Depois dos Limp Bizkit, também os Hoobastank saltam fora do EDP Vilar de Mouros

- Publicidade -

A organização promete, ainda assim, que irá surpreender com o cartaz final do festival.

Não está fácil a vida do EDP Vilar de Mouros, pelo menos no que ao dia 26 de agosto diz respeito. Depois de, em meados deste mês, termos ficado a saber do cancelamento do concerto dos Limp Bizkit para esse dia, devido a problemas de saúde do vocalista Fred Durst, há agora uma nova baixa no evento: os Hoobastank já não estarão presentes.

Através das redes sociais, a banda adiantou que, devido aos crescentes problemas logísticos relacionados com transportes internacionais, não encontraram forma de viajar para a Europa para se apresentarem em Vilar de Mouros.

Com este cancelamento, o dia 26 de agosto está agora praticamente “despido”, contando apenas com a confirmação dos portugueses Tara Perdida. E tendo isto em conta, quem possuir bilhete para esse dia poderá requerer, até 24 de agosto, o reembolso do mesmo no local de compra (mediante a apresentação do respetivo ingresso), ou através da plataforma de ticketing onde tenha sido adquirido.

De resto, a organização promete que tudo fará para surpreender com o cartaz final. Para já, estão confirmados nomes como Iggy Pop, Bauhaus, Suede, Placebo, Battles, entre ouros.

Os bilhetes para o EDP Vilar de Mouros estão à venda nos locais habituais por 40€ (bilhete diário) e 80€ (passe de três dias).

- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Parceiros

- Publicidade -

Relacionados

Simple Minds no EDP Vilar de Mouros

Excelente confirmação.

EDP Vilar de Mouros adiado para 2022

Mais um festival que aceitou a realidade.

Limp Bizkit, Hoobastank e Tara Perdida no EDP Vilar de Mouros 2021

As bandas atuam no festival mais antigo da península ibérica a 27 de agosto.
- Publicidade -
- Publicidade -

Mais Recentes

Gelatieiri. A nova gelateria de Vila Real de Santo António tem gelados bem cremosos

E faz-nos lembrar vagamente a La Romana, que fomos experimentar recentemente em Lisboa.

Chuva de reclamações tapa o Sol da Caparica. Afinal, o que se passou?

Mas as palavras de desagrado do público parecem não ter surtido qualquer efeito junto dos promotores.