MEO Marés Vivas 2018 | Rita Ora numa maré viva de boas energias

Rita Ora já tinha tido o privilégio de pisar terras lusas, em 2016. Voltou agora a fazê-lo, com a sua aparição no festival MEO Marés Vivas.

- Publicidade -

Mesmo com um atraso, a artista não perde mais tempo, e presenteia o público com o tema “Your Song”, primeiro single do seu próximo álbum de estúdio, a sair algures em novembro, e que conta com inúmeras vendas em países como a Nova Zelândia, Alemanha e Holanda.

Continua com “Poison”, do EP Poison, e segue com o seu último single, também a integrar o próximo álbum, “Girls”, que conta com a participação de Cardi B, Bebe Rexha e Charli XCX, e que foi bem recebido pelos fãs mas criticado por cantoras como Hayley Kiyoko e Kehlani.

“I Will Never Let You Down”, do seu EP Poison, e “R.I.P.”, do seu albúm de estreia Ora, em 2012, foram temas que se seguiram, não se ficando atrás os hits em que a cantora participou, tais como “Lonely Together”, do malogrado DJ Avicii, “Black Widow”, de Iggy Azelea, e “Hot Right Now”, de DJ Fresh, que contou com todo o apoio do público ao cantarem e dançarem com ela. Contudo, o verdadeiro ponto alto da noite estaria em “For You”, do filme 50 Shades Freed, levando o público ao rubro. “Anywhere”, outra faixa do próximo álbum, é a canção escolhida para terminar a sua actuação, mas, antes do adeus, ainda tirou uma foto com o público.

Rita manteve contacto com o público durante todo o concerto, descendo algumas vezes as escadas para estar mais proxima dos fãs. Outro momento alto da noite foi quando Rita permitiu que um fã cantasse uma canção à sua escolha, após ter visto a meio do concerto um cartaz a dizer “please, do you let me sing?” (por favor, deixas-me cantar?).

Apesar de não ter sido cabeça de cartaz, Rita foi uma das grandes e principais atrações do festival. Era notório que a atuação da artista era o motivo pelo qual grande perte do público, vindo de norte a sul do país, estava lá – algo que se notou, de resto, quando o recinto ficou quase vazio após a sua saída do palco.

Foi um concerto que nos encheu as medidas dado por uma artista completa a muitos níveis. Decerto que o público gostaria de voltar a vê-la pela terceira vez. Cá te esperamos, Rita.

Texto por: Sandro Canossa

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Crítica – Spiral: From the Book of Saw

Spiral pode oferecer sangue, gore e armadilhas/homicídios brutais o suficiente para os fãs da franchise, mas no geral, não deixa de ser apenas mais uma versão preguiçosa e previsível da fórmula de SAW.

The Black Mamba no Campo Pequeno – O amor estava de facto do nosso lado

Um concerto onde não faltou o tema que a banda vai levar ao Festival Eurovisão.

Crítica – Wrath of Man

Wrath of Man não é um filme único, fascinante ou mesmo inovador, mas não deixa de ser uma das maiores e melhores surpresas do ano.

Metz regressam a Portugal no próximo ano

O trio canadiano dará dois concertos: um no Porto e outro em Lisboa.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Época balnear 2021. Eis as regras definidas pelo Governo

Comer bolas de Berlim? Sim. Mas jogar raquetes não é permitido.

Museu da Lourinhã ganha versão digital com a ajuda da Vodafone

O Museu Digital da Lourinhã dispõe, a partir de hoje, de um conjunto de soluções de Realidade Virtual.

Santuário do Cabo Espichel transforma-se em projeto com vocação turística

O imóvel está classificado de interesse público desde 1950, beneficiando, ainda, de uma Zona Especial de Proteção.