- Publicidade -

MB Way. Regras de segurança para nunca serem enganados

-

- Publicidade -

Se é verdade que o MB Way veio facilitar a nossa vida, seja para pagamentos, para dividir contas, enviar dinheiro a amigos ou até levantar dinheiro diretamente no Multibanco sem necessidade de andarmos com cartões atrás, também sabemos que os burlões da Internet aproveitaram este serviço para enganarem pessoas de outras formas.

Vários são os relatos na Internet (podem consultar no Portal da Queixa, por exemplo) de pessoas que foram enganadas em centenas ou milhares de euros devido a negócios que estavam a efetuar via OLX ou Custo Justo. Sim, antigamente os burlões falsificavam talões de Multibanco, mas, com o MB Way, isso deixou de ser necessário, aproveitando-se das pessoas que nunca utilizaram o serviço.

Vamos por partes. Para aderir ao MB Way, é necessário fazer a respetiva ativação do serviço numa caixa Multibanco. Temos de inserir o nosso número de telemóvel e definir um pin de seis digitos. Seguidamente, fazemos download da app, inserimos o nosso número e o pin que definimos no Multibanco. Depois recebemos uma SMS com um código de ativação para inserir na app e o serviço fica pronto a ser utilizado.

É neste passo que pode começar os problemas

Os burlões aproveitam-se dos menos entendidos em tecnologia, ou para aqueles que nunca utilizaram MB Way, para roubar. Basicamente, o que estes ladrões fazem é falar com alguém, dizendo que pagam o produto via MB Way. Se meterem conversa com alguém que já usa e abusa do serviço da SIBS, não têm sorte. Porém, se apanharem alguém que diz que nunca utilizou o serviço MB Way, tentam logo levar o esquema em frente.

Aí, o que fazem é pedir à vítima que vá a uma caixa ATM, insira o seu cartão bancário e depois faça nova adesão ao MB Way. A diferença é que estes burlões podem arranjar um qualquer número de telemóvel para que nunca sejam caçados e, aí, dizem à vítima para fazer adesão ao serviço através desse número de telemóvel. O burlão diz também à vítima para inserir um código e, assim que o processo estiver concluído, o charlatão passa a ter acesso à conta bancária da vítima.

No fundo, acontece uma troca: o número associado à conta MB Way da vítima passa a ser do burlão. Por outras palavras, pode pagar contas, fazer levantamentos ou compras online, entre outras coisas.

Essencialmente, estamos a dar acesso à nossa conta bancária a um completo desconhecido. É gravíssimo.

Como referimos acima, existem vários relatos na Internet de pessoas que foram burladas em grandes montantes monetários graças a este esquema. São clientes pouco entendidos, que nunca utilizaram MB Way e que caíram, como se costuma dizer, no conto do vigário.

Quando isto sucede, os clientes optam por reclamar juntamente do MB Way pelo facto de terem sido enganados e de não existirem alertas para burlas. Porém, no site oficial, a SIBS deixa algumas recomendações.

Se forem à secção de Perguntas Frequentes e selecionarem a opção Segurança, irão reparar que surge uma questão que diz :“Quais as recomendações de segurança na utilização do MB WAY?”.

Aí, são dadas quatro recomendações:

  • Nunca adicionar um número de telemóvel que não seja o próprio ou que desconhecem;
  • Não fornecer dados confidenciais ou pessoais via correio eletrónico ou SMS;
  • Não seguir ligações recebidas via correio eletrónico ou SMS;
  • Verificar o extrato da conta bancária com regularidade

Além disso, no próprio Multibanco, aquando da adesão ao MB Way, no momento da associação do número de telefone, surge a seguinte mensagem: “Nunca adicione um número que não possui ou desconhece”.

No entanto, não deixa de ser estranho o facto da SIBS saber da existência destas fraudes e não o mencionar no site oficial. Aliás, apesar das tais recomendações, não se encontra nada de objetivo que possa elucidar as situações que têm acontecido.

