas e validadas 1000 respostas entre os dias 2 e 8 de março.

De resto, se vão trabalhar a partir de casa, não deixem de ter em conta estes conselhos. E têm aqui algumas regras básicas de higiene.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Testes rápidos à COVID-19 voltam a ser gratuitos a partir de 19 de novembro

Isto numa altura em que os casos têm estado a aumentar.

Este teste avalia a imunidade ao novo coronavírus

O teste pode ser realizado em qualquer unidade SYNLAB.

Deve-se ou não vacinar os jovens entre os 12 e os 15 anos contra a COVID-19?

Na ótica da Direção-Geral de Saúde, só é recomendável que se vacinem os jovens se eles tiverem comorbilidades associadas, que possam conduzir a uma doença grave ou à morte.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Partilha. Ex-concorrentes de Hell’s Kitchen abriram restaurante em Braga

O espaço foi inaugurado em outubro do ano passado e funciona de terça a sábado.

Troço da EN10 entre Marateca e Pegões será integralmente reabilitado

A concretização deste projeto assegurará a melhoria das condições de circulação, segurança e conforto dos milhares de utentes que diariamente circulam na EN10.