LOCO vai ter queijos exclusivos, produzidos no restaurante

Depois de centenas de horas de pesquisa e de quilómetros percorridos em busca da melhor matéria-prima, e de muitos testes, o LOCO prepara-se para apresentar ao mundo os queijos que têm vindo a preparar no restaurante e no I+D. O chef Alexandre Silva e o sous-chef Ricardo Leite dão-nos a provar as primeiras fatias desta novidade.

- Publicidade -

“A ideia surgiu porque havia clientes que, no final da refeição, nos perguntavam se tínhamos queijo. Esta necessidade abriu uma janela de oportunidade. Tentámos perceber o que é que a criação de queijos implicava. É um processo que dura há mais de seis meses”, conta Alexandre Silva. Mediante o lema do LOCO e o trabalho desenvolvido no I+D, espaço adjacente ao restaurante, a equipa sentiu que não faria sentido não tentarem produzir os seus próprios queijos.

Alexandre e Ricardo fizeram-se então à estrada, ao encontro de pequenos produtores de leite de qualidade. Seguiram-se muitos dias de estudo e preparação, investimentos em máquinas de controlo de ph (para controlar o processo de acidez do queijo), numa prensa, em utensílios usados apenas nestas confecções e em facas especiais para o corte de queijo. “Mas este é um processo muito manual, nada a ver com máquinas. Por exemplo, o queijo de longa cura tem que ter uma temperatura de coalho de corte mais alta, o que implica que estejamos com as mãos numa ‘massa’ que está a sensivelmente 50º C, até a deixarmos do tamanho de grãos de arroz”, explica o sous-chef.



Já com a melhor matéria-prima, a equipa começou por algo simples, tentando tirar dela o maior partido, do leite de vaca, do de ovelha ou do de cabra. De seguida, começaram a fazer algumas misturas e depois passaram à introdução de bolores, curas e sabores que acharam interessantes. O caminho é longo, há queijos que só estarão finalizados daqui a 8/9 meses. “E depois tem sempre que haver ajustes, afinações…”, remata o chef. “Atenção, tem sido um processo evolutivo, que envolve muita investigação a cada passo, e que temos vindo a optimizar e a melhorar”, esclarece o seu braço direito no LOCO. E o Desperdício Zero, bandeira do restaurante e de toda a acção no I+D, também não é esquecido: tudo o que não é aproveitado na confecção dos queijos é utilizado na composição de um requeijão, exclusivo do restaurante.

O processo segue todas as normas de higiene e segurança e é supervisionado com o máximo rigor pois, segundo Ricardo, “fazer queijo é trabalhar com um produto que parece um ser vivo, em constante evolução”. Todos os queijos envolvem um tratamento especial: há um controlo diário da humidade, da limpeza, da evolução e da conservação dos mesmos.

A ideia será criar um momento de queijos no menu, para quem quiser, entre a pré-sobremesa e a sobremesa, num carrinho que circulará pela sala com os queijos que estiverem disponíveis. “Queremos servir uma variedade considerável e bonita de queijos, e contar a história de cada um”, planeia o chef. A novidade não incide “apenas” no facto de os queijos serem produção própria, mas também na variedade, com curas e aromatizações inesperadas. Entre outras produções, a equipa apresentará nos próximos meses um queijo estilo pecorino, um parecido ao queijo azul, mas também queijo de ovelha, o já citado requeijão, de vaca, e até queijo curado com feno de camomila e aguardente. O valor do menu LOCO, de 18 momentos (a partir de agora o único disponível no restaurante, por 96€) com o momento dos queijos incluídos é 126€.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

EMMA. O novo restaurante de Cascais foi pensado para toda a família

Há uma escola de yoga e paddle, um bar de praia e uma loja da Quiksilver. É o primeiro e único Family Beach Club nas praias da linha.

O novo hambúrguer da Burger Wheels traz uma seringa descartável cheia de molho de queijo

E são os próprios clientes que recheiam os seus hambúrgueres.

Chef Stories. Há um novo restaurante dedicado à carne em Azeitão

O espaço tem como objetivo a partilha e está inteiramente dedicado a amantes de carne.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Análise – Olympic Games Tokyo 2020 – The Official Video Game (Xbox One)

Olympic Games Tokyo 2020 – The Official Video Game é claramente uma abordagem simples, familiar e intuitiva aos Jogos Olímpicos, sendo um complemento perfeito nesta época em que acompanhamos os nossos atletas e desportos favoritos.

Análise – Microsoft Flight Simulator (Xbox Series X|S)

Microsoft Flight Simulator voa mais alto e torna-se ainda mais acessível com a chegada da versão de consolas.

Série live action de Pokémon está em desenvolvimento para a Netflix

Mas o projeto está ainda numa fase muito embrionária.