Em todo o caso, esta situação de PINs revela, também, alguma ingenuidade dos lesados. Afinal de contas, é um PIN, logo está implícito de que é um código de acesso pessoal e que, por isso, nunca deve ser transmitido a terceiros.

Uma das queixas que consultámos no Portal da Queixa de um dos lesados dá conta de que, no passado mês de janeiro, existiam mais de 500 casos reportados no que toca a fraudes com MB Way.

Raros serão os casos em que o dinheiro roubado é, efetivamente, devolvido. A SIBS pode descartar-se das acusações, uma vez que explica o funcionamento básico do serviço, e o banco onde o cliente tem conta, a não ser que seja muito simpático, muito dificilmente reembolsará o montante perdido. Afinal de contas, é o cliente que faz tudo para que o burlão possa roubar milhares de euros.

Então, quais são as regras de segurança para nunca se ser enganado via MB Way?

Essencialmente, devemos ser o mais desconfiados possíveis e NUNCA fornecer os nossos dados pessoais ou colocar dados ou números de telemóveis de outras pessoas para fazer a adesão ao que quer que seja. Até a PSP fez um post no Facebook a dar conta deste esquema.

Aumento de burlas através do MB WAYA Polícia de Segurança Pública (PSP) informa que tem vindo a detetar um aumento de…

Publicado por Polícia Segurança Pública em Terça-feira, 12 de novembro de 2019

A Polícia de Segurança Pública dá ainda cinco recomendações:

  • Se não compreendem o funcionamento da aplicação MB WAY, recusem o pagamento por esta via;
  • Em caso de dúvida, solicitem informação ao vosso Banco sobre o funcionamento do MB WAY antes de o utilizar;
  • Tentem sempre fazer os negócios de forma presencial se estiverem na mesma área geográfica do comprador;
  • Tentem receber os pagamentos presencialmente ou através de transferência bancária;
  • Nunca sigam instruções de desconhecidos para fazer pagamentos por MB WAY.

No fundo, se nunca utilizaram MB Way, peçam ajuda a um amigo mais entendido. O funcionamento básico do serviço da SIBS começou por servir para transferências imediatas de e para amigos.

Portanto, se optarem por fazer um negócio por essa via, a única coisa que devem aceitar fazer é transferir, ou receber, o dinheiro acordado através da transferência MB Way. E para isso basta colocar o número de telemóvel na aplicação e fazer o que é suposto. A app tem depois uma secção onde mostra a atividade realizada. Não se deixem burlar, cumpram regras de segurança!

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

10,241FãsGostar
4,046SeguidoresSeguir
508SeguidoresSeguir

Mais Recentes

Agora já podem receber os deliciosos croquetes da Croqueteria em casa

Muitos lisboetas saberão por esta altura que a Croqueteria, o primeiro spot dedicado ao croquete, tem um espaço físico no Time Out Market Lisboa. O que podem não saber, porém, é que o estabelecimento agora tem um restaurante virtual no COOKOO – The Kitchen Hub.

Há duas novas variedades de chocolates Nestlé Les Recettes de L’Atelier para esta Páscoa

Quem já provou as tabletes da linha Les Recettes de L'Atelier, da Nestlé, certamente que está familiarizado com o sabor característico de cada variedade. Pois bem, e a pensar na Páscoa, a marca lança agora duas novas tabletes.

Pic Solution doou medidores de pressão arterial a hospitais

A Pic Solution destaca ainda a importância de todos os cidadãos estarem atentos e a tomarem todas as precauções no âmbito do Covid-19.

Concertos e festivais reagendados não dão direito a reembolso, diz a Ministra da Cultura

É algo que promete causar polémica, mas é a própria Ministra da Cultura quem o diz. Espetáculos e festivais reagendados não dão direito a reembolso.

Este ano não há nem Festas de Lisboa nem Casamentos de Santo António

Esqueçam as marchas, arraiais e casamentos. Não há Festas de Lisboa em 2020.
- Publicidade -