- Publicidade -

Análise – Marvel’s Spider-Man: Turf Wars

-

Chegou à PlayStation 4 o segundo capítulo da trilogia de DLCs para Marvel’s Spider-Man. O novo episódio, chamado Turf Wars, dá continuidade à história do primeiro episódio, The Heist, e estende as aventuras do Homem-Aranha neste exclusivo da Sony.

Se há algo que se pode notar neste novo episódio é que o jogo não está para brincadeiras. Apesar de apresentar apenas um novo tipo de inimigo, inclui a nova facão introduzida em The Heist, com toda a sua ferocidade.

A Insomniac Games atualizou o jogo com um novo nível de dificuldade e, com isso, até na dificuldade média Turf Wars revela-se um desafio enorme, com ondas de inimigos mais organizadas, variadas e um tipo em particular que requer paciência e alguma destreza.

Hammerhead, a nova fação liderada pelo vilão do mesmo nome, tem agora acesso a toda a tecnologia deixada na cidade de Nova Iorque por Silver Sable, uma oportunidade que os coloca como uma grande ameaça à cidade de Nova Iorque. Esta ascensão na ausência dos vilões do jogo principal é o grande foco de Turf Wars.

Logo de início, este episódioignora o cliffhanger deixado em The Heist e começa por apresentar o novo vilão. Sem percebermos ao certo quais as verdadeiras motivações de Hammerhead (para além do controlo da cidade), este episódio de apenas duas horas (no máximo) leva-nos a percorrer missões que não são nada mais do que seguir pistas com eventuais batalhas rápidas.

Ao nosso lado, vamos ter de volta a polícia Yuri, que desempenha um papel bastante importante neste episódio e que apresenta um desenvolvimento de personagem emocionante e inesperado.

Ao contrario de The Heist, neste segundo DLC temos finalmente direito a uma boss battle, que se revela desafiante e que serve de excelente ponto final a este episódio, que volta a terminar num cliffhanger para o próximo episódio em dezembro, Silver Lining.

Apesar de ser mais curto que o episódio anterior, Turf Wars é mais diversificado nas missões que contém e inclui novas bases para limpar, que servem também de missões secundárias para ajudar uma investigação da MJ.

Os desafios da Screwball estão de regresso e há ainda recompensas para desbloquear, como os três novos fatos que são desbloqueados à medida que avançamos no episódio.

De destacar também as interações que Parker vai tendo com Miles Morales ao longo do episódio e que, apesar de curtas, apontam para um plano bem interessante da Insomniac Games para esta personagem.

Nesta altura, A Cidade Que Nunca Dorme começa a ganhar forma. Depois de um episódio morno, o curto Turf Wars é uma adição bastante consistente e completa que já tornam este pacote bastante interessante para os fãs de Marvel’s Spider-Man. Neste momento, mal se pode esperar para ver como vai acabar esta aventura.

Marvel’s Spider-Man: Turf Wars faz parte do pacote A Cidade Que Nunca Dorme que pode ser adquirido digitalmente por 19,99€ na PS Store e que é gratuito para todos os jogadores da Edição Deluxe de Marvel’s Spider-Man.

Este conteúdo foi cedido para análise pela PlayStation Portugal.

- Publicidade -

Sigam-nos

10,027FãsGostar
4,038SeguidoresSeguir
501SeguidoresSeguir

Mais Recentes

Peoople. Que rede social é esta que toda a gente está a falar?

Sim, é mesmo assim que escreve. Peoople. Surgiu em 2017, e, em menos de três anos, conseguiu dois milhões de utilizadores. Chegou recentemente a Portugal e, desde então, os portugueses ficaram loucos. Mas porquê?

Milky Chance no LxFactory – Uma noite de verão

Poderia muito bem ser um concerto no meio do deserto, com cactos à volta, um areal quente e o barulho das cigarras a enfeitar a voz rouca de Clemens Rehbein, o vocalista da banda alemã Milky Chance, mas o espaço do LxFactory, em Lisboa, preencheu, e bem, o propósito.

Porto. Abrigos para autocarros STCP vão ser mais confortáveis para os passageiros

A cidade do Porto prepara-se para uma mudança na via pública.

Microsoft Flight Simulator vai deixar-te voar pelo mundo inteiro e aterrar em todos os aeroportos

A nova versão do Microsoft Flight Simulator promete ser a mais ambiciosa da história da série.

Com o Geforce Now, não vai ser preciso um computador de topo para jogar Cyberpunk 2077 no máximo

A CD Projekt RED revelou que o lançamento de Cyberpunk 2077 na Steam vai ser compatível com o GeForce Now.
- Publicidade -