Nova linha de alta velocidade pode vir a acabar com ponte aérea Lisboa-Porto

- Publicidade -

Mas até lá…

O projeto da Linha de Alta Velocidade Porto-Lisboa foi oficialmente apresentado ainda durante o mês de setembro, sendo dividido em três fases.

“Com esta nova linha, colocamos as nossas duas Áreas Metropolitanas a pouco mais de 1h15 de distância; colocamos Aveiro, Coimbra, Leiria e todo o eixo entre Braga e Setúbal, onde vivem cerca de 8 milhões de pessoas, a pouco mais de 2 horas de viagem entre si”, disse na altura da apresentação Pedro Nuno Santos, Ministro das Infraestruturas e da Habitação.

Com a Fase 1 concluída, o tempo de viagem deverá reduzir-se logo das atuais 2h50 para menos de 2 horas. Após a Fase 2, prevê-se que um comboio sem paragens entre Porto Campanhã e Lisboa-Oriente faça o trajeto em 1h19, enquanto um serviço com 4 paragens (Leiria, Coimbra, Aveiro e Gaia) fará o trajeto em 1h45. É expectável que existam tanto serviços diretos como serviços com algumas paragens ao longo de todo o dia.

As reduções de tempos de viagem chegarão também às ligações à Beira Interior, ao Minho, ao Alentejo ou ao Algarve. Com esta nova Linha Porto-Lisboa a Guarda poupará 1h20 na viagem para o Porto e 50 minutos na viagem para Lisboa. Leiria ficará a 40 minutos de Lisboa. Braga a 2h.

A nova linha Porto-Lisboa tem uma velocidade de projeto de 300 km/h. Esta velocidade foi selecionada de modo a permitir tempo de viagem que seja claramente competitivo com o transporte aéreo.

Já o preço dos bilhetes deverão ter um custo médio semelhante ao dos bilhetes do serviço Alfa Pendular. Uma rápida pesquisa permite-nos constatar que, por exemplo, uma viagem num Alfa Pendular, entre Lisboa e Porto, pode ser feita, se o bilhete for adquirido com bastante antecedência, por 11,50€.

Ora, e se, efetivamente, a construção desta linha de alta velocidade avançar – não nos podemos esquecer que já se fala desde assunto há anos e anos -, é bem provável que os novos comboios “roubem” passageiro aos aviões, aos autocarros e, claro, que permitam retirar mais carros de circulação.

De acordo com o Expresso (acesso pago), a nova linha deverá passar a ter 60 serviços por dia, devendo manter-se, neste caso na Linha do Norte, 17 comboios operados pela CP no serviço Intercidades.

17 é também o número de viagens diretas entre Porto e Lisboa previstas diariamente para a nova linha de alta velocidade, num trajeto que deverá demorar apenas 1h15. Depois, estão previstos nove serviços diário para o mesmo trajeto, mas com paragens em Gaia, Aveiro, Coimbra e Leiria. As restantes 34 viagens diárias serão de serviços mistos.

De acordo com a mesma fonte, a IP – Infraestruturas de Portugal espera que, assim que a linha de alta velocidade esteja concluída, que os novos comboios atraiam 16 milhões de passageiros. Isto poderá fazer com que, por exemplo, a ponte aérea entre Lisboa e Porto deixe de fazer sentido, uma vez que o trajeto de comboio será sempre mais rápido.

É que, apesar de a viagem de avião se fazer em apenas 55/60 minutos, temos de ter em atenção toda a logística que envolve uma viagem do género – chegar com antecedência ao aeroporto, contar com algum atraso pelo meio, a demora em sair do avião assim que se chega ao destino e, claro, o custo das próprias viagens. Se for possível adquirir bilhetes de comboio de alta velocidade a preços promocionais, tal como acontece com o serviço Alfa Pendular, então esta ponte aérea pode mesmo perder a sua relevância, ainda que transporte, anualmente, cerca de dois milhões de passageiros.

Em Espanha, por exemplo, é possível encontrar bilhetes para uma viagem entre Madrid e Barcelona por apenas 5,70€… desde que adquiridas com antecedência. Se estes preços forem possíveis de aplicar em Portugal, então até o futuro dos trajetos de autocarro entre as cidades poderá, eventualmente, ficar em risco.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes