Sabiam que o Lidl tem cápsulas para máquinas Nespresso que são totalmente compostáveis?

- Publicidade -

E há quem garanta que o café é igualmente bom.

Já é um ritual de muitos portugueses: levantar-se, colocar uma cápsula na máquina de café e ouvir o característico rumor que acompanha o aroma inconfundível desta bebida revigorante. Mas sabiam que, desde que foram lançadas, que estas cápsulas têm gerado milhões de toneladas de desperdício, acabando muitas vezes em aterros? E não nos podemos esquecer que a reciclagem do alumínio consome imensa energia elétrica, algo que hoje em dia é… complicado.

A Nespresso foi a marca responsável por marcar a tendência, sendo que muitas outras empresas de café seguiram a dica, criando os seus próprios sistemas ou, então, apostando em cápsulas compatíveis – há até umas feitas em plástico, o que é absolutamente devastador.

A popular marca tem noção desse problema do desperdício e, desde 2010, tem ativo no nosso país o programa Reciclar é Alimentar, através do qual as borras de café ganham uma nova vida em Portugal. Das borras de café usado é produzido arroz em Alcácer do Sal, que depois é doado pela Nespresso ao Banco Alimentar. A empresa tem outras iniciativas em vários países, querendo apostar na sustentabilidade.

Mas voltando ao alumínio, aposta-se muito na sua utilização devido ao facto de ser um metal infinitamente reciclável, sendo ideal para proteger a frescura, o aroma e a qualidade dos cafés. Atualmente, estima-se que entre 75 a 80% de todo o alumínio já produzido esteja a ser utilizado hoje em dia, mesmo noutros produtos, como motores de carros, bicicletas e computadores.

Para reciclar, é possível deixar as cápsulas em lojas dedicadas ou, então, em vários pontos de reciclagem. Já desde a semana passada, os munícipes de Cascais passaram a ter ecocentros que recolhem cápsulas de café usadas de 12 marcas diferentes, para que sejam totalmente recicladas. E sim, podem deixar por ali tanto cápsulas de alumínio, como de plástico.

Mas e porque não ir mais além? Foi nisso que o Lidl pensou ao criar cápsulas de café compostáveis, algo que promove um estilo de vida mais sustentável.

A compostagem é o processo natural de decomposição de matéria orgânica feito por microrganismos, que resulta num fertilizante natural chamado composto. Alguns dos resíduos orgânicos que pode usar são, por exemplo, folhas verdes e secas, plantas, restos de vegetais crus, cascas de fruta e de batata, saquetas de chá e borras de café.

Uma vez que o composto é rico em nutrientes, pode ser colocado em vasos, hortas e jardins.

Como referimos, o Lidl apostou nesta mudança, disponibilizando duas variedades certificadas de café em cápsula compostável: ristretto e lungo, compatíveis com máquinas Nespresso. A variedade Lungo contém grãos 100% Arábica, ao passo que a variedade Ristretto é uma mistura de 10% Robusta e 90% Arábica. Portanto, além de saboroso, este produto é benéfico para a saúde e para o planeta.

Este café tem também a certificação Rainforest Alliance, garantindo que os trabalhadores seguem práticas para uma agricultura respeitadora do meio ambiente e que protegem as florestas. Além disso, também o selo FSC Mix mostra que a origem do cartão das embalagens provém de florestas certificadas e que a colheita de madeira é feita de forma controlada e sustentável.

Uma vez que é feito de material compostável, é possível incluir todo o produto (café e cápsulas) no composto doméstico para as plantas que temos lá por casa. Assim, ajudamos a reduzir o plástico utilizado, a combater o problema da reciclabilidade das cápsulas de café e a contribuir para uma economia circular e sustentável.

O café, quando consumido de forma moderada, tem diversos benefícios para a saúde, como o facto de aumentar os níveis de energia e de ajudar a prevenir insuficiência cardíaca. Além disso, ajuda também a prevenir diabetes e doenças de rins, bem como proteger o cérebro de doenças como Parkinson e Alzheimer.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes