Huawei Mate Xs é o segundo dobrável da marca chinesa

Depois do Huawei Mate X, que não chegou a sair praticamente da China, surge a nova tentativa da marca chinesa no mercado dos dobráveis. Chama-se Mate Xs, tem características de topo e, claro, um preço a condizer.

- Publicidade -

Comecemos pelo ecrã OLED, que é de plástico e, lá está, dobrável, de oito polegadas em modo aberto (é um tablet, vá) e, quando fechado, tem um ecrã principal de 6,6 polegadas e um secundário de 6,38″. Para que tudo funcione, existe um dobradiça mecânica, que surge com um novo design.

Recorde-se que o Huawei Mate X foi o primeiro smartphone onde foi implementado o design Falcon Wing, que apresenta mais de 100 peças interligadas que trabalham para reforçar o ecrã. Este sistema, desenvolvido com um metal líquido à base de zircónio, está agora mais resistente, possibilitando que o ecrã dê uma volta completa de 180 graus.

Dobradiça arrumada, é tempo de destacarmos o ecrã. A Huawei refere que não só que o seu ecrã está “equipado com uma inovadora estrutura de polímero de duas camadas”, como salienta apresentar uma técnica pioneira na produção deste ecrã dobrável, que adere a duas camadas de poliamida de grau aeroespacial com um adesivo opticamente claro.

Na prática, é um material exclusivo que, segundo a marca chinesa, “permite que o ecrã apresente uma excelente qualidade de imagem, saturação e brilho, garantindo um elevado grau de durabilidade”.

Além disso, a empresa refere ainda que o Huawei Mate Xs “inclui um sistema de refrigeração de Flying Fish Fin que foi desenhado para corresponder à forma do dobrável”. Na prática, este sistema “utiliza grafeno flexível com fendas microscópicas o que permite que se dobre juntamente com o dispositivo, revestindo toda a área da superfície para um processo de refrigeração uniforme e eficaz”.

Embora pareça tudo espetacular no papel, é preciso que os detalhes façam a diferença numa utilização diária. E nos poucos minutos que tivemos com ele, ficámos bastante agradados. Como tem um design diferente graças ao módulo de câmaras (já lá vamos), o equipamento não fecha totalmente, fazendo-nos lembrar o Motorola Razr. Mas isso não é, de todo, problemático.

Ainda não tivemos oportunidade de mexer no Galaxy Z Flip, mas, em comparação com o Galaxy Fold, este Huawei Mate Xs é muito mais suave, pelo que o sistema de dobra não parece tão forçado quando o fechamos e abrimos. Aliás, quando se fecha, existe aquele click satisfatório, dando-nos a indicação de que está pronto a ser utilizado como um smartphone normal. Quer isto dizer que a dobra fica presa por um fecho físico que pode ser desapertado à vontade através de um botão acessível na barra lateral.

De resto, o design é praticamente idêntico ao modelo anterior. Mas uma coisa é certa: quando internamente existem mudanças, aí sim, o design até pode ser o mesmo, que o equipamento acaba por ganhar uma “nova vida”.

No que toca a especificações técnicas, vem com um processador octa-core Kirin 990 5G, memória RAM de 8GB, memória interna de 512GB, bateria de 4500 mAh com carregamento rápido de 55W (supostamente carrega 85% em 30 minutos) e um total de quatro câmaras: câmara principal de 40MP (grande angular, f / 1.8), câmara de 16MP de ultra grande angular (f / 2.2), câmara telefoto de 8MP (f / 2.4, OIS) e uma câmara com um sensor que deteta a profundidade 3D. O sistema de câmaras suporta uma combinação de OIS e Estabilização de imagem assistida por IA e zoom híbrido até 30X.

Claro, é quando está aberto que o Huawei Mate Xs alcança todo o seu potencial, uma vez que suporta o formato multi-windows, que faz com que duas aplicações possam ser visualizadas lado e lado e interagir ao mesmo tempo. Imaginem que querem transferir texto, imagens ou documentos de uma aplicação para outra. É fácil, basta arrastar e soltar.

Além disso, quando duas aplicações são abertas em simultâneo, os utilizadores podem iniciar uma terceira app recorrendo a uma janela flutuante (surge em formato pop-up, vá), que pode ser usada para executar pequenas tarefas, como responder a mensagens de texto sem ter de sair das apps atualmente iniciadas.

Porém, o equipamento tem dois grandes problemas: preço e ausência de Google Mobile Services. Como se sabe, a marca e os Estados Unidos continuam de costas voltadas, o uqe faz com que os dispositivos da marca não possam utilizar serviços americanos, como os da Google. Logo, ao comprarem o Mate Xs, preparem-se para não ter Gmail, YouTube e todas essas ferramentas que hoje em dia são indispensáveis para os utilizadores.

Para combater esta machadada, a Huawei aposta na sua App Gallery, que vai tendo cada vez mais conteúdo, mas que ainda não é suficiente para justificar o investimento.

Sim, investimento. O Huawei Mate Xs vai chegar às lojas no final do mês de março pelo preço proibitivo de 2.499€.

Fonte:Huawei
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

Relacionados

Portugueses desenvolveram tecnologia para exploração autónoma das profundezas do oceano

Algo que vai ajudar a reduzir os custos e a ter acesso a novos dados muito mais rapidamente.

Huawei quer voltar a ser líder no segmento dos smartphones em Portugal

Mas sem os Google Mobile Services vai ser complicado.

Este carrinho de bebés pode ser controlado através do smartphone

A nova app da Cybex tem como objetivo facilitar ainda mais a vida aos pais.

Análise – Razer Anzu

Os Razer Anzu são uma aposta no útil e agradável, que se distancia do mundo do gaming, com algo que pode ser uma bela ferramenta de comunicação dentro e fora de casa.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Vão de viagem em breve? Acabaram-se os testes e quarentenas

Desde que tenham Certificado Covid-19 válido, claro.

Intermarché abre loja em Alter do Chão

Esta nova loja criou 29 novos postos de trabalho.

MyMcDonald’s. Nova experiência digital da app da marca promete ainda mais benefícios para os utilizadores

Passa a ser mais fácil acumular pontos e há sempre ofertas diferentes todos os meses, muitas delas exclusivas.