Fórmula 1 – Grande Prémio dos Estados Unidos foi uma das melhores corridas do ano

Com Max Verstappen a partir da pole position, mas depressa a perder a liderança da corrida para Lewis Hamilton, logo se percebeu que o Grande Prémio dos Estados Unidos ia ter emoção. No fim, com a vitória do piloto da Red Bull e a volta mais rápida para o piloto da Mercedes, posso-vos dizer que foi uma das melhores corridas do ano… faltam cinco.

- Publicidade -

Com Max Verstappen a partir da pole position, logo seguido de Lewis Hamilton e do seu colega de equipa, Sergio Pérez, a sair de P3 (Valtteri Bottas sofreu uma penalização devido à troca de componentes no seu carro e partiu de P9), cabia aos pilotos da Red Bull conseguir segurar o Mercedes para tentar diminuir a vantagem da equipa britânica no mundial de construtores e aumentar a vantagem do piloto holandês face a Lewis Hamilton na luta pelo campeonato de pilotos.

As coisas não começaram bem para Max. Lewis partiu bem e, mesmo com as tentativas agressivas de Max, o britânico conseguiu segurar a primeira posição à saída da curva 1 e estava, poucos metros depois, na liderança do Grande Prémio dos Estados Unidos. Mais atrás, a batalha bonita de se ver era entre os dois McLaren e o Ferrari de Carlos Sainz Jr., que tentavam chegar à P5 a lutar como se de um campeonato se tratasse. Bonito de se ver.

Ao saltar para o início da volta 7, depressa percebemos que só dois dos carros tinham andamento, o de Lewis e o de Max. Se Perez conseguia resistir e ainda “só” tinha perdido 3.3s, Charles Leclerc (em P4) já ia a 12.2s de distância do carro da frente, significando isto que o mais rápido fora dos lugares do pódio ia a perder uma média de 1.742s por volta. É uma diferença abismal para a prova rainha do desporto motorizado, pelo que espero que os novos carros em 2022 venham resolver alguns destes problemas.

As batalhas que aconteciam a meio da tabela dos lugares pontuáveis pareciam ser num universo à parte. Já na frente, Max parava e metia pneus duros. O holandês pára, sai em P4 e, numa excelente jogada estratégica por parte da Red Bull, Max fica mesmo em primeiro lugar depois da paragem de Lewis Hamilton umas voltas depois.

Grande Prémio dos Estados Unidos
Imagem: Formula1.com

Pierre Gasly abandona a corrida com problemas mecânicos. Com 19 carros em pista, estávamos a ter um dos momentos da corrida. Kimi Raikkonen e Fernando Alonso, dois jovens de 42 e 40 anos de idade, numa batalha intensa pelo último dos lugares pontuáveis. Alonso defende e “empurra” Kimi para fora, Kimi mesmo assim ganha a posição e Alonso queixa-se que merece ter a posição de volta. Nada acontece. Mais tarde, Alonso ganha posição fora de pista e passa Antonio Giovinazzi, que tem que devolver a posição. Devolve com inteligência e está na luta novamente… desta vez é Gio que ganha posição fora de pista e tem agora que devolver a posição a Alonso. A emoção era aqui, na batalha pela P10.

Desde este momento até ao fim da corrida só queria uma coisa: que Alonso voltasse a chegar-se perto de Kimi. Queria mais disto. Infelizmente, tanto Alonso como Esteban Ocon viram os seus Alpine recolher às box devido a problemas com os carros.

Saltamos para a frente e Hamilton está agora a menos de 3s de Max, o piloto do Reino Unido está a dar tudo por tudo. Será que consegue? Virtual Safety Car por uns segundos, que nada mudou, e Max pára novamente para novo jogo de duros. Hamilton fica fora por mais oito voltas e, quando sai com novo jogo de duros, tem 8.7 segundos para recuperar nas 19 voltas que restavam do Grande Prémio. Não ia ser fácil.

Por momentos parecia que ia acontecer, Hamilton ia chegar perto. Íamos ter luta entre os dois primeiros. Mas não, sempre que parecia que estava perto deixava de estar. Uma excelente corrida de Max Verstappen a gerir muito bem os seus pneus até ao fim, e uma fantástica corrida de Lewis Hamilton que deu tudo por tudo para apanhar o Red Bull, mas não conseguiu.

Destaque ainda para a P3 de Pérez, que estava sem beber água desde a primeira volta devido a uma falha no “sistema de bebida” do piloto e passa para P4 no campeonato do mundo de pilotos. Destaque também para a volta mais rápida [1.38.485] de Lewis Hamilton e ainda para a P5 de Daniel Ricciardo, o australiano mais americano da McLaren, que conseguiu defender com unhas e dentes a posição que esteve desde o início a ser atacada por Carlos Sainz Jr.

Deixar um abraço a Nikita Mazepin, as coisas não andam fáceis para o russo. Acabou com mais 1.17.318m do que o seu colega de equipa. Isto numa pista em que o tempo por volta ronda os 1.40 minutos. Abracinho.

Grande Prémio dos Estados Unidos
Imagem: Formula1.com

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 10 por pilotos

PosiçãoPilotoEquipaPontos
1Max VerstappenRed Bull Racing Honda287.5
2Lewis HamiltonMercedes275.5
3Valtteri BottasMercedes185
4Sergio PerezRed Bull Racing Honda150
5Lando NorrisMcLaren Mercedes149
6Charles LeclercFerrari128
7Carlos Sainz Jr.Ferrari122.5
8Daniel RicciardoMcLaren Mercedes105
9Pierre GaslyAlphaTauri Honda74
10Fernando AlonsoAlpine Renault 58

Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – Top 5 por equipas

PosiçãoEquipaPontos
1Mercedes460.5
2Red Bull Racing Honda437.5
3Mclaren Mercedes254
4Ferrari250.5
5Alpine Renault104
- Publicidade -

Deixa uma resposta

Introduz o teu comentário!
Introduz o teu nome

Relacionados

- Publicidade -

Mais recentes