- Publicidade -

Huawei Mate Xs é o segundo dobrável da marca chinesa

-

- Publicidade -

Depois do Huawei Mate X, que não chegou a sair praticamente da China, surge a nova tentativa da marca chinesa no mercado dos dobráveis. Chama-se Mate Xs, tem características de topo e, claro, um preço a condizer.

Comecemos pelo ecrã OLED, que é de plástico e, lá está, dobrável, de oito polegadas em modo aberto (é um tablet, vá) e, quando fechado, tem um ecrã principal de 6,6 polegadas e um secundário de 6,38″. Para que tudo funcione, existe um dobradiça mecânica, que surge com um novo design.

Recorde-se que o Huawei Mate X foi o primeiro smartphone onde foi implementado o design Falcon Wing, que apresenta mais de 100 peças interligadas que trabalham para reforçar o ecrã. Este sistema, desenvolvido com um metal líquido à base de zircónio, está agora mais resistente, possibilitando que o ecrã dê uma volta completa de 180 graus.

Dobradiça arrumada, é tempo de destacarmos o ecrã. A Huawei refere que não só que o seu ecrã está “equipado com uma inovadora estrutura de polímero de duas camadas”, como salienta apresentar uma técnica pioneira na produção deste ecrã dobrável, que adere a duas camadas de poliamida de grau aeroespacial com um adesivo opticamente claro.

Na prática, é um material exclusivo que, segundo a marca chinesa, “permite que o ecrã apresente uma excelente qualidade de imagem, saturação e brilho, garantindo um elevado grau de durabilidade”.

Além disso, a empresa refere ainda que o Huawei Mate Xs “inclui um sistema de refrigeração de Flying Fish Fin que foi desenhado para corresponder à forma do dobrável”. Na prática, este sistema “utiliza grafeno flexível com fendas microscópicas o que permite que se dobre juntamente com o dispositivo, revestindo toda a área da superfície para um processo de refrigeração uniforme e eficaz”.

Embora pareça tudo espetacular no papel, é preciso que os detalhes façam a diferença numa utilização diária. E nos poucos minutos que tivemos com ele, ficámos bastante agradados. Como tem um design diferente graças ao módulo de câmaras (já lá vamos), o equipamento não fecha totalmente, fazendo-nos lembrar o Motorola Razr. Mas isso não é, de todo, problemático.

Ainda não tivemos oportunidade de mexer no Galaxy Z Flip, mas, em comparação com o Galaxy Fold, este Huawei Mate Xs é muito mais suave, pelo que o sistema de dobra não parece tão forçado quando o fechamos e abrimos. Aliás, quando se fecha, existe aquele click satisfatório, dando-nos a indicação de que está pronto a ser utilizado como um smartphone normal. Quer isto dizer que a dobra fica presa por um fecho físico que pode ser desapertado à vontade através de um botão acessível na barra lateral.

De resto, o design é praticamente idêntico ao modelo anterior. Mas uma coisa é certa: quando internamente existem mudanças, aí sim, o design até pode ser o mesmo, que o equipamento acaba por ganhar uma “nova vida”.

No que toca a especificações técnicas, vem com um processador octa-core Kirin 990 5G, memória RAM de 8GB, memória interna de 512GB, bateria de 4500 mAh com carregamento rápido de 55W (supostamente carrega 85% em 30 minutos) e um total de quatro câmaras: câmara principal de 40MP (grande angular, f / 1.8), câmara de 16MP de ultra grande angular (f / 2.2), câmara telefoto de 8MP (f / 2.4, OIS) e uma câmara com um sensor que deteta a profundidade 3D. O sistema de câmaras suporta uma combinação de OIS e Estabilização de imagem assistida por IA e zoom híbrido até 30X.

Claro, é quando está aberto que o Huawei Mate Xs alcança todo o seu potencial, uma vez que suporta o formato multi-windows, que faz com que duas aplicações possam ser visualizadas lado e lado e interagir ao mesmo tempo. Imaginem que querem transferir texto, imagens ou documentos de uma aplicação para outra. É fácil, basta arrastar e soltar.

Além disso, quando duas aplicações são abertas em simultâneo, os utilizadores podem iniciar uma terceira app recorrendo a uma janela flutuante (surge em formato pop-up, vá), que pode ser usada para executar pequenas tarefas, como responder a mensagens de texto sem ter de sair das apps atualmente iniciadas.

Porém, o equipamento tem dois grandes problemas: preço e ausência de Google Mobile Services. Como se sabe, a marca e os Estados Unidos continuam de costas voltadas, o uqe faz com que os dispositivos da marca não possam utilizar serviços americanos, como os da Google. Logo, ao comprarem o Mate Xs, preparem-se para não ter Gmail, YouTube e todas essas ferramentas que hoje em dia são indispensáveis para os utilizadores.

Para combater esta machadada, a Huawei aposta na sua App Gallery, que vai tendo cada vez mais conteúdo, mas que ainda não é suficiente para justificar o investimento.

Sim, investimento. O Huawei Mate Xs vai chegar às lojas no final do mês de março pelo preço proibitivo de 2.499€.

Fonte:Huawei
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Sigam-nos

10,245FãsGostar
4,046SeguidoresSeguir
508SeguidoresSeguir

Mais Recentes

Projeto “Preenchido pela Paralisia” põe utentes com paralisia cerebral a declarar IRS dos Portugueses

O projeto surge por parte da Associação de Paralisia Cerebral de Lisboa (APCL), que apela aos portugueses que aproveitem um direito por muitos ainda desconhecido: a consignação de 0,5% do IRS, através do projeto Preenchido Pela Paralisia.

Análise – Resident Evil 3 Remake

Resident Evil 3 Remake espelha o original de 1999 de forma refrescante e emocionante, num jogo mais coeso e orientado na ação que o seu antecessor, mas que serve também de um excelente complemento para assistir de perto à tragédia de Raccoon City.

Concurso Montepio Acredita Portugal 2020 com inscrições abertas até 25 de abril

Além disso, o concurso adotou um formato inicial digital, 100% online, pelo que, depois, o desenvolvimento de ideias submetidas irá decorrer até 17 de maio deste ano.

Makro Portugal abre as portas das suas lojas a todos os consumidores

A partir das 06h de hoje, 6 de abril, a Makro Cash & Carry Portugal S.A. abre as portas de todas as suas lojas a nível nacional de forma a garantir a continuidade da cadeia de distribuição de produtos a todos os consumidores.

Crítica – Sonic the Hedgehog

Sonic the Hedgehog é uma aventura divertida que qualquer família pode desfrutar numa tarde de domingo.
- Publicidade -