Loulé aprova intenção de criação da Reserva Natural Local da Foz do Almargem e do Trafal

Com a criação desta Reserva, a autarquia pretende levar a cabo uma série de iniciativas como a promoção de práticas educativas e científicas que conduzam a uma maior literacia ambiental e cultura científica.

- Publicidade -

A Câmara Municipal de Loulé quer proteger os ecossistemas e o património ambiental e natural do seu território para preservar a biodiversidade aí existente e, nesse sentido, foi aprovada hoje por unanimidade, em sessão camarária, a proposta de intenção de criação da Reserva Natural Local da Foz do Almargem e do Trafal.

A área proposta a ser classificada localiza-se na freguesia de Quarteira, no limite sudeste da faixa litoral, abrangendo cerca de 135 hectares. A zona é atravessada por duas ribeiras, a ribeira da Fonte Santa ou do Almargem e a ribeira do Carcavai, e constitui uma das importantes zonas húmidas do Algarve.

Trata-se de uma área “extremamente rica em vida selvagem, nomeadamente em espécies com estatutos de proteção elevados”, de acordo com o estudo realizado pela Almargem, em 2019, sobre a valorização das zonas húmidas da região e que constitui a base para esta proposta. A Foz do Almargem e Trafal alberga, pelo menos, 214 espécies de flora autóctone, nove habitats naturais, 235 espécies de fauna, 137 espécies de avifauna, das quais 26 estão ameaçadas e 94 espécies diferentes de insetos.

Localizada numa zona bastante apetecível do ponto de vista urbanístico, a futura Reserva pretende constituir-se igualmente como um travão ao que poderia vir a ser o crescimento imobiliário desregrado, pondo em causa ecossistemas sensíveis, em particular as ribeiras do Almargem e do Carcavai e respetivas lagoas, cujas áreas de terra são inundadas com água, sazonal ou permanentemente, e que funcionam como barreiras contra catástrofes naturais, ajudando a minimizar significativamente os impactos das alterações climáticas.

Com a criação desta Reserva, a autarquia pretende levar a cabo uma série de iniciativas como a promoção de práticas educativas e científicas que conduzam a uma maior literacia ambiental e cultura científica, incentivando a participação ativa das comunidades, promoção do usufruto sustentável do território ao nível turístico, desportivo e de lazer, ações de restabelecimento, estabilização e proteção do sistema dunar ou a substituição gradual de espécies invasoras, exóticas ou infestantes por espécies autóctones, entre outras.

A Câmara de Loulé irá agora trabalhar no regulamento para a gestão desta Reserva Local, seguindo-se uma fase de consulta pública e apreciação e parecer por parte das entidades e aprovação final da Assembleia Municipal. Este processo levará cerca de nove meses.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Câmara de Loulé promove aldeia de Natal

Este ano não haverá festa de passagem de ano, mas haverá, sim, pelo menos no município, espetáculo de fogo-de-artifício.

Está a nascer em Loulé um resort sustentável inspirado em aldeia algarvia

A abertura está prevista para o outono de 2022.

Festival interMEDio traz de volta a world music a Loulé

Ainda não há cartaz, mas será divulgado nos próximos dias.

Street Food é o tema da Algarve Chefs Week 2018

Nos restaurantes das 14 unidades hoteleiras participantes, os amantes da gastronomia poderão, durante uma semana, usufruir de uma experiência gastronómica com um menu temático ao jantar pelo valor de 30€ sem bebidas incluídas.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Supermercados Mercadona do distrito de Setúbal são os primeiros a largar as moedinhas dos carrinhos

Auchan, Intermarché, Lidl, Continente, Aldi... todos usam carrinhos de compras. No distrito de Setúbal, a Mercadona vem mudar isso.

Yorn repete tradição e volta a dar mais gigas de roaming

Acontece o mesmo todos os anos. E ainda bem.