miio vai assumir o custo da nova tarifa MOBI.E

A empresa portuguesa quer assegurar-se que os utilizadores não pagam esta taxa adicional.

- Publicidade -

No passado mês de maio, o Lidl Portugal fez saber que não iria cobrar a taxa adicional de carregamento de veículos elétricos aos clientes, tarifa que entrou em vigor no passado dia 1 de maio e que passou a cobrar aos utilizadores uma taxa de 16,57 cêntimos por cada carregamento efetuado, juntamente, claro, com o custo de carregamento por minuto. Agora, é a vez de uma empresa portuguesa tomar também essa decisão de assumir os custos da nova tarifa.

Falamos, claro, da miio, que tem dado que falar na área da mobilidade elétrica. É a mais recente empresa a anunciar que vai manter o preço de carregamento de veículos elétricos e acarretar o custo da nova tarifa MOBI.E.

Desta forma, todos os utilizadores de veículos elétricos que façam o carregamento em qualquer posto da rede nacional através da miio não serão impactados com alterações de preço, quer de forma direta na ativação do carregamento, quer de forma indireta, através do aumento do preço do posto em minutos ou kWh.

Com isto, a miio passa a contar com um preço de energia fixo, garantindo a previsibilidade e sustentabilidade do modelo de negócio, e facultando um preço acessível. Para o consumidor final não existirá qualquer diferença, exceto o facto de poder aceder a todos os detalhes que compõem o preço final disponível na app miio.

Recorde-se que, recentemente, a miio introduziu a funcionalidade miio Pay, que não pressupõe a existência de um cartão de carregamento físico, de um contrato ou a adesão a um serviço, comumente chamada de carregamento ad-hoc, e que se assemelha ao abastecimento de um veículo a combustão. A empresa foi também a primeira a disponibilizar à comunidade de utilizadores de veículos elétricos os carregamentos digitais sem recurso a cartão.

Lançada há menos de dois anos, a miio é atualmente a única aplicação que permite que o utilizador visualize o preço final e compare com tarifários de outros CEMEs (Comercializadores de Eletricidade para a Mobilidade Elétrica). Através da aplicação é possível saber, com precisão, e com base no posto, hora do dia e veículo, quanto é que o utilizador vai pagar por esse carregamento, e sem recurso a nenhum cartão.

- Publicidade -

1 Comentário

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Pontos de carregamento de veículos elétricos das lojas Mercadona passam a integrar a rede MOBI.E

Atualmente, a Mercadona conta com 40 pontos de carregamento distribuídos pelas 20 lojas existentes em Portugal.

Carregamento de veículos elétricos na rede Mobi.E pode agora ser feito de forma 100% digital

Ou seja, não será necessário recorrer a um cartão de carregamento físico.

Todos os postos de carregamentos de carros elétricos vão passar a ser pagos em junho

De momento, os carregamentos de elétricos são pagos nos postos de carregamento rápidos e também nos postos de carregamento normal em zona privada.

Carros elétricos: postos de carregamento fora de serviço fazem disparar reclamações

Se é verdade que o número de consumidores de carros elétricos tem aumentado em Portugal, os problemas associados a esta nova tecnologia também...
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Domino’s Pizza abre segunda loja em Braga

É a 40ª loja da marca em Portugal.

Última temporada de The Walking Dead vai ser dividida em três partes

A série principal terminará algures em 2022.