Lisboa é líder isolada na lista de autarquias com o maior número de queixas dos munícipes

Já São João da Madeira, Vale de Cambra, Arouca e Trofa mal registam queixas.

- Publicidade -

Assim que se aproximam as eleições autárquicas, é normal que muitos candidatos prometam mundos e fundos para os municípios. Mas como muitas promessas não são efetivamente cumpridas, e há sempre problemas que ficam por resolver, é importante ter em conta as reclamações dos cidadãos no que ao último mandato diz respeito.

Foi precisamente isso que fez o Portal da Queixa, graças a um novo estudo para apurar quais as Câmaras Municipais que mais reclamações receberam durante o último mandato (2017 – 2021) e que motivos mais inquietaram os portugueses.

A análise – que incidiu nas Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto – revela que Lisboa, Porto, Sintra, Oeiras, Vila Nova de Gaia, Loures, Seixal, Cascais, Almada e Matosinhos são os 10 concelhos com o maior número de queixas.

Entre o dia 1 de outubro de 2017 e o dia 31 de agosto de 2021, o Portal da Queixa recebeu um total de 5457 queixas dirigidas às autarquias das Áreas Metropolitanas de Lisboa e do Porto, um aumento de 345% em comparação com o período homólogo, o quadriénio 2013-2017. De 1 de outubro de 2013 até 31 de agosto de 2017, foram registadas na maior rede social de consumidores de Portugal apenas 1227 reclamações.

O estudo, que teve como incidência os concelhos da Área Metropolitana de Lisboa (AML) e da Área Metropolitana do Porto (AMP), permitiu concluir que, nos dez primeiros lugares estão sete municípios da AML e três da AMP.

Neste TOP 10 das autarquias que registaram um maior número de reclamações, durante o mandato que agora termina, figuram: Lisboa (1543), Porto (414), Sintra (386), Oeiras (348), Vila Nova de Gaia (272), Loures (260), Seixal (250), Cascais (213), Almada (199) e Matosinhos (188).

De acordo com a análise do Portal da Queixa, o maior volume de reclamações é um resultado que está relacionado com o facto de estas entidades autárquicas pertencerem às zonas mais urbanizadas do País e que apresentam uma maior densidade populacional.

Na AML, os municípios do Montijo (43), Alcochete (36) e Mafra (19) são os que menos reclamações têm registadas no Portal da Queixa no último quadriénio. Relativamente à AMP, os municípios que registaram menos queixas por parte dos seus munícipes foram: São João da Madeira (8), Vale de Cambra (7) e Arouca e Trofa (os dois com 3 queixas).

Na AMP, o estudo constata a existência de três Câmaras Municipais que, ao longo do quadriénio relativo ao mandato anterior (2013-2017), não receberam qualquer reclamação. Cenário que se alterou no mandato atual. São as autarquias de Paredes, de São João da Madeira e da Trofa.

De que reclamaram os munícipes?

De acordo com o estudo do Portal da Queixa, os principais motivos de reclamação dos munícipes estão relacionados (38%) com o Ambiente (manutenção e cuidado de espaços verdes, recolha do lixo, limpeza de espaços públicos, pragas, etc.); 30% refere-se a problemas com Infraestruturas (obras públicas, reparações, iluminação das ruas, problemas de sinalização, etc.); 19% das reclamações está relacionada com Licenciamentos (licenças camarárias, fiscalizações, multas, problemas de estacionamento, queixas de ruído, etc.).

Serviços (problemas com serviços dos municípios, falta de resposta, mau atendimento, etc.); Segurança (segurança rodoviária, sinalização, acidentes, etc.); Habitação (problemas com habitação particular, concursos públicos de habitação, etc.); e Saúde Pública (queixas para problemas de segurança e saúde pública) são outros dos motivos das reclamações dirigidas às autarquias das AML e AMP.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Shawn Mendes regressa a Portugal em 2022

King Princess junta-se ao músico para assegurar a primeira parte do espetáculo.

Desconfinamento. Bares e discotecas voltam a funcionar a 1 de outubro e acabam os limites de lotação

O certificado digital será necessário para aceder a grandes eventos e a máscara continua a ser obrigatória em várias situações. Mas há exceções.

O Jumanji está a caminho da Playstation 5

Jumanji: The Video Game vai ser relançado com uma edição adaptada à nova consola da Sony.