Análise – Mafia II: Definitive Edition

Remasterizado mas pouco atualizado.

Mafia II: Definitive Edition

No final do mês de maio, os fãs de Mafia receberam uma excelente notícia: o jogo original de 2002 iria receber um remake completo com lançamento já este verão. Mas as boas notícias não se ficavam por aí, pois Mafia II e Mafia III não só também se preparavam para uma pequena atualização, como foram imediatamente lançados de surpresa.

Enquanto que o primeiro jogo ainda está em desenvolvimento no seu remake e Mafia III apenas teve o seu relançamento com melhorias menores face ao original de 2016 lançado ainda esta geração, a curiosidade do tratamento da série sob o subtítulo Definitive Edition recai mais em Mafia II.

Com uma atualização gratuita para os jogadores que já possam ter o jogo na sua biblioteca da Steam, Mafia II estreia-se agora na atual geração de consolas, PlayStation 4 e Xbox One, com melhorias que, no papel, tornam o jogo mais atual.

A linha entre remakes e remasters é, atualmente, muito fina, e não parece haver um consenso entre o que é um e outro, especialmente quando são cada vez mais as remasterizações que parecem reconstruções por inteiro dos jogos originais, com novos elementos, efeitos, conteúdos e outras afinações técnicas que tornam os jogos expectavelmente mais atuais. Por outro lado, temos jogos que fazem o mínimo dos mínimos. Aumentam apenas resoluções e texturas, oferecem ocasionalmente um pacote recheado de extras, mas preservam o jogo original na sua totalidade.

Mafia II: Definitive Editon insere-se neste segundo grupo. É a experiência Mafia II completa com todos os seus DLCs, quase tal e qual como os jogadores se lembram quando foi lançado em 2012, o mesmo ano que viu o lançamento de Red Dead Redemption e Mass Effect 2, que, aos olhos dos fãs mais fervorosos, roubaram os holofotes daquele que foi um dos jogos mais aclamados pela comunidade nesse período.

E não era para menos, Mafia II foi aclamado pelas melhores razões. A história era envolvente e levava-nos até aos bastidores do crime organizado a meio do século XX, deixando-nos viver as fantasias cinematográficas de filmes tão importantes como The Godfather. Acompanhado por um elenco de personagens fantástico, um mundo rico inspirado em cenários reais e uma história dramática com muita ação e traições à mistura, tínhamos um jogo bem concretizado, cheio de detalhes e alguns avanços tecnológicos inovadores na altura, ao mesmo tempo que tentava ser uma alternativa a titãs como a série GTA.

Mafia II: Definitive Edition

Para aquilo que pretendia ser na altura, foi um marco. Tal é inegável, razão pela qual cativou e agarrou tantos jogadores que ansiaram não só por uma sequela, como agora estão em pulgas para viajar até ao jogo original com um novo olhar.

Em Mafia II Definitive Edition os fãs de longa data vão sentir-se em casa e vão olhar para o jogo de cara lavada, ainda que a nova edição do jogo não seja 100% a ideal, em particular nas consolas premium, onde a resolução nativa não atinge os 4K nativos e nem existe opção de correr o jogo a mais do que 30FPS.

Esta nova versão, o que essencialmente oferece de novo, são aspetos técnicos: a resolução é mais elevada, as texturas são mais claras e definidas, assim como as sombras, a qualidade dos elementos à distância também melhorou… e pouco mais.

Como este é um título já com alguma idade, com limitações técnicas ao nível da densidade de elementos do ecrã, a clareza extra do jogo parece não funcionar tão bem a seu favor, com o mundo de Mafia II a apresentar-se mais despido, limpo e estéril do que o que ficou na memória de muitos jogadores. As ruas parecem mais largas, os edifícios, apesar de terem detalhe, parecem simples paredes, e a população de NPCs é simples e em pouca quantidade.

Este efeito torna-se ainda mais prevalente em momentos em que o jogo é mais quieto, como em momentos noturnos, tendo uma ambiência muito solitária e quase aterrorizante num jogo que devia de se fazer sentir vivo e interessante de explorar.

O facto de Mafia II ser um jogo relativamente mais linear que muitas apostas de mundo aberto tornam-no, pelos standards atuais, um jogo pouco interessante de explorar. O seu mapa é relativamente pequeno e serve apenas de palco para viajar de ponto A a ponto B sem grandes emoções, exceto quando as missões se baseiam em perseguições ou quando tentamos fugir à policia.

Outro aspeto que, infelizmente, não foi melhorado, foi a jogabilidade. Um jogador que nunca tenha pegado no jogo original, vai sentir que entrou numa máquina do tempo. Para um relançamento do género pedia-se, no mínimo, uma espécie de ajuste nos controlos, de forma a tornar a experiência mais agradável e menos solta e caótica.

A experiência de conduzir veículos é apenas satisfatória, em particular no modo normal e não no modo de simulação. Já controlar a nossa personagem pode ser uma dor. O combate corpo a corpo é lento e a câmara coloca-se em estranhas posições que, por vezes, não permitem ler os ataques dos adversários. E o sistema de tiro? É simplesmente frustrante. Nada é orgânico, tudo é robótico e artificial e retrata muito bem como é que os jogos evoluíram a nível mecânico em 10 anos.

Mafia II: Definitive Edition

Há outros aspetos que também me deixaram de pé atrás na experiência que Mafia II: Definitive Editon tenta oferecer. Apesar das suas melhorias, há uma série de bugs técnicos ao longo do jogo, desde sistemas de checkpoint quebrados, inimigos que ficam bloqueados, cinemáticas em que o áudio da voz sai apenas pelo lado esquerdo, entre outras pequenas chatices. Mas o que mais me desaponta numa primeira impressão é a qualidade geral deste relançamento, fica aquém das expetativas de antigos e novos jogadores.

Esta análise foi feita numa Xbox One X, uma das consolas mais versáteis desta geração no que toca ao acesso a jogos mais antigos. Graças às suas capacidades técnicas, é recorrente encontrar na biblioteca jogos antigos que correm nativamente na consola com melhorias tanto a nível de texturas, como de resoluções. E é interessante verificar como alguns desses títulos, com a mesma idade de Mafia II, conseguem parecer mecânica e tecnicamente mais agradáveis que este relançamento.

Não tenho dúvidas que Mafia II seja um excelente jogo na sua bolha temporal. Acho excelente que existam soluções de preservação de jogos antigos. E esta até pode ser a melhor versão que existe de Mafia II. Porém, no fim do dia este é um relançamento que tenta fazer o mínimo dos mínimos, com resultados que deixam muito a desejar.

Mafia II: Definitive Editon está disponível para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

Nota: Satisfatorio

Plataformas: PC, Xbox One e PlayStation 4
Este jogo (PlayStation 4) foi cedido para análise pela Capital Games

- Publicidade -

Sigam-nos

10,582FansCurti
4,064SeguidoresSeguir
609SeguidoresSeguir

Relacionados

- Publicidade -

Mais Recentes

Blanca Suárez revela final alternativo de As Telefonistas

A série As Telefonistas despediu-se dos ecrãs na semana passada, mas parece que o final poderia ter sido diferente.

Showbiz Kids estreia na HBO Portugal a 15 de julho

A HBO tem vindo cada vez mais a apostar em conteúdos para enriquecer a sua plataforma, sejam eles portugueses, espanhóis ou americanos.

MEO entra no setor da Energia

O MEO Energia é um tarifário que junta energia, exclusivamente produzida a partir de fontes 100% renováveis, e benefícios de comunicações.