Horizon Zero Dawn vai ter direito a uma remasterização, segundo algumas fontes

- Publicidade -

Segundo várias fontes, o aclamado jogo da Guerrilla vai ter um tratamento semelhante a The Last of Us.

A linha entre o remaster e o remake tornou-se mais difícil de traçar com o lançamento de The Last of Us Part I. E, agora, Horizon Zero Dawn poderá ser o próximo jogo a questionar a sua definição.

A notícia foi inicialmente avançada pelo portal MP1ST, que deu conta do desenvolvimento de uma nova versão de Horizon Zero Dawn, o RPG de ação em mundo aberto da Guerrilla, lançado originalmente e 2017 para a PlayStation 4, e que este ano recebeu uma sequela, Horizon Forbidden West, para a PlayStation 4 e PlayStation 5.

A caminho do lançamento da sua sequela, Horizon Zero Dawn levou um patch gratuito de otimização para a nova consola da Son. Mas para a nipónica não foi o suficiente, pois ao que consta está ativamente a desenvolver não um, mas dois projetos em torno de Horizon Zero Dawn.

O primeiro é um remaster/remake do jogo. Os detalhes não são ainda claros, mas fontes como a VGC corroboram a informação. Já no ResetEra, um dos moderadores refere-se ao projeto como “Remake”, que é real e que é semelhante ao que fizeram com The Last of Us Part I. Ou seja, o jogo foi reconstruído com um motor de jogo atualizado, novos modelos e afinações para tornar o jogo o mais contemporâneo possível, ao mesmo tempo que mantém a essência do original.

horizon remake

As notícias dão conta também de outro ambicioso projeto, um multi-jogador com a PlayStation 5 e o PC como alvo, que será um ressuscitar de um projeto anteriormente cancelado e que funcionaria de forma cooperativa, com os jogadores a caçarem as criaturas robóticas ao estilo de um Monster Hunter.

Inicialmente, este modo estava a ser desenvolvido para a sequela, Horizon Forbidden West, mas agora parece ter ganho uma segunda oportunidade.

Ainda por se confirmar oficialmente, o novo Horizon Zero Dawn já começa a ser visto de lado pela comunidade, incluindo fãs do jogo, pois prevê-se, tal como The Last of Us Part I, um relançamento a preço premium de um jogo já existente e otimizado nas plataformas mais recente, ou não tivesse apenas 5 anos.

Uma decisão estranha e questionável, mas que entra na atual lógica da Sony em manter algumas das suas propriedades relevantes, agora que começam a chegar ao PC e começam a ganhar vida noutros meios, com séries live-action como The Last of Us para a HBO e Horizon Zero Dawn para a Netflix.

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes