Apple apresenta novos Macbook Pro com processador M1 Pro e M1 Max

É todo um novo nível de processamento… com o devida subida de preço.

- Publicidade -

Esta segunda-feira, dia 18 de outubro, a Apple promoveu mais um evento online, sendo que o destaque esteve precisamente nos novos Macbook Pro de 14 e 16 polegadas, que surgem redesenhados e com novos e potentíssimos processadores da marca da maçã.

Naturalmente, é “o Macbook Pro mais poderoso de sempre”, como diz a Apple. Além dos processadores M1 Pro e M1 Max (já lá vamos), o Macbook Pro conta com um ecrã Liquid Retina XDR, a melhor câmara (1080p) e as melhores colunas alguma vez colocadas num portátil Mac, uma vez que temos aqui um sistema de áudio com seis altifalantes e quatro woofers com force-cancelling.

Além disso, a Apple fez questão de salientar o regresso de uma porta HDMI e de uma ranhura para cartões SDXC, como se fosse alguma característica de destaque, mas são “novidades” sempre bem vindas.

Voltando ao ecrã, agora temos… um notch. Sim, é isso mesmo que leram, local onde está inserida a webcam. Resta-nos esperar para ver como é que a Apple vai fazer com menus que passem para lá da notch, uma vez que existe, apps cujos menus ultrapassam a metade do ecrã.

Além disso, e pela primeira vez, o Macbook Pro terá fast charge, o que lhe permite receber 50% de carga em cerca de 30 minutos. Novamente, nada que não tivessemos já visto noutras marcas. Mas adiante.

O grande destaque vai mesmo para a evolução do processador M1, estreado no ano passado, e que agora ganha versões Pro e Max.

O processador M1 Pro aumenta o já ótimo desempenho da arquitetura do M1, especialmente para os utilizadores profissionais. Diz a Apple que “até os projetos mais ambiciosos são executados sem problemas com a CPU até 10‑core, a GPU até 16‑core um Neural Engine 16‑core e motores de conteúdos multimédia para codificação e descodificação compatíveis com codecs H.264, HEVC e ProRes”.

Já o processador M1 Max “é o mais poderoso alguma vez criado para um portátil profissional, com CPU 10‑core, GPU até 32‑core e Neural Engine 16‑core. Processa gráficos ao dobro da velocidade e tem duas vezes mais largura de banda da memória do que o processador M1 Pro. Inclui um motor de conteúdos multimédia dedicado para descodificar e dois para codificar, permitindo uma codificação de vídeo até duas vezes mais rápida, além de dois aceleradores de ProRes para um desempenho multistream fora de série”.

Porém, isto não quer dizer que sejam máquinas orientadas para gaming. Primeiro, porque não há nada como ter uma gráfica dedicada, e ao ritmo que surgem, e cada vez mais avançadas, dificilmente a Apple alguma vez conseguirá acompanhar essa tendência, até porque nunca foi o principal objetivo dos computadores Mac. E depois porque a grande maioria dos jogos não é compatível com o MacOS (e agora os M1 nem deixam instalar o Windows nestas novas máquinas).

Outro destaque é que, pela primeira vez, “o Magic Keyboard do MacBook Pro tem uma fila de teclas de função de tamanho normal e que transmitem a sensação tátil das teclas mecânicas que os profissionais adoram”.

Em termos de autonomia, por norma os Macbook são imbatíveis, e este novo modelo não deixará certamente a desejar. Aliás, para consumo multimédia, diz a Apple que o modelo de 14 polegadas aguenta até 17 horas, ao passo que, para navegar na Internet via Wi-Fi, a bateria aguenta 11 horas. Estes valores sobem para as 21 horas e 14 horas, respetivamente, na versão de 16 polegadas.

Resta falar nos preços, que podem chocar. Começam nos 2.349€ na versão inicial do modelo de 14 polegadas e nos 2.849€ na versão inicial do modelo de 16 polegadas. Sim, os preços são tal e qual a Apple nos habituou. Na verdade, a diferença é de somente 50€ em relação à geração anterior do Macbook Pro de 16″, que contavam com processador Intel e características que ficam a anos-luz destes novos modelos.

Deixamo-vos um conselho: não comprem diretamente no site da Apple, isto a não ser que necessitem mesmo de um teclado PT-PT. É que recorrendo a sites como a Amazon, facilmente poupam, logo à partida, 200€300€.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Do iMac para o Mac Mini M1. O melhor e o pior da minha atualização

Com vários prós e contras, a Apple conseguiu aqui um belo equipamento.

WWDC 2021: FaceTime chega ao Android e Windows e novo Apple Maps chega em breve a Portugal

As versões public beta do iOS 15 serão disponibilizadas já no próximo mês de julho.

Siri revela novo evento da Apple para 20 de abril

Ao invés de ser a empresa propriamente dita a anunciar, foi a assistente virtual a adiantar-se.

Apple anuncia nova série antológica The Crowded Room. A primeira temporada terá Tom Holland como protagonista

Depois do sucesso de Cherry, filme que está disponível na Apple TV+, a empresa e o conhecido ator juntam-se para um novo projeto.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Inaugurado primeiro Espaço Cidadão numa unidade de saúde

Algo que vem facilitar ainda mais a vida aos cidadãos.

Clockwork Aquario – Uma nova oportunidade para este clássico perdido

Anteriormente cancelado, o título da Westone regressa à vida graças à conversão da Inin Games.

Crítica – Resident Evil: Welcome to Raccoon City

Infelizmente, ainda não foi desta que surgiu um filme genuinamente bom de uma adaptação de Resident Evil para o grande ecrã.