Unilabs desenvolveu plataforma de Inteligência Artificial para combate à Covid-19

O projeto Intelli4COVID materializou-se numa plataforma inteligente e data-driven para resposta à COVID-19 em seis linhas de atuação.

COVID-19
- Publicidade -

Muitos foram os projetos que surgiram no decorrer da pandemia. E este é mais um. Chama-se Intelli4COVID e surge por parte da unidade de Data Intelligence da Unilabs.

Este projeto tira partido do big data e da inteligência artificial (IA) como instrumento para garantir uma otimização de resposta às populações em matéria de realização de testes de diagnóstico mas também para apoiar os decisores numa resposta preditiva perante o desenvolvimento da epidemia.

A estratégia de IA materializou-se em seis linhas de atuação: a CovidHub, uma plataforma de recolha e processamento em real time do ecossistema e streams de dados gerados; a CovidDrive, um sistema de gestão inteligente de postos drive-thru; a CovidAlarm, com um sistema inteligente de alarmística data-driven; a CovidLab, um sistema inteligente e integrado de rastreio de amostras para a realização de testes e a CovidGeoIntelligence, um sistema capaz de processar informação geográfica assente em algoritmos inteligentes para apoio à previsão da evolução do surto.

Foi ainda desenvolvido um dashboard de analítica inteligente de casos infetados designado por CovidInsightsPortal.

A implementação do projeto, financiado pelo Compete (48952 | POCI-01-02B7-FEDER-048952), permite à Unilabs uma maior eficácia, colocada ao serviço das populações, na prestação de rastreios e realização de testes de diagnóstico. Esta eficácia resulta da gestão de forma inteligente e preditiva, da capacidade instalada de diagnóstico, conseguindo, deste modo, dar uma resposta equitativa e em tempo útil à população, e também procurar prever a progressão da epidemia no espaço geográfico, tirando partido dos mais avançados algoritmos de inteligência artificial e de informação geográfica.

Este projeto inovador possibilita que, em toda a organização, as equipas recebam data insights fundamentais para agirem e melhorarem continuamente a operação de resposta a esta pandemia. Estes insights vão desde a visibilidade imediata sobre um atraso no laboratório de um determinado teste através de um SMS enviado por um robot de dados, a uma chamada perdida no call center que é sinalizada em tempo real, à previsão do local onde deve ser colocado o próximo drive-thru para melhor servir a população, ou mesmo à análise diária pelas equipas do terreno dos feedbacks de cada cliente sobre o cuidado que estes profissionais tiveram a fazer o teste a um dos seus filhos.

- Publicidade -

1 Comentário

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Deve-se ou não vacinar os jovens entre os 12 e os 15 anos contra a COVID-19?

Na ótica da Direção-Geral de Saúde, só é recomendável que se vacinem os jovens se eles tiverem comorbilidades associadas, que possam conduzir a uma doença grave ou à morte.

Centro Colombo faz testes gratuitos à COVID-19

O processo está a ser coordenado pelos profissionais de saúde da Farmácia Colombo, que comunica todos os resultados às autoridades competentes.

DGS recomenda realização de testes à COVID-19 em casamentos com mais de 10 pessoas

No caso de eventos de natureza cultural ou desportiva, recomenda-se a testagem sempre que o número de participantes/espectadores seja superior a 1.000, em ambiente aberto, ou superior a 500, em ambiente fechado.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Passes Navegante vão dar direito a utilizar as bicicletas Gira em 2022

E à partida sem que tenham de pagar mais por isso.

Há uma nova t-shirt no mercado que atenua os efeitos da menopausa

A ideia é de Filipa Fernandes, ex-aluna da UMinho.