Organização do quarto de criança: influência no desenvolvimento infantil

- Publicidade -

Assim que se sabe que a família vai receber um novo membro, os pais apressam-se em preparar a organização do quarto da criança. Afinal, não há nada mais especial que a chegada de um filho.

Apesar de ser um processo entusiasmante, a verdade é que à medida que os filhos crescem, é importante passar a ouvir os seus gostos e ideias para o seu espaço. Mas será que isto significa que os pais não tenham que planear o quarto?

A influência que a organização do quarto da criança tem no seu desenvolvimento

De acordo com vários psicólogos, a decoração e a organização do quarto da criança é muito importante para o seu desenvolvimento. Porquê? Porque ajuda na formação da sua identidade.

Entre outras habilidades, a organização do quarto é um processo que envolve a autonomia, a independência e a autoconfiança da criação. Por isso mesmo, quando os adultos tomam demasiadas decisões pelos seus filhos, isto acaba por afetar o desenvolvimento cognitivo dos mais novos.

Nesse sentido, é importante que os pais possam ensinar e permitir que a criança encontre soluções para cenários desafiadores desde cedo. Assim, estarão a estimular o mais pequeno a desempenhar tarefas sozinho.

Como criar um espaço saudável para a criança?

Posto isto, como é que se pode criar um espaço saudável para a criança? Simples: ela deve ser a protagonista de todo o processo. Isso implica que os pais não ajudem no processo? Não, de todo. No entanto, deverão ouvir o mais pequeno e equilibrar as suas expectativas.

Se querem ajudar o vosso filho na organização do seu quarto, então, sigam as nossas dicas.

1. Ouçam a criança

Assim que o bebé nasce, os pais são os responsáveis pela decoração e organização do quarto da criança. Para tal, baseiam-se na rotina de cuidados necessários para o seu bem-estar. Mas assim que ela cresce, o espaço torna-se delas.

Tal como acontece com o quarto dos pais, o quarto da criança deve ser de acordo com os seus desejos e personalidade. Por isso, devem ouvi-la e ajudá-la a executar as suas ideias.

2. Façam a gestão das expetativas em relação à organização do quarto da criança

Apesar de o quarto ser da criança, o orçamento, por exemplo, é dos pais. Por isso, é normal que, em algumas situações, não seja possível satisfazer todos os desejos do mais pequeno.

Seja por questões financeiras, seja por questões de segurança, nesses casos, é importante estabelecer alguns limites. Quando a criança pedir algo que não seja possível, expliquem-lhe o porquê de isso ser assim. Além disso, incentivem-na a procurar alternativas dentro daquilo que se pode concretizar.

3. Promovam a autonomia do mais pequeno

De acordo com o Método Montessori, criado em 1907 pela médica Maria Montessori, em que incentiva o princípio da autoeducação, devem promover a autonomia da criança dentro do espaço.

Por exemplo, devem evitar uma estante enorme, na qual ela ficará dependente de ajuda para alcançar os seus brinquedos. Em alternativa, devem facilitar o acesso aos brinquedos, optando por móveis de criança adequados à sua altura.

4. Permitam que a criança desarrume o quarto

Uma vez mais, o quarto é da criança, por isso, ela deve ter a sua liberdade dentro do seu próprio espaço. Mas, claro, devem ensinar e explicar que é importante que tudo volte ao lugar depois do momento de brincadeira.

Ao permitirem que isto aconteça, estarão a ajudar a criança a estabelecer uma ligação entre a relação e o respeito que ela deve ter com o seu próprio espaço.

Neste caso, ter uma boa organização no quarto faz com que esta tarefa seja facilitada, e elementos como móveis de arrumação de brinquedos, caixas e arcas, estantes ou prateleiras, adaptadas à vossa criança, podem ser uma boa solução.

5. Envolvam a criança no processo de adaptação do quarto

Chega a uma altura que, inevitavelmente, é necessário fazer adaptações no quarto, como por exemplo, substituir a cama.

Tal como no processo de decoração e organização do quarto da criança, é importante que a sua adaptação, ao longo do tempo, conte com a intervenção do mais pequeno. Assim, o espaço refletirá a sua personalidade.

Uma vez mais, a ideia não é transferir todo o poder de decisão para os filhos, mas sim levá-los a participar no processo. Como tal, deverão estabelecer limites e explicá-los.

O que não devem dizer durante a organização do quarto da criança

É importante reforçar a ideia de que os pais não devem ignorar o que a criança tem a dizer. Além disso, é crucial ter em conta o que ela diz e, por isso, evitar dizer frases como “quem manda somos nós”.

Posto isto, está na altura de criarem um espaço agradável para o mais pequeno poder dormir, estudar e brincar, mas, acima de tudo, onde se possa sentir seguro. Afinal, isso irá refletir-se no seu desenvolvimento.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes