Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira será o único geoparque a sul do rio Tejo

Este é um projeto pensado para várias gerações, perpetuando costumes e tradições, e que pretende desenvolver o turismo no interior e, ao mesmo tempo, estimular a economia.

- Publicidade -

Os municípios de Loulé, Silves e Albufeira e a Universidade do Algarve uniram-se para dar a conhecer alguns dos segredos mais bem guardados do Algarve, um património com mais de 350 milhões de anos, que agora pode ser visitado pelos amantes do turismo de natureza e curiosos da história e do território nacional.

O aspirante Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira será o único geoparque a sul do rio Tejo e ocupa um total de 1.381km2, cerca de um terço do território algarvio, onde reside um património geológico anterior ao aparecimento dos dinossauros tão singular e tão relevante que permite contar vários capítulos da história do planeta Terra.

Hoje já é possível visitar alguns dos geossítios identificados e ainda descobrir a cultura, a natureza, as gentes e a gastronomia que os envolvem, numa viagem imersiva ao interior deste Algarve onde reside o ADN de toda a região.

Subir à Rocha da Pena, descobrir os mistérios da Mina de Sal-Gema na cidade de Loulé, observar a Formação do “Grés de Silves”, que percorre o Vale Fuzeiros, fazer uma caminhada até à Fonte Benémola ou visitar o Planalto do Escarpão são apenas algumas das atividades que poderá fazer ao longo deste território. Deste rico património geológico fazem ainda parte os geossítios da Discordância Angular no Pirinéu, da Penina, onde se encontra a Jazida do Metoposaurus algarvensis, e do Complexo vulcano-sedimentar nomeadamente na Torre e dos Megalapiás da Varejota. Todo o roteiro e atividades encontram-se disponíveis aqui.

Para além deste património geológico de referência a nível nacional e internacional, o aspirante Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira possui também um rico património natural, pela sua reconhecida biodiversidade, arqueológico, gastronómico, cultural e social comum, extensível e complementar entre os três municípios.

Este é um projeto pensado para várias gerações, perpetuando costumes e tradições, e que pretende desenvolver o turismo no interior e, ao mesmo tempo, estimular a economia. As iniciativas propostas passam, entre outras, pela criação de roteiros patrimoniais, que permitam o desenvolvimento de um turismo sustentado e a fixação de pessoas, pela realização de exposições e ações de educação e comunicação, por aprofundar o conhecimento do território e promover a preservação e conservação do património ambiental e cultural do território Geoparque, com ações de manutenção, conservação, educação e promoção de turismo social e ambientalmente sustentável.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

EMMA. O novo restaurante de Cascais foi pensado para toda a família

Há uma escola de yoga e paddle, um bar de praia e uma loja da Quiksilver. É o primeiro e único Family Beach Club nas praias da linha.

Museu da Covilhã é inaugurado no final de junho

Permitir conhecer e compreender melhor o passado do concelho da Covilhã é a prioridade deste espaço expositivo.